Notícias

Setor empresarial discute a gestão da água

Data: 21/03/2014

Área: Água

Setor empresarial discute a gestão da água

 

O uso e a gestão estratégia dos recursos hídricos no setor empresarial foi tema central do Fórum Água, realizado pelo Conselho Empresarial Brasileiro para o Desenvolvimento Sustentável (CEBDS), em parceria com a Ambev, Coca-Cola, HSBC e Programa Água Brasil, uma parceria do Banco do Brasil, ANA e WWF, no dia 19 de março, em São Paulo. “O uso da água é uma questão muito crítica em todo o mundo. O setor empresarial está atento para este desafio, que é inclusive um dos nove temas trabalhos no projeto Ação 2020”, afirmou Marina Grossi, presidente do CEBDS. O evento – que reuniu especialistas do setor empresarial, do governo, da sociedade civil e da academia – foi realizado na semana em que se comemora o Dia Internacional da Água (22 de março).

Para o presidente do Conselho Mundial da Água, Benedito Braga, esse recurso será um motor para o desenvolvimento das economias mais pobres. “Uma vez que os governos entendam que os níveis de gerenciamento de riscos dos recursos hídricos de um país estão diretamente relacionados a uma economia forte, o desenvolvimento humano acontece”, disse Braga.

No primeiro painel do Fórum, os representantes do setor empresarial defenderam uma gestão descentralizada das bacias hidrográficas. “Ainda há muito a melhorar no funcionamento dos 200 Comitês de Bacias que existem, mas o gerenciamento como é feito hoje é essencial para as empresas, já que cada região tem sua peculiaridade e os impactos e dependências diferem de uma região para outra”, observou Fernando Malta, coordenador da Câmara Temática de Água do CEBDS.

Para o presidente do Instituto Trata Brasil, Édison Carlos, é preciso mudar a forma de pensar das lideranças. “A gestão dos comitês precisa ser feita por técnicos, sem vínculo político. Saneamento é uma questão técnica”, disse. “Não basta que o governo entregue obras, é preciso investir nos profissionais que vão cuidar da estação de tratamento. Repassar recurso para quem não sabe utilizá-lo é jogar dinheiro fora”, considerou Ângelo Lima, analista do Programa de Conservação do WWF.

Em relação à questão da gestão estratégica da água para gerenciamento de riscos (tema do segundo painel), na visão da porta-voz do Ministério do Meio Ambiente presente no evento, a falta de conhecimento do cenário futuro em relação às mudanças climáticas impacta num planejamento de longo prazo. “Uma coisa é certa, os esforços em relação às mudanças climáticas já migraram da mitigação para a adaptação”, afirmou Mariana Egler, analista ambiental do MMA. Por sermos um país com matriz energética que depende diretamente do regime de chuvas, a diversificação das fontes de energia é um fator importante para estimular o crescimento do país. “A agricultura pode proporcionar uma nova fonte de energia com o etanol. É preciso perceber o poder da agricultura também na geração de energia”, disse Fabrício Peres, líder da América Latina do Programa “The Good Growth Plan”.

O uso da água na produção de serviços e bens (e no consumo) tem uma metodologia própria de métricas, a partir da pegada hídrica. Mas ainda falta clareza, principalmente para as empresas, da melhor forma de análise da pegada hídrica dos negócios e da comunicação. Para o setor empresarial, é mais difícil entender que nem todo resultado de pegada hídrica é sustentável e que o indicador, por si só, não revela uma gestão sustentável. “A avaliação da pegada hídrica não pode ser global. Cada região de negócio e cada setor da indústria tem suas diferenças”, observou Pedro Almada, analista de Meio Ambiente da Vale e vice-presidente da CTÁgua.

Para demonstrar que as empresas líderes já perceberam a relação direta de impacto e dependência que seus negócios têm com a água, Ambev, Coca-Cola, HSBC e Banco do Brasil apresentaram, durante o quarto painel do Fórum, cases de sucesso na gestão de recursos hídricos. Quando questionadas como as empresas podem ser importantes players na gestão da água, todas foram unânimes em responder que, para dar escala às boas práticas, é preciso muito diálogo e parcerias concretas com objetivos claros e que tenham pontos em comum.

Benefícios Econômicos da Expansão do Saneamento Básico

Durante o ‘Fórum Água: gestão estratégica no setor empresarial’, foi lançada a publicação “Benefícios Econômicos da Expansão do Saneamento Básico”, do Instituto Trata Brasil e do CEBDS. A publicação destaca os principais ganhos que o país teria se alcançasse a universalização dos serviços de água tratada e esgotamento sanitário. Entre várias áreas que melhorariam com esses serviços, o estudo evidencia os benefícios à saúde, educação, trabalho e renda, imóveis e turismo.

Veja a carta do diretor-presidente da Agencia Nacional de Águas sobre o evento.

 

 



Publicações Relacionadas

Relatório Benefícios do Saneamento

Ver publicação

Benefícios Econômicos da Expansão do Saneamento Brasileiro

Ver publicação
Veja todas as publicacoes

Empresas Relacionadas

Coca-Cola
Banco do Brasil
Ambev
Veja todas as Empresas

Eventos Relacionados

CPFL investe em geração distribuída para ampliar acesso da população a fontes renováveis

Saiba como a CPFL Energia vem implementando os ODS em suas estratégias de negócio na campanha #PorUmMundoMelhor!

Vale investe em tecnologia social para o desenvolvimento das comunidades

Confira as ações que a Vale desenvolve para alcançar o desenvolvimento sustentável por meio do relacionamento com as comunidades onde atua #PorUmMundoMelhor. Saiba mais!

Como as empresas podem contribuir para um mundo melhor?

Em setembro deste ano, os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS) completam dois anos. Em celebração a essa data, o CEBDS inicia a ação #PorUmMundoMelhor. Idealizada pela CTCom e CTSocial do CEBDS, a ação pretende estimular as empresas associadas ao Conselho a contar como estão trabalhando em prol dos ODS.

Água e falta de participação social

"Hoje a agenda [de água] enfraqueceu, justo quando deveria ser tema central, uma vez que a água será o recurso mais afetado pelas mudanças climáticas. A ONU estima que, até 2030, o deficit entre demanda e oferta deve alcançar 40%". Clique e confira mais sobre o artigo da presidente do CEBDS no Correio Braziliense.

Um novo amanhã é possível – Conheça o CEBDS!

Mais do que nunca, é hora de reunirmos as pessoas, empresas e governos para construirmos um novo amanhã.

Entenda o que é aquecimento global

Você já deve ter ouvido as palavras “efeito estufa”, “aquecimento global” e “mudança climática” por aí, mas você sabe realmente o que são? O nosso planeta está sofrendo hoje as consequências de um processo que o ser humano começou há séculos atrás.

Manual de compras sustentáveis: como proceder?

Veja um manual de como as empresas devem proceder para incluir os critérios de sustentabilidade ao realizar suas compras. Confira!

O que é Capital Natural?

Hoje somos afetados pelos impactos causados ao nosso modo de vida, devido ao mau uso desses recursos, sendo necessário repensar a maneira como lidamos com os recursos naturais. Conheça o conceito de Capital Natural e entenda o valor dos recursos naturais em relação a um produto ou serviço.

Carta aberta ao presidente Temer

Em artigo publicado na Folha de S. Paulo, Israel Klabin direciona uma carta ao presidente da República solicitando a não ratificação das MPs 756 e 758. Confira!

Industrialização Inclusiva X Negócios

A presidente do CEBDS, Marina Grossi, fala em entrevista exclusiva à FIESP sobre a industrialização inclusiva como forma de integrar o desenvolvimento sustentável em seu negócio. Confira a entrevista.

Sustentabilidade é bom negócio

Confira o artigo da presidente do CEBDS, Marina Grossi, publicado no jornal O Globo.

Sustentabilidade Urbana: uma nova agenda para as cidades

A construção de cidades mais sustentáveis é um desafio que só pode ser alcançado com base em modelos modernos e inovadores, capazes de construir instrumentos de congregação dos esforços da esfera pública com as forças da sociedade civil e da iniciativa empresarial.

Entenda a NDC brasileira

Assista ao vídeo produzido pelo CEBDS com o apoio do We Mean Business e entenda as metas da Contribuição Nacionalmente Determinada (NDC, na sigla em inglês) brasileira.

Quais são as metas do Brasil para o Acordo de Paris?

Entenda o papel da NDC brasileira nessa jornada e por que ela é tão importante para obtenção de resultados concretos rumo ao desenvolvimento sustentável. Confira!

Gestão de Recursos Hídricos: o que é e como aplicar em minha empresa?

Uma importante questão é que a gestão de recursos hídricos vai muito além do simples racionamento ou economia. Trata-se de mapear riscos e oportunidades que englobam o tema.

Títulos verdes no Brasil

Confira o novo artigo da presidente do CEBDS, Marina Grossi, no site do Projeto Colabora sobre como os gestores estão se unindo para estruturar o mercado brasileiro de investimentos em projetos ambientais.

Trabalhar pelo Acordo de Paris: um compromisso do Brasil

Compete ao CEBDS ser o combustível para incitamos nossas empresas associadas a mostrar suas ações realizadas para ajudar o Brasil a honrar os compromissos assumidos no âmbito do Acordo de Paris e, também, a convocar outras empresas para fazer o mesmo. Conheça mais sobre a corrente #JuntosPeloClima.

Siemens neutralizará sua emissão de CO2 até 2030

Além de apoiar seus clientes, a Siemens estabeleceu o objetivo de ser a primeira empresa industrial do mundo a conseguir atingir a pegada de carbono zero até 2030 em sua própria operação. Saiba sobre essas e mais ações na corrente #JuntosPeloClima.

Unilever mostra que atuação sustentável impulsiona crescimento

De 2008 a 2015, a Unilever reduziu em 36,09 % a emissão de gases de efeito estufa (GEE) e o consumo de água, além de diminuir em 95,36% a geração de resíduo por tonelada produzida. Saiba mais ações sobre as ações da empresa na corrente #JuntosPeloClima.

Mais eólicas para o Brasil alcançar as metas do Acordo de Paris

FURNAS apostou na diversificação das fontes de energia, limpas e renováveis, que apresentam uma boa relação risco x rentabilidade e contribuem para o crescimento sustentável da empresa e do Brasil. Saiba mais sobre essa e outras ações na corrente #JuntosPeloClima.

Mudanças climáticas e o papel de cada um

A Ticket Log criou dois programas que conversam ativamente com a questão das mudanças climáticas. Conheça essas ações e de outras iniciativas da empresa na corrente #JuntosPeloClima.

Como contribuímos para um mundo mais sustentável

Conheça as ações da CPFL Renováveis apresentada na corrente #JuntosPeloClima que contribuem para a implementação dos compromissos assumidos pelo Brasil em Paris, por meio da geração de energia por fontes alternativas (eólica, solar e biomassa).

Da fazenda ao porto e do porto para fora, AMAGGI incorpora sustentabilidade em seus negócios

Ao longo dos anos, a AMAGGI vem progressivamente incorporando a sustentabilidade em todas as suas áreas de negócios. Conheça as ações e métodos apresentados na corrente #JuntosPeloClima. Confira!

Energia segura e sustentável também para as áreas remotas do Brasil

Conheça o Programa de Acesso à Energia que a Schneider Eletric apresenta na corrente #JuntosPeloClima em prol do desenvolvimento sustentável de comunidades rurais e remotas, aumentando a eficiência energética e diminuindo a emissão de gases de efeitos estufa.

O papel do setor privado no desenvolvimento de um futuro sustentável

Conheça as ações e resultados que a Suzano Papel e Celulose apresenta na corrente #JuntosPeloClima tornando a matriz energética da empresa mais limpa, além de outras ações que contribuem para a construção de um mundo melhor.

Inovar e cocriar para proteger o clima

Conheça as metas e soluções que a BASF apresenta na ação #JuntosPeloClima no combate às mudanças climáticas. Clique e confira!

Nossos produtos, as suas escolhas e o clima do Planeta

O Grupo Boticário apresenta na corrente #JuntosPeloClima as ações da empresa e da sua Fundação que estimulam atitudes sustentáveis impactando diretamente no clima no Planeta.

Emissões evitadas de carbono do Legado das Águas/Votorantim somam U$ 14 milhões

A Votorantim apresenta na corrente #JuntosPeloClima o Legado das Águas, a maior reserva privada de Mata Atlântica e uma importante contribuição para o planeta.

Aegea aposta na eficiência do uso da água e restauração florestal para reduzir emissões

Conheça os projetos e sistemas que a Aegea apresenta na corrente #JuntosPeloClima em prol da segurança hídrica e de ações de impacto positivo no ecossistema.

Monsanto fornece hidrogênio para reduzir emissão de gás carbônico na Bahia

Conheça as ações e as metas que a Monsanto apresenta na corrente #JuntosPeloClima que pavimentam o objetivo de chegar a 2021 com uma produção totalmente neutra na emissão de carbono.

Vale: a mineração se reinventa

Conheça os projetos e as ações que a Vale apresenta na corrente #JuntosPeloClima que agregam soluções alinhadas aos esforços mundiais de redução das emissões de GEE e da manutenção de uma gestão equilibrada dos recursos naturais nos processos.

Brasil Kirin aposta em iniciativas para reduzir emissões de CO2

Conheça as iniciativas que a Brasil Kirin apresenta na corrente #JuntosPeloClima que contribuem para reduzir a emissão de CO2 entregando benefícios para todo o planeta.

A Alcoa está comprometida com mitigação e adaptação às mudanças climáticas

Conheça as ações que a Alcoa apresenta na corrente #JuntosPeloClima que contribuem com os esforços nacionais e globais de redução dos impactos das mudanças climáticas.
Veja todos os eventos

Projetos Relacionados

Fórum Água: gestão estratégica no setor empresarial

Pesquisa sobre os impactos da falta de saneamento no Brasil para o setor empresarial, realizada em parceria com o Instituto Trata Brasil
Veja todos os Projetos