O que é GRI? Entenda tudo!

Data: 10/04/2017
Area:
Autor:
Categoria: Biodiversidade

Quando se fala em sustentabilidade empresarial, as conversas sobre o assunto estão mais avançadas e muitas empresas já conhecem bem os conceitos. A grande dificuldade em relação ao tema costuma estar na justificativa, na análise de resultados de medidas sustentáveis e no impacto social e ambiental das operações no dia a dia da empresa.

Nesse sentido, existem alguns modelos de relatório para embasar suas decisões a respeito do tema, avaliar se os esforços são válidos e no que é possível investir. O mais assertivo e utilizado pelas grandes empresas é justamente o relatório GRI.

Como posso mensurar e verificar os resultados das minhas iniciativas em práticas sustentáveis? No que devo investir? Quais indicadores devo analisar? São perguntas que os Padrões GRI ajudam a decifrar.

Produzimos um post completo para que você tire suas dúvidas básicas e possa entender melhor como funciona a GRI. Continue lendo!

O que é GRI

A Global Reporting Initiative é uma organização internacional que ajuda empresas, governos e outras instituições a compreender e comunicar o impacto dos negócios em questões críticas de sustentabilidade. Mudanças climáticas, direitos humanos e problemas de corrupção são algumas dessas questões.

Nos últimos anos a GRI, mantém uma parceria muito produtiva com o CEBDS. A associação gerou iniciativas, como o “GT de Empresas Pioneiras em Relatórios de Sustentabilidade”, e publicações, caso do Guia dos ODS.

Para que serve

As diretrizes da GRI – chamadas G4 – na elaboração dos relatórios ajudam a identificar os impactos das operações da organização sobre o meio ambiente, economia e sociedade civil. O objetivo é apontar informações confiáveis, relevantes e padronizadas para que sua empresa avalie oportunidades e riscos a partir desses impactos e tome decisões mais embasadas sobre o assunto.

As diretrizes que compõem o G4 são universalmente aplicáveis a empresas de todos os tamanhos, tipos e setores do mercado, e foram reestruturadas em um conjunto de padrões no final de 2016.

Essa remodelagem originou os Padrões GRI de Relatório de Sustentabilidade. Foram os primeiros padrões globais para criação de relatórios de sustentabilidade. Os indicadores são dispostos em módulos inter-relacionados e representam as melhores práticas de relato dos impactos econômicos, ambientais e sociais dos negócios.

Os Padrões GRI serão válidos apenas a partir de 1º de julho de 2018. Até lá continuam válidas as diretrizes G4.

Como aplicar os Padrões GRI

As empresas podem utilizar os Padrões GRI para desenvolver seus relatórios de sustentabilidade. Não é preciso utilizar todos os padrões. É possível utilizar partes específicas do documento para relatar apenas as informações que forem válidas para sua empresa.

Contudo é preciso atenção: cada forma de utilização dos Padrões requer uma declaração de uso correspondente, a qual as empresas devem incluir em quaisquer relatórios com divulgação baseada nos moldes previstos pelo documento.

Por que devo elaborar um relatório com base na GRI?

As principais razões que fazem as grandes empresas do mundo implementarem relatórios com base nos Padrões GRI são:

  • – Demonstrar compromisso com os impactos ambientais e sociais;
  • – Transparência nas relações;
  • – Apresentar capacidade de participação em mercados competitivos;
  • – Planejar atividades, tornar-se mais sustentável e posicionar a empresa;
  • – Seguir a legislação.

Todos esses benefícios somam valores positivos à imagem da empresa, aumento nas chances de fidelização e análise de dados para comparação de desempenho com outras companhias.

Como posso começar?

Produzir relatórios de sustentabilidade no formato GRI é crucial para aumentar o valor do processo de relato integrado. A escolha de qual orientação usar ou consultar também influenciará fortemente os resultados obtidos por meio da análise dos indicadores.

Se você quiser saber mais sobre como iniciar seus Relatórios de Sustentabilidade da GRI, clique aqui! Se ainda estiver com dúvidas, deixe seu comentário!



Informações do Autor

CEBDS