Sala de Imprensa

Grupo focal de Sustentabilidade, liderado pelo CEBDS, divulga sua carta conclusiva ao Fórum Mundial da Água

23/03/2018

Brasília, 23 de março – Foi divulgada nesta sexta-feira (23/03), a Declaração de Sustentabilidade do Grupo Focal de Sustentabilidade do Fórum Mundial da Água, que terminou hoje em Brasília. O documento destaca a insuficiência das atuais políticas de recursos hídricos para atingir as metas estabelecidas para os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) e a dificuldade de sensibilização ao tema em locais onde a paz, os direitos humanos, a equidade, o respeito e a igualdade de gênero e a educação não são respeitados.

O documento, apresentado pela presidente do CEBDS, Marina Grossi, também pede à ONU o reforço do apoio às Nações Membro no diálogo político e nos fóruns sobre a água. Em sua fala, Marina conclamou maior participação feminina na plenária de encerramento, arrancando aplausos dos participantes, e convidou as jovens representantes das delegações indiana e senegalesa, Karishma Asoodani e Awa Gueye, para a leitura do texto final da Declaração de Sustentabilidade.

O Grupo de Sustentabilidade, liderado pelo Conselho Empresarial Brasileiro para o Desenvolvimento Sustentável (CEBDS) e pelo Banco Mundial, é composto por grandes empresas, organizações sociais e o Ministério de Meio Ambiente, Desenvolvimento Sustentável e Energia da França.

Desenvolvido pela primeira vez na história do Fórum, o Grupo tem como objetivo assegurar que as questões de sustentabilidade sejam incorporadas aos processos e declarações das demais comissões do Fórum.

Dentre as propostas conclusivas estão:

  • Os governos devem anunciar compromissos nacionais voluntários para aumentar sua ambição em alcançar as metas do ODS 6 e de outros ODS relacionados à água;
  • Os fundos e instrumentos financeiros inovadores em todos os níveis precisam ser desenvolvidos para garantir que os objetivos do ODS  possam ser alcançados, incentivar a estabilidade e resolução pacífica de conflitos através de acordos e alianças, bem como apoiar a mitigação e a adaptação às mudanças climáticas em todas as escalas relevantes;
  • A cooperação transfronteiriça da água, baseada em soluções vantajosas para todos, contribui para o desenvolvimento sustentável;
  • O conhecimento e monitoramento precisam avançar a nível nacional em muitos campos e ser melhor utilizados. Os indicadores atuais não são suficientes para monitorar os objetivos estabelecidos pelos países nos SDGs e os novos sub-indicadores precisam ser antecipados. A finalização da Comissão de Estatística da ONU sobre a metodologia dos indicadores do Nível III relativos à Água é necessária;
  • A ciência, incluindo as ciências humanas, a informação, a tecnologia e a inovação em geral beneficiada pelo conhecimento tradicional, deve ser reconhecida pelos decisores políticos como o núcleo para desenvolver e implementar soluções sábias e sólidas;
  • É necessária uma forte colaboração e cooperação entre os componentes da sociedade em geral, incluindo comunidades de povos indígenas e grupos minoritários, setor privado e financeiro, acadêmicos e decisores políticos, assim como o fortalecimento da capacitação;

Sobre o CEBDS:

Fundado em 1997 por um grupo de grandes empresários brasileiros, o CEBDS (Conselho Empresarial Brasileiro para o Desenvolvimento Sustentável) é uma associação civil sem fins lucrativos que promove o desenvolvimento sustentável por meio da articulação junto aos governos e a sociedade civil, além de divulgar os conceitos e práticas mais atuais sobre o tema. O Conselho reúne cerca de 60 dos maiores grupos empresariais do país, com faturamento equivalente a 40% do PIB, e responsáveis por mais de 1 milhão de empregos diretos. Além de ser o representante no Brasil da rede do World Business Council for Sustainable Development (WBCSD).