Notícias

Marcos do Conselho de Líderes

Data: 08/04/2016

Área: Clima, Institucional, Logística e Transportes

 

 

Do que o Brasil precisa para crescer? E, principalmente, crescer de modo sustentável e harmonioso com a realidade global e as necessidades presentes e futuras da população? Desafiados por essas questões, CEOS e altos executivos de alguns dos mais expressivos grupos empresariais em atuação no país reuniram-se em um Conselho de Líderes, disposto a construir um diálogo permanente da iniciativa privada com a sociedade civil e o poder público em todas as suas esferas. O objetivo é compartilhar uma visão de futuro comum a diferentes segmentos empresariais e propor soluções para gargalos que hoje entravam a competitividade e o desenvolvimento sustentável brasileiro.

O Conselho de Líderes (CL) foi formado em março de 2015, como uma instância do Conselho Empresarial Brasileiro para o Desenvolvimento Sustentável (CEBDS), que reúne 70 grandes grupos empresariais, responsáveis pela geração de 40% do PIB nacional e de 1 milhão de empregos diretos. O CL é composto por cerca de 20 CEOs desses grupos e atua com base na “Agenda CEBDS – Por um País Sustentável”, documento com 22 propostas, desenvolvido pelo CEBDS e discutido com os principais candidatos à presidência em 2014.

“Esse grupo tem uma constituição elástica e está aberto às participações de empresas associadas ao CEBDS. A condição é que seja integrado por lideranças com visão estratégica e poder decisório para definir prioridades”, explica a presidente do CEBDS, Marina Grossi, economista com vasto currículo como negociadora do Brasil na Conferência das Partes (COP) entre 1997 a 2001, e como coordenadora do Fórum Brasileiro de Mudanças Climáticas entre 2001 e 2003.

Dentre as funções do CL está justamente a identificação dos assuntos mais prementes para o setor produtivo e o momento do país. Para preservar a transparência e a aderência aos interesses da sociedade civil, ele prevê a participação de observadores independentes. Função hoje exercida pela cientista Suzana Kahn Ribeiro, professora da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e membro do Painel Intergovernamental de Mudanças Climáticas (IPCC, na sigla em inglês), e pelo executivo Fabio Barbosa, membro do Conselho de Administração do Itaú Unibanco e ex-presidente do Grupo Abril e dos bancos Santander e ABN Real.

Os primeiros frutos da atuação do Conselho de Líderes são dois estudos já em fase de finalização: “Financiamento à Energia Renovável: Entraves, Desafios e Oportunidades” e “Consumo Eficiente de Energia: Uma Agenda para o Brasil”. A apresentação oficial da íntegra desses documentos acontecerá em 5 de maio próximo, durante evento no Museu do Meio Ambiente, localizado dentro do Jardim Botânico, no Rio de Janeiro (RJ). Mas Marina Grossi adianta que eles avançam em cinco aspectos.

  • Identificar o potencial de conservação de energia elétrica do Brasil;
  • Desenhar cenários de conservação de energia até 2030, com base na meta de eficiência elétrica da INDC (compromissos do Brasil no Acordo de Paris) e simulação da operação do Sistema Interligado Nacional (SIN);
  • Detectar as principais barreiras ao aproveitamento do potencial de conservação disponível;
  • Propor medidas para superar as barreiras hoje existentes e atingir os níveis de conservação de energia estabelecidos nos cenários simulados;
  • Avaliar o investimento necessário para a implementação dessa agenda e as alternativas para a captação dos recursos;
  • Mapear os fatores que ainda inibem o investimento na geração de energia renovável alternativa, tais como pequenas centrais hidrelétricas, energia eólica e fotovoltaica;
  • Elencar soluções financeiras, regulatórias e de mercado para a diminuição dos riscos de investimento  na geração alternativa de energia.

Os documentos preparados com apoio dos líderes empresariais e de observadores da sociedade civil também contribuem com propostas objetivas para o cumprimento dos compromissos assumidos pelo Brasil no ano passado durante a 21ª Conferência Mundial das Nações Unidas sobre o Clima (COP 21), em Paris. “Buscamos soluções que aliam avanço econômico a baixa emissão de carbono. Com a adesão da sociedade civil e do poder público, essas propostas ganham escala para preencher lacunas do nosso compromisso voluntário de redução de emissões de gases de efeito estufa (INDC, na sigla em inglês), que deverá ser ratificado a partir do próximo dia 22 de abril, quando o Acordo de Paris será oficialmente aberto para assinatura, em cerimônia na sede da Organização das Nações Unidas (ONU), em Nova York (EUA)”, afirma Grossi.

Principais momentos do Conselho de Líderes do CEBDS

linha do tempo conselho de líderes 2



Publicações Relacionadas

Estudo de Melhoria e Desenvolvimento de sistemas de Transporte de Cargas por Malha Ferroviária Eletrificada

Ver publicação
Financiamento-a-Energia-Renovavel-Entraves-desafios-e-oportunidades-e-Consumo-eficiente-de-energia-eletrica-uma-agenda-para-o-Brasil

Financiamento à Energia Renovável e Consumo Eficiente de Energia Elétrica

Ver publicação
Veja todas as publicacoes

Eventos Relacionados

Manual de compras sustentáveis: como proceder?

Veja um manual de como as empresas devem proceder para incluir os critérios de sustentabilidade ao realizar suas compras. Confira!

O que é Capital Natural?

Hoje somos afetados pelos impactos causados ao nosso modo de vida, devido ao mau uso desses recursos, sendo necessário repensar a maneira como lidamos com os recursos naturais. Conheça o conceito de Capital Natural e entenda o valor dos recursos naturais em relação a um produto ou serviço.

Carta aberta ao presidente Temer

Em artigo publicado na Folha de S. Paulo, Israel Klabin direciona uma carta ao presidente da República solicitando a não ratificação das MPs 756 e 758. Confira!

Industrialização Inclusiva X Negócios

A presidente do CEBDS, Marina Grossi, fala em entrevista exclusiva à FIESP sobre a industrialização inclusiva como forma de integrar o desenvolvimento sustentável em seu negócio. Confira a entrevista.

Sustentabilidade é bom negócio

Confira o artigo da presidente do CEBDS, Marina Grossi, publicado no jornal O Globo.

Sustentabilidade Urbana: uma nova agenda para as cidades

A construção de cidades mais sustentáveis é um desafio que só pode ser alcançado com base em modelos modernos e inovadores, capazes de construir instrumentos de congregação dos esforços da esfera pública com as forças da sociedade civil e da iniciativa empresarial.

Entenda a NDC brasileira

Assista ao vídeo produzido pelo CEBDS com o apoio do We Mean Business e entenda as metas da Contribuição Nacionalmente Determinada (NDC, na sigla em inglês) brasileira.

Quais são as metas do Brasil para o Acordo de Paris?

Entenda o papel da NDC brasileira nessa jornada e por que ela é tão importante para obtenção de resultados concretos rumo ao desenvolvimento sustentável. Confira!

Gestão de Recursos Hídricos: o que é e como aplicar em minha empresa?

Uma importante questão é que a gestão de recursos hídricos vai muito além do simples racionamento ou economia. Trata-se de mapear riscos e oportunidades que englobam o tema.

Títulos verdes no Brasil

Confira o novo artigo da presidente do CEBDS, Marina Grossi, no site do Projeto Colabora sobre como os gestores estão se unindo para estruturar o mercado brasileiro de investimentos em projetos ambientais.

Trabalhar pelo Acordo de Paris: um compromisso do Brasil

Compete ao CEBDS ser o combustível para incitamos nossas empresas associadas a mostrar suas ações realizadas para ajudar o Brasil a honrar os compromissos assumidos no âmbito do Acordo de Paris e, também, a convocar outras empresas para fazer o mesmo. Conheça mais sobre a corrente #JuntosPeloClima.

Siemens neutralizará sua emissão de CO2 até 2030

Além de apoiar seus clientes, a Siemens estabeleceu o objetivo de ser a primeira empresa industrial do mundo a conseguir atingir a pegada de carbono zero até 2030 em sua própria operação. Saiba sobre essas e mais ações na corrente #JuntosPeloClima.

Unilever mostra que atuação sustentável impulsiona crescimento

De 2008 a 2015, a Unilever reduziu em 36,09 % a emissão de gases de efeito estufa (GEE) e o consumo de água, além de diminuir em 95,36% a geração de resíduo por tonelada produzida. Saiba mais ações sobre as ações da empresa na corrente #JuntosPeloClima.

Mais eólicas para o Brasil alcançar as metas do Acordo de Paris

FURNAS apostou na diversificação das fontes de energia, limpas e renováveis, que apresentam uma boa relação risco x rentabilidade e contribuem para o crescimento sustentável da empresa e do Brasil. Saiba mais sobre essa e outras ações na corrente #JuntosPeloClima.

Mudanças climáticas e o papel de cada um

A Ticket Log criou dois programas que conversam ativamente com a questão das mudanças climáticas. Conheça essas ações e de outras iniciativas da empresa na corrente #JuntosPeloClima.

Como contribuímos para um mundo mais sustentável

Conheça as ações da CPFL Renováveis apresentada na corrente #JuntosPeloClima que contribuem para a implementação dos compromissos assumidos pelo Brasil em Paris, por meio da geração de energia por fontes alternativas (eólica, solar e biomassa).

Da fazenda ao porto e do porto para fora, AMAGGI incorpora sustentabilidade em seus negócios

Ao longo dos anos, a AMAGGI vem progressivamente incorporando a sustentabilidade em todas as suas áreas de negócios. Conheça as ações e métodos apresentados na corrente #JuntosPeloClima. Confira!

Energia segura e sustentável também para as áreas remotas do Brasil

Conheça o Programa de Acesso à Energia que a Schneider Eletric apresenta na corrente #JuntosPeloClima em prol do desenvolvimento sustentável de comunidades rurais e remotas, aumentando a eficiência energética e diminuindo a emissão de gases de efeitos estufa.

O papel do setor privado no desenvolvimento de um futuro sustentável

Conheça as ações e resultados que a Suzano Papel e Celulose apresenta na corrente #JuntosPeloClima tornando a matriz energética da empresa mais limpa, além de outras ações que contribuem para a construção de um mundo melhor.

Inovar e cocriar para proteger o clima

Conheça as metas e soluções que a BASF apresenta na ação #JuntosPeloClima no combate às mudanças climáticas. Clique e confira!

Nossos produtos, as suas escolhas e o clima do Planeta

O Grupo Boticário apresenta na corrente #JuntosPeloClima as ações da empresa e da sua Fundação que estimulam atitudes sustentáveis impactando diretamente no clima no Planeta.

Emissões evitadas de carbono do Legado das Águas/Votorantim somam U$ 14 milhões

A Votorantim apresenta na corrente #JuntosPeloClima o Legado das Águas, a maior reserva privada de Mata Atlântica e uma importante contribuição para o planeta.

Aegea aposta na eficiência do uso da água e restauração florestal para reduzir emissões

Conheça os projetos e sistemas que a Aegea apresenta na corrente #JuntosPeloClima em prol da segurança hídrica e de ações de impacto positivo no ecossistema.

Monsanto fornece hidrogênio para reduzir emissão de gás carbônico na Bahia

Conheça as ações e as metas que a Monsanto apresenta na corrente #JuntosPeloClima que pavimentam o objetivo de chegar a 2021 com uma produção totalmente neutra na emissão de carbono.

Vale: a mineração se reinventa

Conheça os projetos e as ações que a Vale apresenta na corrente #JuntosPeloClima que agregam soluções alinhadas aos esforços mundiais de redução das emissões de GEE e da manutenção de uma gestão equilibrada dos recursos naturais nos processos.

Brasil Kirin aposta em iniciativas para reduzir emissões de CO2

Conheça as iniciativas que a Brasil Kirin apresenta na corrente #JuntosPeloClima que contribuem para reduzir a emissão de CO2 entregando benefícios para todo o planeta.

A Alcoa está comprometida com mitigação e adaptação às mudanças climáticas

Conheça as ações que a Alcoa apresenta na corrente #JuntosPeloClima que contribuem com os esforços nacionais e globais de redução dos impactos das mudanças climáticas.
Veja todos os eventos

Projetos Relacionados

Conselho de Líderes

Composto por lideranças de grupos empresariais associados ao CEBDS (Conselho Empresarial Brasileiro para o Desenvolvimento Sustentável), foi criado em março de 2015, para compartilhar a visão de CEOs e altos executivos de grandes corporações com o poder público de diferentes esferas e a sociedade.
Veja todos os Projetos