Baseado nos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU, o ‘Guia dos ODS para as Empresas’ estabelece a sustentabilidade como pilar para o crescimento econômico

O Conselho Empresarial Brasileiro para o Desenvolvimento Sustentável (CEBDS), a Global Reporting Initiative (GRI) e a Rede Brasileira do Pacto Global lançaram no Brasil o Guia dos ODS para as empresas. Com base nos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) – divulgados pela Organização das Nações Unidas (ONU) em setembro –, a publicação explica como os ODS afetam os negócios das empresas e oferece as ferramentas e o conhecimento necessários para colocar a sustentabilidade no centro de suas estratégias. O lançamento teve apoio do Itaú e aconteceu no dia 18 de novembro de 2015, no Espaço Itaú de Cinema da Rua Augusta, em São Paulo.

Com cinco passos – Entendendo os ODS, Definindo prioridades, Estabelecendo metas, Integração e Relato e comunicação –, a publicação auxilia as empresas a maximizar sua contribuição para os ODS e minimizar os impactos negativos, orientando suas estratégias para criar negócios sustentáveis e reduzir riscos. Originalmente intitulada SDG Compass, a publicação foi traduzida para atender as demandas do mercado brasileiro e está disponível no site do Pacto Global (www.pactoglobal.org.br) e do CEBDS (www.cebds.org).

De acordo com o Guia, os ODS apresentam uma oportunidade para que mecanismos e tecnologias sejam elaborados para tratar dos maiores desafios mundiais de desenvolvimento sustentável. “O guia tem uma importância ferramental, pois traduz uma agenda importante como a dos ODS para a criação de estratégias de negócios. E com a esfera de influência das organizações, contribuirá para o desenvolvimento de parcerias colaborativas”, destaca o presidente da Rede Brasileira do Pacto Global, André Oliveira.

O Guia os ODS para as Empresas também orienta sobre o redirecionamento dos fluxos de investimento, para que as organizações atendam às demandas de inovação do mercado e utilizem os recursos de forma mais eficiente. “Esse estudo ajudará as empresas a aplicar os ODS em suas atividades, de acordo com seus objetivos estratégicos. Esperamos, assim, contribuir para o desenvolvimento de negócios cada vez mais sustentáveis tanto em termos da perenidade do business quanto do ambiente em que vivemos”, afirma Marina Grossi, presidente do CEBDS.

“Esperamos que este guia possa inspirar as empresas a agirem como agentes de transformação na implementação dos ODS”, afirma a representante da GRI no Brasil, Glaucia Terreo.

ODS

Os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável – ou Agenda 2030 – foram criados pela ONU como uma alternativa para acabar com a pobreza extrema e a desigualdade e proteger o planeta nos próximos 15 anos. Eles são de natureza global, mas dependem de implementação regional – com participação ativa de governos, da sociedade civil e do setor privado – para ter sucesso. Confira a lista com os 17 ODS:

  • Objetivo 1: Acabar com a pobreza em todas as suas formas, em todos os lugares.
  • Objetivo 2: Acabar com a fome, alcançar a segurança alimentar e melhoria da nutrição e promover a agricultura sustentável.
  • Objetivo 3: Assegurar uma vida saudável e promover o bem-estar para todos, em todas as idades.
  • Objetivo 4: Assegurar a educação inclusiva e equitativa e de qualidade, e promover oportunidades de aprendizagem ao longo da vida para todos.
  • Objetivo 5: Alcançar a igualdade de gênero e empoderar todas as mulheres e meninas.
  • Objetivo 6: Assegurar a disponibilidade e gestão sustentável da água e saneamento para todos.
  • Objetivo 7: Assegurar o acesso confiável, sustentável, moderno e a preço acessível à energia para todos.
  • Objetivo 8: Promover o crescimento econômico sustentado, inclusivo e sustentável, emprego pleno e produtivo e trabalho decente para todos.
  • Objetivo 9: Construir infraestruturas resilientes, promover a industrialização inclusiva e sustentável e fomentar a inovação.
  • Objetivo 10: Reduzir a desigualdade dentro dos países e entre eles.
  • Objetivo 11: Tornar as cidades e os assentamentos humanos inclusivos, seguros, resilientes e sustentáveis.
  • Objetivo 12: Assegurar padrões de produção e de consumo sustentáveis.
  • Objetivo 13: Tomar medidas urgentes para combater a mudança climática e seus impactos.
  • Objetivo 14: Conservação e uso sustentável dos oceanos, dos mares e dos recursos marinhos para o desenvolvimento sustentável.
  • Objetivo 15: Proteger, recuperar e promover o uso sustentável dos ecossistemas terrestres, gerir de forma sustentável as florestas, combater a desertificação, deter e reverter a degradação da terra e deter a perda de biodiversidade.
  • Objetivo 16: Promover sociedades pacíficas e inclusivas para o desenvolvimento sustentável, proporcionar o acesso à justiça para todos e construir instituições eficazes, responsáveis e inclusivas em todos os níveis.
  • Objetivo 17: Fortalecer os meios de implementação e revitalizar a parceria global para o desenvolvimento sustentável.

CEBDS

O CEBDS é uma associação civil sem fins lucrativos que promove o desenvolvimento sustentável para empresas que operam no Brasil, interagindo com governos e a sociedade civil, além de disseminar os mais modernos conceitos e práticas relacionados ao tema. O CEBDS foi fundado em 1997 por um grupo de líderes empresariais conscientes das mudanças e oportunidades apresentadas pela sustentabilidade, especialmente após a Rio 92. Atualmente reúne 70 dos maiores grupos empresariais do País, com receitas que correspondem a 40% do PIB e responsáveis por mais de um milhão de empregos diretos. O CEBDS é o representante no Brasil do Conselho Empresarial Mundial para o Desenvolvimento Sustentável (WBCSD), que é composto por quase 60 conselhos nacionais e regionais em 36 países e 22 setores industriais, além de mais de 200 grupos empresariais atuantes em todos os continentes. Outras informações em www.cebds.org.

GRI

GRI é uma organização internacional independente, pioneira na criação e no aprimoramento contínuo dos relatos corporativos de sustentabilidade. Fundada em 1997, sua missão é ajudar as organizações a levarem em conta questões socioambientais em seus processos decisórios, por meio das informações e conhecimentos gerados com a aplicação da metodologia de relato de sustentabilidade GRI. A metodologia GRI é construída em rede multi-stakeholders desde 1997. Outras informações em www.globalreporting.org.

Rede Brasileira do Pacto Global

Lançado em 2000, o Pacto Global das Nações Unidas é a maior iniciativa de sustentabilidade corporativa voluntária do mundo. Reúne cerca de 8 mil signatários corporativos em 145 países com o objetivo de alinhar as operações de negócios aos dez princípios universalmente aceitos nas áreas de direitos humanos, trabalho, meio ambiente e combate à corrupção. O Brasil é a quarta maior rede local, com mais de 700 signatários – entre empresas e outras organizações. Outras informações em www.pactoglobal.org.br.