Image

Rumo à Cop21

Saiba +

COP 21 APROVA ACORDO HISTÓRICO DO CLIMA

13

dez
2015

A emoção explodiu entre os participantes da plenária da 21ª Conferência da Convenção-Quadro das Nações Unidas (COP 21) que aprovou esta tarde o novo acordo global do clima. Logo após o presidente da COP 21, Laurent Fabius, bater o martelo, a sessão tornou-se uma grande comemoração pelo fechamento do novo pacto mundial, informa Lilia Caiado, assessora técnica do Conselho Empresarial Brasileiro para o Desenvolvimento Sustentável (CEBDS) presente à Conferência de Paris.

O documento foi baseado em texto apresentado esta manhã por Fabius, também ministro das Relações Exteriores da França. Segundo ele, a redação é ambiciosa e equilibrada, porque manteve o objetivo maior de limitar o aumento da temperatura do planeta abaixo de 2°C neste século, e também buscar um resultado de 1,5°C para atender aos países mais vulneráveis às mudanças climáticas.

Uma das questões-chave para tornar viável o novo acordo, o financiamento, também foi incluído no texto, que prevê a destinação, pelos países desenvolvidos, de no mínimo US$ 100 bilhões, a partir de 2020, para os países em desenvolvimento combaterem as mudanças climáticas. Esse montante, preconizado em 2009, deverá ser revisto até 2025.

Momento em que Laurent Fabius, presidente da COP 21, bateu o martelo e declarou concluída a negociação.

Momento em que Laurent Fabius, presidente da COP 21, bateu o martelo e declarou concluída a negociação.

Acordo pode mudar o mundo

“O projeto de acordo é diferenciado, sustentável, dinâmico, equilibrado e juridicamente vinculante. Confirma o nosso objetivo central, vital, de conter o aumento da temperatura média bem abaixo dos 2°C, e procura limitar esse aumento a 1,5°C, o que permite reduzir significativamente os riscos e os impactos ligados às alterações climáticas”disse fabius?

Fabius também disse que o acordo irá ajudar a proteger os pequenos Estados insulados do aumento do nível no mar, apoiar tecnologicamente o desenvolvimento da África, ajudar a América Latina a proteger suas florestas, assistir os países petroleiros na diversificação do modelo energético e criar resiliência para todos.

“Vocês vão agora decidir sobre um acordo histórico”, reforçou Fabius durante a apresentação do projeto de acordo, esta manhã, aos representantes das 196 partes (países e blocos) da Conferência do Clima. O secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU), Ban Ki-moon, exortou os países a “terminar o trabalho” e adotar o pacto contra o aquecimento global.

O presidente da França, François Hollande, também se dirigiu ao plenário para destacar o momento histórico e decisivo para o planeta. Segundo ele, o acordo seria capaz de “mudar o mundo”.

CEBDS comemora acordo histórico

A presidente do CEBDS, Marina Grossi, parabeniza o governo brasileiro e todas as nações que tornaram possível o acordo histórico alcançado hoje, em particular a ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira, que tanto trabalhou para esse resultado.

“Esse é um acordo histórico, que dá um novo ritmo às transformações necessárias. Agora chegou a hora de implementá-lo, de agir, e mostrar com transparência os impactos que as soluções de negócios proporcionarão”, afirmou Marina Grossi logo após o fechamento do acordo.

 Testemunhas de um momento histórico

A equipe do Conselho Empresarial Brasileiro para o Desenvolvimento Sustentável (CEBDS) que acompanhou as negociações do acordo histórico de Paris foi testemunha de um momento histórico. Marina Grossi, Ana Carolina Szklo, Fernanda Gimenes, e Lilia Caiado participaram da conferência e dos eventos paralelos não só como observadoras, mas também com a disposição de atuar para ampliar o protagonismo do setor privado.

Missão cumprida, o CEBDS agradece à equipe que esteve em Paris e aos que apoiaram o trabalho à distância.

Parabéns a todos os que trabalharam para tornar esse momento memorável.

Imagens da sessão plenária que aprovou o acordo:

COP3 COP2 COP 4

Submit a Comment