Notícias

CEBDS realiza o Sustentável 2015

Data: 09/10/2015

Área: Institucional

O “7º Congresso Internacional Sustentável 2015”, promovido pelo Conselho Empresarial para o Desenvolvimento Sustentável (CEBDS), reuniu nesta quinta-feira  (08 de outubro) cerca de 800 pessoas no auditório do Parque Ibirapuera, em São Paulo. Com foco nos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável da ONU (ODS) e na Conferência de Clima de Paris (COP 21), os convidados foram instigados a dissertar sobre a nova agenda do desenvolvimento econômico e sustentável do planeta, além de responder a pergunta tema do Congresso: “O Futuro é Agora?”.

“O Brasil vive um momento chave para investir mais fortemente em uma economia de baixo carbono, considerando os compromissos ambientais que a presidente Dilma anunciou há duas semanas, em Nova Iorque. As empresas terão um papel chave para que isso se torne realidade. Para isso é preciso um ambiente que sinalize claramente quais os investimentos realmente serão incentivados. O objetivo desse evento é traduzir para as companhias e para o grande público como podem contribuir para o cumprimento dos ODS, fazendo com que ações e tecnologias sustentáveis sejam implementadas em seus negócios”, afirmou Marina Grossi, presidente do CEBDS.

O primeiro painel, moderado por Thereza Lobo, diretora do movimento Rio Como Vamos, foi composto por Ana Carolina Szklo, gerente de Projetos e Conteúdo do CEBDS; Claudia Lorenzo, vice-presidente de Relações Corporativas da Coca-Cola do Brasil; José Eli da Veiga, professor sênior do Instituto de Energia e Ambiente da USP e Marcelo Martinez, coordenador-geral do Desenvolvimento Sustentável do Ministério das Relações Exteriores. Durante a conversa foi questionado o papel das empresas no processo de desenvolvimento sustentável da sociedade e como as companhias podem ajudar com inovação, tecnologia e soluções de negócios para o tema.

Claudia Lorenzo destacou que é interesse das empresas que haja este engajamento. “A parte social e ambiental das empresas deve estar diretamente ligada aos interesses de lucratividade, para que haja engajamento no cumprimento das metas. Na Coca-Cola, nossas metas são todas norteadas pelos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS)”, afirmou.

Com o tema “O papel central da educação para sociedades sustentáveis”, o segundo painel reuniu Daniel Vargas, professor de direito da Fundação Getúlio Vargas; Maggi Krause, diretora da Fundação Victor Civita; André Barrence, sócio-diretor da plataforma de ensino Geekie, e Tião Rocha, presidente do Centro Popular de Cultura e Desenvolvimento (CPCD).

O desafio de qualificar a educação foi o tema abordado por todos os painelistas. A empatia e o compartilhamento de informações são os principais pontos para conseguir elevar a qualidade do ensino no Brasil, pois é impossível conseguir isso de forma isolada. O destaque do painel foi o discurso de Tião Rocha. De professor universitário, ele passou a ser educador em um projeto próprio, que leva educação para comunidades carentes do Maranhão, Minas Gerais e São Paulo. “Precisamos oferecer para as pessoas causas que as transformem. As pessoas gostam de aprender, mas odeiam estudar, pois as escolas se tornaram chatas com modelos hierárquicos definidos, assim como os presídios e manicômios”, disse.

Crescimento e prosperidade foi o tema central do painel de número três que teve como mediadora Marina Grossi, presidente do CEBDS. Entre os assuntos abordados pelos participantes, o destaque foi para o papel do setor financeiro como indutor de práticas responsáveis e para a valoração do carbono no Brasil. Paulo Stark, presidente da Siemens do Brasil, anunciou que a companhia tem metas de reduzir a emissão de carbono pela metade até 2020 e totalmente até 2030. O executivo afirmou ainda que a tecnologia não é empecilho para boas práticas sustentáveis. “A tecnologia existe e é acessível financeiramente, o problema, principalmente no Brasil, é que as empresas se sentem inseguras sobre investimentos com retorno acima de 30 meses, além de terem medo de mudanças em épocas de crise”, disse.

Para Nigel Topping, presidente do We Mean Business não há escassez de recursos financeiros, o que existe são barreiras psicológicas que inibem as oportunidades. “A hora é de agir. É preciso calcular os riscos e as oportunidades. Os investidores estão focados em empresas que oferecem baixo consumo de carbono”, diz. Peter White, diretor de Operações do Conselho Empresarial Mundial para o Desenvolvimento Sustentável (WBCSD), também disse que o Brasil se beneficiaria com a precificação de carbono. “Esse tipo de iniciativa traz credibilidade internacional. Para mim soa estranho o Brasil ainda não fazer parte desse movimento”, concluiu.

O quarto painel foi marcado pela presença de Justine Bell, gerente sênior do Climate Bonds Iniciative. Segundo ela, os títulos verdes são títulos de empresas que se preocupam com o futuro e vez mais os investidores têm buscado este tipo de títulos. “Em 2013 os títulos verdes foram lançados no mercado e notamos uma diferença significativa na base de investidores. Não existe escassez de capital, mas existe uma transição notável de tipo de ações que os investidores buscam”, conclui.

O evento conta com patrocínio de Abril, Itáu, Bradesco, Braskem, Santander, Siemens, Shell, Alcoa e Votorantim.

Veja o que saiu na mídia:

Diário do Nordeste

Diário do Nordeste

 

Valor Econômico

Valor 2 Valor Econômico

 



Empresas Relacionadas

Bradesco
Itaú
Santander
Siemens
Shell
Votorantim
Grupo Abril associado CEBDS
Veja todas as Empresas

Eventos Relacionados

Entenda o que é Economia Circular de Água

O coordenador da Câmara Temática de Água, André Ramalho, explica em entrevista os principais conceitos sobre o tema e como aplicá-los.

A experiência de FURNAS com o reaproveitamento da água

O presidente de Furnas Centrais Elétricas, Ricardo Medeiros, participa da campanha #TodosJuntospelaÁgua com um artigo sobre a recente implementação de um sistema de reaproveitamento de água em uma subestação na Zona Oeste do no Rio de Janeiro.

Precisamos falar sobre água

Confira o artigo do gerente de Desenvolvimento Sustentável da Braskem, Mario Pino, que fala sobre como cada vez mais empresas vêm investindo em novas formas do cuidado com a água. O texto faz parte da campanha digital #TodosJuntospelaÁgua.

Floresta (e responsabilidade) para quem quer água

Confira o artigo da gerente executiva da Reservas Votorantim, Frineia Rezende, sobre desperdício e o papel importante das floresta produtoras de água. O texto faz parte da campanha digital #TodosJuntospelaÁgua.

Saiba como a alta liderança da sua empresa pode se engajar com o tema água

Saiba mais como o Guia do CEO sobre Água poderá ajudar a alta liderança da sua empresa a ver a importância do tema água não apenas como insumo, mas como diferencial para os negócios.

Passos Largos e Urgentes para o Futuro

Leia o novo artigo da presidente do CEBDS, Marina Grossi, sobre o momento crucial, em que se voltam para a água os olhos não só da sociedade civil, e do terceiro setor, mas especialmente dos governos e das empresas. Confira!

Passos largos e urgentes para o futuro

Confira o artigo da presidente do CEBDS, Marina Grossi, publicado na revista Águas do Brasil que fala sobre como a escassez hídrica dos últimos anos no mundo tem feito com que a pauta da água suba rapidamente ao topo da lista de prioridades a serem tratadas com urgência.

A falta de acesso à água contribui para a desigualdade de gênero

Segundo a Unicef, se somarmos o tempo que mulheres e meninas gastam para coletar água, em todo o mundo, chegamos a inacreditáveis 200 milhões de horas por dia!

6 soluções de países diferentes contra a escassez de água

Muitos países já sofreram com secas e conseguiram contornar este cenário. O Brasil, com a união entre o poder público e privado, precisa se inspirar nesses casos internacionais bem-sucedidos. Conheça!

Energia solar já é realidade?

Confira mais um texto feito no âmbito da parceria entre o Secovi Rio e o CEBDS, por meio do Projeto de Eficiência Energética em Edificações (EEB Lab). Desta vez, falamos sobre energia solar!

Saiba como economizar energia em 5 passos

Você sabia que o setor de edificações consome mais energia elétrica do que a indústria? Saiba mais no post que faz parte da parceria do Secovi Rio com o Projeto de Eficiência Energética em Edificações (EEB Lab) e CEBDS.

Água e falta de participação social

"Hoje a agenda [de água] enfraqueceu, justo quando deveria ser tema central, uma vez que a água será o recurso mais afetado pelas mudanças climáticas. A ONU estima que, até 2030, o deficit entre demanda e oferta deve alcançar 40%". Clique e confira mais sobre o artigo da presidente do CEBDS no Correio Braziliense.

Um novo amanhã é possível – Conheça o CEBDS!

Mais do que nunca, é hora de reunirmos as pessoas, empresas e governos para construirmos um novo amanhã.

Entenda o que é aquecimento global

Você já deve ter ouvido as palavras “efeito estufa”, “aquecimento global” e “mudança climática” por aí, mas você sabe realmente o que são? O nosso planeta está sofrendo hoje as consequências de um processo que o ser humano começou há séculos atrás.

Manual de compras sustentáveis: como proceder?

Veja um manual de como as empresas devem proceder para incluir os critérios de sustentabilidade ao realizar suas compras. Confira!

O que é Capital Natural?

Hoje somos afetados pelos impactos causados ao nosso modo de vida, devido ao mau uso desses recursos, sendo necessário repensar a maneira como lidamos com os recursos naturais. Conheça o conceito de Capital Natural e entenda o valor dos recursos naturais em relação a um produto ou serviço.

Carta aberta ao presidente Temer

Em artigo publicado na Folha de S. Paulo, Israel Klabin direciona uma carta ao presidente da República solicitando a não ratificação das MPs 756 e 758. Confira!

Industrialização Inclusiva X Negócios

A presidente do CEBDS, Marina Grossi, fala em entrevista exclusiva à FIESP sobre a industrialização inclusiva como forma de integrar o desenvolvimento sustentável em seu negócio. Confira a entrevista.

Sustentabilidade é bom negócio

Confira o artigo da presidente do CEBDS, Marina Grossi, publicado no jornal O Globo.

Sustentabilidade Urbana: uma nova agenda para as cidades

A construção de cidades mais sustentáveis é um desafio que só pode ser alcançado com base em modelos modernos e inovadores, capazes de construir instrumentos de congregação dos esforços da esfera pública com as forças da sociedade civil e da iniciativa empresarial.

Entenda a NDC brasileira

Assista ao vídeo produzido pelo CEBDS com o apoio do We Mean Business e entenda as metas da Contribuição Nacionalmente Determinada (NDC, na sigla em inglês) brasileira.

Quais são as metas do Brasil para o Acordo de Paris?

Entenda o papel da NDC brasileira nessa jornada e por que ela é tão importante para obtenção de resultados concretos rumo ao desenvolvimento sustentável. Confira!

Gestão de Recursos Hídricos: o que é e como aplicar em minha empresa?

Uma importante questão é que a gestão de recursos hídricos vai muito além do simples racionamento ou economia. Trata-se de mapear riscos e oportunidades que englobam o tema.

Títulos verdes no Brasil

Confira o novo artigo da presidente do CEBDS, Marina Grossi, no site do Projeto Colabora sobre como os gestores estão se unindo para estruturar o mercado brasileiro de investimentos em projetos ambientais.

Trabalhar pelo Acordo de Paris: um compromisso do Brasil

Compete ao CEBDS ser o combustível para incitamos nossas empresas associadas a mostrar suas ações realizadas para ajudar o Brasil a honrar os compromissos assumidos no âmbito do Acordo de Paris e, também, a convocar outras empresas para fazer o mesmo. Conheça mais sobre a corrente #JuntosPeloClima.

Siemens neutralizará sua emissão de CO2 até 2030

Além de apoiar seus clientes, a Siemens estabeleceu o objetivo de ser a primeira empresa industrial do mundo a conseguir atingir a pegada de carbono zero até 2030 em sua própria operação. Saiba sobre essas e mais ações na corrente #JuntosPeloClima.

Unilever mostra que atuação sustentável impulsiona crescimento

De 2008 a 2015, a Unilever reduziu em 36,09 % a emissão de gases de efeito estufa (GEE) e o consumo de água, além de diminuir em 95,36% a geração de resíduo por tonelada produzida. Saiba mais ações sobre as ações da empresa na corrente #JuntosPeloClima.

Mais eólicas para o Brasil alcançar as metas do Acordo de Paris

FURNAS apostou na diversificação das fontes de energia, limpas e renováveis, que apresentam uma boa relação risco x rentabilidade e contribuem para o crescimento sustentável da empresa e do Brasil. Saiba mais sobre essa e outras ações na corrente #JuntosPeloClima.

Mudanças climáticas e o papel de cada um

A Ticket Log criou dois programas que conversam ativamente com a questão das mudanças climáticas. Conheça essas ações e de outras iniciativas da empresa na corrente #JuntosPeloClima.

Como contribuímos para um mundo mais sustentável

Conheça as ações da CPFL Renováveis apresentada na corrente #JuntosPeloClima que contribuem para a implementação dos compromissos assumidos pelo Brasil em Paris, por meio da geração de energia por fontes alternativas (eólica, solar e biomassa).

Da fazenda ao porto e do porto para fora, AMAGGI incorpora sustentabilidade em seus negócios

Ao longo dos anos, a AMAGGI vem progressivamente incorporando a sustentabilidade em todas as suas áreas de negócios. Conheça as ações e métodos apresentados na corrente #JuntosPeloClima. Confira!

Energia segura e sustentável também para as áreas remotas do Brasil

Conheça o Programa de Acesso à Energia que a Schneider Eletric apresenta na corrente #JuntosPeloClima em prol do desenvolvimento sustentável de comunidades rurais e remotas, aumentando a eficiência energética e diminuindo a emissão de gases de efeitos estufa.

O papel do setor privado no desenvolvimento de um futuro sustentável

Conheça as ações e resultados que a Suzano Papel e Celulose apresenta na corrente #JuntosPeloClima tornando a matriz energética da empresa mais limpa, além de outras ações que contribuem para a construção de um mundo melhor.

Inovar e cocriar para proteger o clima

Conheça as metas e soluções que a BASF apresenta na ação #JuntosPeloClima no combate às mudanças climáticas. Clique e confira!

Nossos produtos, as suas escolhas e o clima do Planeta

O Grupo Boticário apresenta na corrente #JuntosPeloClima as ações da empresa e da sua Fundação que estimulam atitudes sustentáveis impactando diretamente no clima no Planeta.

Emissões evitadas de carbono do Legado das Águas/Votorantim somam U$ 14 milhões

A Votorantim apresenta na corrente #JuntosPeloClima o Legado das Águas, a maior reserva privada de Mata Atlântica e uma importante contribuição para o planeta.

Aegea aposta na eficiência do uso da água e restauração florestal para reduzir emissões

Conheça os projetos e sistemas que a Aegea apresenta na corrente #JuntosPeloClima em prol da segurança hídrica e de ações de impacto positivo no ecossistema.

Monsanto fornece hidrogênio para reduzir emissão de gás carbônico na Bahia

Conheça as ações e as metas que a Monsanto apresenta na corrente #JuntosPeloClima que pavimentam o objetivo de chegar a 2021 com uma produção totalmente neutra na emissão de carbono.

Vale: a mineração se reinventa

Conheça os projetos e as ações que a Vale apresenta na corrente #JuntosPeloClima que agregam soluções alinhadas aos esforços mundiais de redução das emissões de GEE e da manutenção de uma gestão equilibrada dos recursos naturais nos processos.

Brasil Kirin aposta em iniciativas para reduzir emissões de CO2

Conheça as iniciativas que a Brasil Kirin apresenta na corrente #JuntosPeloClima que contribuem para reduzir a emissão de CO2 entregando benefícios para todo o planeta.

A Alcoa está comprometida com mitigação e adaptação às mudanças climáticas

Conheça as ações que a Alcoa apresenta na corrente #JuntosPeloClima que contribuem com os esforços nacionais e globais de redução dos impactos das mudanças climáticas.
Veja todos os eventos

Multimidias Relacionadas

Sustentável 2015

13/10/2015
Veja todas as Multimidias