Notícias

FEBRABAN e CEBDS lançam Guia para Emissão de Títulos Verdes no Brasil

Data: 21/10/2016

Área: Finanças

A Federação Brasileira de Bancos (FEBRABAN) e o Conselho Empresarial Brasileiro para o Desenvolvimento Sustentável (CEBDS) lançaram nesta sexta-feira (21), em São Paulo, o Guia para Emissão de Títulos Verdes no Brasil 2016 , com o objetivo de orientar os participantes e interessados no mercado de renda fixa brasileiro em relação ao processo de emissão desses papéis e também contribuir para o seu desenvolvimento no país.

Para Murilo Portugal, presidente da FEBRABAN, o acordo histórico assinado em 2015, em Paris, durante a COP21, indicou a urgência de aumentar a oferta de recursos financeiros para ações de mitigação e adaptação às mudanças climáticas, em volumes que exigirão a criação de novos instrumentos de financiamento, e a participação de governos e do setor privado.

Marina Grossi, presidente do CEBDS, destacou que o desafio em todo o mundo é fazer com que os investimentos destinados à transição para uma economia de baixo carbono passem da casa dos bilhões para os trilhões. Neste contexto, a emissão de títulos verdes é estratégica e propicia uma série de benefícios. “Para o emissor está o acesso a novos investidores e ganhos reputacionais; para o investidor há maior transparência na utilização dos recursos, o que pode resultar em menores riscos associados ao investimento”, pontuou.

Para que o Brasil alcance as metas com as quais se comprometeu no âmbito do Acordo de Paris, o secretário de Mudanças Climáticas e Qualidade Ambiental do Ministério do Meio Ambiente, Everton Lucero, afirmou que o financiamento deve estar no centro da estratégia. Nesse sentido, ele qualificou os títulos verdes como um instrumento importante, capaz de trazer as questões ambientais para o cerne da tomada de decisão.

Títulos Verdes

Os títulos verdes (green bonds, no mercado internacional) são papéis de renda fixa usados para captar recursos com o propósito de implantar ou refinanciar projetos e compra de ativos capazes de trazer benefícios ao meio ambiente ou ainda contribuir para amenizar os efeitos das mudanças climáticas.

São exemplos de instrumentos financeiros regulamentados no Brasil que poderiam ser enquadrados como títulos verdes: cotas de fundos de investimento em direitos creditórios (FIDC), debêntures, debêntures incentivadas de infraestrutura, letras financeiras, notas promissórias, certificado de recebíveis do agronegócio (CRA) e certificado de recebíveis imobiliários (CRI).

As primeiras emissões dos títulos verdes foram realizadas pelo Banco Europeu de Investimento e pelo Banco Mundial em 2007 e 2008, respectivamente e, desde então, este novo mercado registra um rápido crescimento, com emissões em mais de 25 moedas e dezenas de países.

O total de emissões mundiais em títulos verdes passou de US$ 3 bilhões, em 2012, para US$ 42 bilhões, em 2015. Para 2016, a previsão é que esse montante alcance os US$ 100 bilhões, segundo estimativa da Climate Bonds Initiative, organização internacional sem fins lucrativos dedicada a fomentar o mercado de títulos verdes e climáticos. “Um dos instrumentos financeiros disponíveis para países de mercado sofisticado e maduro como o Brasil são os green bonds, os títulos verdes, objeto do guia que lançamos hoje”, destaca a entidade.

Guia para Emissão de Títulos Verdes no Brasil 2016

O guia é destinado a potenciais emissores destes papéis – como empresas e instituições financeiras -, coordenadores – também chamados de underwriters, são contratados pelo emissor para atuar na operação -, investidores, agentes de avaliação externa e outros participantes. O documento tem o objetivo de fornecer orientações que auxiliem os agentes de mercado no processo de enquadramento para a emissão de um título verde.

O Guia para Emissão de Títulos Verdes no Brasil 2016 está dividido em cinco partes: O que são Títulos Verdes; Como Emitir Títulos Verdes no Brasil; Modelos de Emissão, Potencial do Mercado de Títulos Verdes no Brasil, e Tendências internacionais.

Declaração

Durante o evento de lançamento, importantes investidores que atuam no Brasil se comprometeram a assinar a Declaração de Investidores sobre Títulos Verdes, documento que visa fomentar a discussão e futura emissão destes títulos no mercado local. A ação é uma iniciativa da Climate Bonds Initiative (CBI), Principles for Responsible Investment (PRI) e SITAWI Finanças do Bem. O documento é baseado na declaração global assinada por investidores em Paris, durante a COP 21.

De acordo com estas instituições, Itaú Asset, Santander Asset, Sulamérica e BTG Pactual assinarão a declaração e outras dez instituições já demonstraram interesse em ser signatárias. A declaração global conta com o apoio de 27 investidores institucionais, representando US$ 11,2 trilhões de ativos sob gestão.

De acordo com a gerente sênior do CBI, Justine Bell, Itaú Asset, Santander Asset, Sulamérica e BTG Pactual assinarão a declaração e outras dez instituições já demonstraram interesse em ser signatárias. “A declaração global conta com o apoio de 27 investidores institucionais, representando US$ 11,2 trilhões de ativos sob gestão”, detalhou.

Também participaram do evento a superintendente executiva de Sustentabilidade Banco Santander, Linda Murasawa; a superintendente de Fundos do Itaú Asset Management, Tatiana Grecco; o gerente executivo de Finanças Corporativas da Suzano Papel & Celulose, Guilherme Hirata; a superintendente de Finanças Corporativas da CPFL Renováveis, Carla Cardilo; a senior investment officer da Corporação Financeira Internacional (IFC), Verónica Rita Garcia Seffino; e o diretor de Finanças Sustentáveis da Sitawi, Gustavo Pimentel.



Publicações Relacionadas

Guia para a Emissão de Títulos Verdes no Brasil 2016

Ver publicação
Veja todas as publicacoes

Eventos Relacionados

A perenidade dos negócios passa pela agenda sustentável

A agenda global da sustentabilidade da ArcelorMittal está em sintonia com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável. Saiba mais na ação #PorUmMundoMelhor, iniciativa do CEBDS.

Vale investe em tecnologia social para o desenvolvimento das comunidades

Confira as ações que a Vale desenvolve para alcançar o desenvolvimento sustentável por meio do relacionamento com as comunidades onde atua #PorUmMundoMelhor. Saiba mais!

Como as empresas podem contribuir para um mundo melhor?

Em setembro deste ano, os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS) completam dois anos. Em celebração a essa data, o CEBDS inicia a ação #PorUmMundoMelhor. Idealizada pela CTCom e CTSocial do CEBDS, a ação pretende estimular as empresas associadas ao Conselho a contar como estão trabalhando em prol dos ODS.

Água e falta de participação social

"Hoje a agenda [de água] enfraqueceu, justo quando deveria ser tema central, uma vez que a água será o recurso mais afetado pelas mudanças climáticas. A ONU estima que, até 2030, o deficit entre demanda e oferta deve alcançar 40%". Clique e confira mais sobre o artigo da presidente do CEBDS no Correio Braziliense.

Um novo amanhã é possível – Conheça o CEBDS!

Mais do que nunca, é hora de reunirmos as pessoas, empresas e governos para construirmos um novo amanhã.

Entenda o que é aquecimento global

Você já deve ter ouvido as palavras “efeito estufa”, “aquecimento global” e “mudança climática” por aí, mas você sabe realmente o que são? O nosso planeta está sofrendo hoje as consequências de um processo que o ser humano começou há séculos atrás.

Manual de compras sustentáveis: como proceder?

Veja um manual de como as empresas devem proceder para incluir os critérios de sustentabilidade ao realizar suas compras. Confira!

O que é Capital Natural?

Hoje somos afetados pelos impactos causados ao nosso modo de vida, devido ao mau uso desses recursos, sendo necessário repensar a maneira como lidamos com os recursos naturais. Conheça o conceito de Capital Natural e entenda o valor dos recursos naturais em relação a um produto ou serviço.

Carta aberta ao presidente Temer

Em artigo publicado na Folha de S. Paulo, Israel Klabin direciona uma carta ao presidente da República solicitando a não ratificação das MPs 756 e 758. Confira!

Industrialização Inclusiva X Negócios

A presidente do CEBDS, Marina Grossi, fala em entrevista exclusiva à FIESP sobre a industrialização inclusiva como forma de integrar o desenvolvimento sustentável em seu negócio. Confira a entrevista.

Sustentabilidade é bom negócio

Confira o artigo da presidente do CEBDS, Marina Grossi, publicado no jornal O Globo.

Sustentabilidade Urbana: uma nova agenda para as cidades

A construção de cidades mais sustentáveis é um desafio que só pode ser alcançado com base em modelos modernos e inovadores, capazes de construir instrumentos de congregação dos esforços da esfera pública com as forças da sociedade civil e da iniciativa empresarial.

Entenda a NDC brasileira

Assista ao vídeo produzido pelo CEBDS com o apoio do We Mean Business e entenda as metas da Contribuição Nacionalmente Determinada (NDC, na sigla em inglês) brasileira.

Quais são as metas do Brasil para o Acordo de Paris?

Entenda o papel da NDC brasileira nessa jornada e por que ela é tão importante para obtenção de resultados concretos rumo ao desenvolvimento sustentável. Confira!

Gestão de Recursos Hídricos: o que é e como aplicar em minha empresa?

Uma importante questão é que a gestão de recursos hídricos vai muito além do simples racionamento ou economia. Trata-se de mapear riscos e oportunidades que englobam o tema.

Títulos verdes no Brasil

Confira o novo artigo da presidente do CEBDS, Marina Grossi, no site do Projeto Colabora sobre como os gestores estão se unindo para estruturar o mercado brasileiro de investimentos em projetos ambientais.

Trabalhar pelo Acordo de Paris: um compromisso do Brasil

Compete ao CEBDS ser o combustível para incitamos nossas empresas associadas a mostrar suas ações realizadas para ajudar o Brasil a honrar os compromissos assumidos no âmbito do Acordo de Paris e, também, a convocar outras empresas para fazer o mesmo. Conheça mais sobre a corrente #JuntosPeloClima.

Siemens neutralizará sua emissão de CO2 até 2030

Além de apoiar seus clientes, a Siemens estabeleceu o objetivo de ser a primeira empresa industrial do mundo a conseguir atingir a pegada de carbono zero até 2030 em sua própria operação. Saiba sobre essas e mais ações na corrente #JuntosPeloClima.

Unilever mostra que atuação sustentável impulsiona crescimento

De 2008 a 2015, a Unilever reduziu em 36,09 % a emissão de gases de efeito estufa (GEE) e o consumo de água, além de diminuir em 95,36% a geração de resíduo por tonelada produzida. Saiba mais ações sobre as ações da empresa na corrente #JuntosPeloClima.

Mais eólicas para o Brasil alcançar as metas do Acordo de Paris

FURNAS apostou na diversificação das fontes de energia, limpas e renováveis, que apresentam uma boa relação risco x rentabilidade e contribuem para o crescimento sustentável da empresa e do Brasil. Saiba mais sobre essa e outras ações na corrente #JuntosPeloClima.

Mudanças climáticas e o papel de cada um

A Ticket Log criou dois programas que conversam ativamente com a questão das mudanças climáticas. Conheça essas ações e de outras iniciativas da empresa na corrente #JuntosPeloClima.

Como contribuímos para um mundo mais sustentável

Conheça as ações da CPFL Renováveis apresentada na corrente #JuntosPeloClima que contribuem para a implementação dos compromissos assumidos pelo Brasil em Paris, por meio da geração de energia por fontes alternativas (eólica, solar e biomassa).

Da fazenda ao porto e do porto para fora, AMAGGI incorpora sustentabilidade em seus negócios

Ao longo dos anos, a AMAGGI vem progressivamente incorporando a sustentabilidade em todas as suas áreas de negócios. Conheça as ações e métodos apresentados na corrente #JuntosPeloClima. Confira!

Energia segura e sustentável também para as áreas remotas do Brasil

Conheça o Programa de Acesso à Energia que a Schneider Eletric apresenta na corrente #JuntosPeloClima em prol do desenvolvimento sustentável de comunidades rurais e remotas, aumentando a eficiência energética e diminuindo a emissão de gases de efeitos estufa.

O papel do setor privado no desenvolvimento de um futuro sustentável

Conheça as ações e resultados que a Suzano Papel e Celulose apresenta na corrente #JuntosPeloClima tornando a matriz energética da empresa mais limpa, além de outras ações que contribuem para a construção de um mundo melhor.

Inovar e cocriar para proteger o clima

Conheça as metas e soluções que a BASF apresenta na ação #JuntosPeloClima no combate às mudanças climáticas. Clique e confira!

Nossos produtos, as suas escolhas e o clima do Planeta

O Grupo Boticário apresenta na corrente #JuntosPeloClima as ações da empresa e da sua Fundação que estimulam atitudes sustentáveis impactando diretamente no clima no Planeta.

Emissões evitadas de carbono do Legado das Águas/Votorantim somam U$ 14 milhões

A Votorantim apresenta na corrente #JuntosPeloClima o Legado das Águas, a maior reserva privada de Mata Atlântica e uma importante contribuição para o planeta.

Aegea aposta na eficiência do uso da água e restauração florestal para reduzir emissões

Conheça os projetos e sistemas que a Aegea apresenta na corrente #JuntosPeloClima em prol da segurança hídrica e de ações de impacto positivo no ecossistema.

Monsanto fornece hidrogênio para reduzir emissão de gás carbônico na Bahia

Conheça as ações e as metas que a Monsanto apresenta na corrente #JuntosPeloClima que pavimentam o objetivo de chegar a 2021 com uma produção totalmente neutra na emissão de carbono.

Vale: a mineração se reinventa

Conheça os projetos e as ações que a Vale apresenta na corrente #JuntosPeloClima que agregam soluções alinhadas aos esforços mundiais de redução das emissões de GEE e da manutenção de uma gestão equilibrada dos recursos naturais nos processos.

Brasil Kirin aposta em iniciativas para reduzir emissões de CO2

Conheça as iniciativas que a Brasil Kirin apresenta na corrente #JuntosPeloClima que contribuem para reduzir a emissão de CO2 entregando benefícios para todo o planeta.

A Alcoa está comprometida com mitigação e adaptação às mudanças climáticas

Conheça as ações que a Alcoa apresenta na corrente #JuntosPeloClima que contribuem com os esforços nacionais e globais de redução dos impactos das mudanças climáticas.
Veja todos os eventos

Multimidias Relacionadas

Febraban e CEBDS anunciam criação de guia sobre Green Bonds

11/07/2016
Veja todas as Multimidias