Notícias

Sustentável bate recorde de público. Confira como foi!

Data: 28/10/2016

Área: Institucional

“O ingresso mundial na economia verde é inevitável, irresistível e irreversível”, afirmou Marina Grossi, presidente do Conselho Empresarial Brasileiro para o Desenvolvimento Sustentável (CEBDS) na abertura do Sustentável 2016 – 8º Congresso de Desenvolvimento Sustentável, promovido pela entidade em 25 de outubro, no Museu do Amanhã (RJ). Com plateia lotada durante as oito horas do encontro, o Sustentável 2016 congregou empresas, governo, meio acadêmico e sociedade civil, reunindo mais de 500 pessoas presentes e mais de 520 visualizações durante a transmissão ao vivo do evento.

Para Marina Grossi, o evento aconteceu em um momento de grande desafio, em que o mercado precisa rever práticas e aprender a dimensionar, por exemplo, o valor de elementos hoje ignorados nos planos de negócios tradicionais, como uma floresta em pé, água de qualidade ou uma população com acesso a educação e bem-estar: “No novo cenário que se anuncia, os preços relativos de produtos e serviços vão mudar completamente para refletir o custo do carbono embarcado em cada item”.

A iniciativa privada – tanto empresas quanto o setor financeiro – é um agente indispensável na transição para a economia verde. Sem ela, não há escala para efetuar as mudanças necessárias para conter o aquecimento global nos níveis negociados no Acordo do Clima (limite de 2C acima da média pré-industrial, com esforços para não ultrapassar 1,5C). “Esse engajamento vai exigir a substituição de práticas de mercado e de investimento focadas apenas no lucro e no consumo por modelos de negócios ambiental e socialmente sustentáveis. Precisamos desenvolver os mecanismos para alcançar esse equilíbrio, e o Sustentável 2016 trouxe contribuições para esse debate”, diz ela.

Dividido em quatro painéis, o Sustentável 2016 reuniu importantes especialistas internacionais e nacionais e se impôs o desafio de não limitar a discussão à teoria, trazendo exemplos inspiradores de novas práticas. Confira alguns desses momentos.

A sustentabilidade em um cenário de crise

Acabar com a sustentabilidade como “departamento” nas empresas e inseri-la em todas as etapas de qualquer negócio, desde sua concepção, é condição para que a economia verde se concretize. Essa foi a principal conclusão do primeiro painel, mediado por Linda Murasawa, superintendente executiva do Banco Santander, com participação da diretora da Climate Bonds Initiative, Justine Leigh-Bell, do presidente da YouGreen Cooperativa, Roger Koeppl, e do presidente do Jardim Botânico, Sergio Besserman. Outros pontos de destaque foram a necessidade de desenvolver mecanismos para financiar projetos de mitigação e adaptação às mudanças climáticas, em especial os títulos verdes (ou green bonds), e a constatação, por Justine Leigh-Bell, de que a crise econômica é potencialmente um vetor de mudança para uma economia de baixo carbono, à medida que ações para reduzir emissões podem, também, aumentar a eficiência e os ganhos de determinados setores.

dsc_4458

Uma nova relação dos negócios com os recursos naturais

O segundo painel do Congresso, mediado por Daniela Lerda, coordenadora do programa CLUA Brazil Initiative, da Fundação Ford, concluiu que os negócios são os novos ativistas da sustentabilidade, pela própria capacidade empresarial de garantir que objetivos se concretizem. Mas há o desafio de promover uma mudança cultural, que não dissocie o capital natural do social e do financeiro. Uma das ferramentas é a precificação do carbono, que, no entanto, patina em incertezas sobre como se dará essa regulamentação, inclusive pela falta de uma base de comparabilidade aplicável a todas as empresas. Outro destaque foi o papel do cidadão comum – que dita o modelo de consumo e tem nas mãos a decisão de apenas consumir menos ou ser adepto da economia circular, baseada no não-consumo, no reúso e na reciclagem. Assim, o mercado deixa de ser um ente abstrato para ser resultado da somatória das escolhas de cada um, as quais impactam de modo direto as decisões de negócios. O painel teve participação de Ana Carolina Szklo, gerente sênior de Projetos e Assessoria Técnica do CEBDS, de Kevin Moss, diretor global do Centro de Negócios do World Resources Institute (WRI), e de Marcelo Alonso, diretor de sustentabilidade da Natura, que ressaltou: “Somos a última geração que pode acabar com o aquecimento global e também a primeira que pode acabar com a extrema pobreza”.

dsc_4528

O futuro das cidades e a mobilidade sustentável

Mediado pelo professor Ronaldo Balassiano, do Núcleo de Planejamento Estratégico de Transportes e Turismo do Instituto Alberto Luiz Coimbra de Pós-Graduação e Pesquisa de Engenharia da Universidade Federal do Rio de Janeiro, o terceiro painel inspirou-se nos impactos/legados trazidos pela realização de grandes eventos para a cidade do Rio de Janeiro. Participaram Jailson Silva, coordenador geral do Observatório de Favelas do Rio de Janeiro, Pedro Junqueira, diretor de Operações da Prefeitura do Rio de Janeiro, e Rasmus Valanko, diretor de Clima e Energia do Conselho Empresarial Mundial para o Desenvolvimento Sustentável (WBCSD, na sigla em inglês), do qual o CEBDS faz parte. A mobilidade foi um ponto importante de discussão, inclusive pelo impacto direto na redução das emissões de carbono, assim como engajamento social, tratamento de resíduos, geração de energia e construções, temas que influenciam diretamente a capacidade brasileira de realizar, até 2050, as metas dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da ONU.

dsc_4714

De onde viemos, onde estamos e para onde vamos   

Com participação da presidente do Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Maria Silvia Bastos Marques, do presidente do conselho curador da Fundação Brasileira para o Desenvolvimento Sustentável (FBDS), Israel Klabin, e da presidente do CEBDS, Marina Grossi, como mediadora, o painel de encerramento teve como objetivo identificar os grandes desafios de governos, empresas e sociedade frente à sustentabilidade. Klabin fez a abertura resgatando o desenvolvimento do conceito de sustentabilidade desde 1987, quando o termo foi cunhado, até os nossos dias, em que as sociedades precisam escolher entre manter o catastrófico curso da exploração dos recursos naturais e energéticos atual ou utilizar a tecnologia e a responsabilidade humana para abraçar, de imediato, um modelo de desenvolvimento sustentável. Maria Silvia, por sua vez, estabeleceu uma ponte entre passado e futuro da sustentabilidade ao falar da nova agenda da instituição que dirige, a qual passará a financiar programas de saneamento básico. Segundo ela, essa é uma agenda do século 19 que o Brasil ainda não cumpriu, uma vez que, calcula-se, 50% da população não contam com redes de esgoto. A contribuição do setor empresarial para a sustentabilidade foi o foco de Marina Grossi. De acordo com ela, ao se integrar às iniciativas para conter as mudanças climáticas, o setor empresarial pode contribuir anualmente com reduções de emissões de carbono entre 3,2 bilhões e 4,2 bilhões de toneladas, algo como 7% a 9% das emissões mundiais. No Brasil, ela citou a parceria do CEBDS com a We Mean Business (WMB), uma coalizão global de lideranças que revolucionam suas práticas de negócios à luz de compromissos como uso de energia elétrica renovável, fim do desmatamento na cadeia de produção e precificação do carbono: “A adesão formal de empresas e parceiros brasileiros, como a própria CNI, mostra que as tomadas de decisões em torno das mudanças do clima são estratégicas e essenciais para o futuro de qualquer operação”.

dsc_4907

O Sustentável 2016 teve patrocínio dos bancos Bradesco, Itaú e Santander, e contou com a apresentação de um esquete do grupo Spectaculu na abertura do evento. Ao final, foram homenageados Israel Klabin e os fundadores do CEBDS, Erling Sven Lorentzen e Eliezer Batista, representado pelo filho Harald Batista.

Veja mais fotos:

Fotos: Vânia Mendes

 

Assista na íntegra o Sustentável 2016:

 

 

 

 

 



Empresas Relacionadas

Bradesco
Itaú
Santander
Veja todas as Empresas

Eventos Relacionados

Entenda o que é Economia Circular de Água

O coordenador da Câmara Temática de Água, André Ramalho, explica em entrevista os principais conceitos sobre o tema e como aplicá-los.

A experiência de FURNAS com o reaproveitamento da água

O presidente de Furnas Centrais Elétricas, Ricardo Medeiros, participa da campanha #TodosJuntospelaÁgua com um artigo sobre a recente implementação de um sistema de reaproveitamento de água em uma subestação na Zona Oeste do no Rio de Janeiro.

Precisamos falar sobre água

Confira o artigo do gerente de Desenvolvimento Sustentável da Braskem, Mario Pino, que fala sobre como cada vez mais empresas vêm investindo em novas formas do cuidado com a água. O texto faz parte da campanha digital #TodosJuntospelaÁgua.

Floresta (e responsabilidade) para quem quer água

Confira o artigo da gerente executiva da Reservas Votorantim, Frineia Rezende, sobre desperdício e o papel importante das floresta produtoras de água. O texto faz parte da campanha digital #TodosJuntospelaÁgua.

Saiba como a alta liderança da sua empresa pode se engajar com o tema água

Saiba mais como o Guia do CEO sobre Água poderá ajudar a alta liderança da sua empresa a ver a importância do tema água não apenas como insumo, mas como diferencial para os negócios.

Passos Largos e Urgentes para o Futuro

Leia o novo artigo da presidente do CEBDS, Marina Grossi, sobre o momento crucial, em que se voltam para a água os olhos não só da sociedade civil, e do terceiro setor, mas especialmente dos governos e das empresas. Confira!

Passos largos e urgentes para o futuro

Confira o artigo da presidente do CEBDS, Marina Grossi, publicado na revista Águas do Brasil que fala sobre como a escassez hídrica dos últimos anos no mundo tem feito com que a pauta da água suba rapidamente ao topo da lista de prioridades a serem tratadas com urgência.

A falta de acesso à água contribui para a desigualdade de gênero

Segundo a Unicef, se somarmos o tempo que mulheres e meninas gastam para coletar água, em todo o mundo, chegamos a inacreditáveis 200 milhões de horas por dia!

6 soluções de países diferentes contra a escassez de água

Muitos países já sofreram com secas e conseguiram contornar este cenário. O Brasil, com a união entre o poder público e privado, precisa se inspirar nesses casos internacionais bem-sucedidos. Conheça!

Energia solar já é realidade?

Confira mais um texto feito no âmbito da parceria entre o Secovi Rio e o CEBDS, por meio do Projeto de Eficiência Energética em Edificações (EEB Lab). Desta vez, falamos sobre energia solar!

Saiba como economizar energia em 5 passos

Você sabia que o setor de edificações consome mais energia elétrica do que a indústria? Saiba mais no post que faz parte da parceria do Secovi Rio com o Projeto de Eficiência Energética em Edificações (EEB Lab) e CEBDS.

Água e falta de participação social

"Hoje a agenda [de água] enfraqueceu, justo quando deveria ser tema central, uma vez que a água será o recurso mais afetado pelas mudanças climáticas. A ONU estima que, até 2030, o deficit entre demanda e oferta deve alcançar 40%". Clique e confira mais sobre o artigo da presidente do CEBDS no Correio Braziliense.

Um novo amanhã é possível – Conheça o CEBDS!

Mais do que nunca, é hora de reunirmos as pessoas, empresas e governos para construirmos um novo amanhã.

Entenda o que é aquecimento global

Você já deve ter ouvido as palavras “efeito estufa”, “aquecimento global” e “mudança climática” por aí, mas você sabe realmente o que são? O nosso planeta está sofrendo hoje as consequências de um processo que o ser humano começou há séculos atrás.

Manual de compras sustentáveis: como proceder?

Veja um manual de como as empresas devem proceder para incluir os critérios de sustentabilidade ao realizar suas compras. Confira!

O que é Capital Natural?

Hoje somos afetados pelos impactos causados ao nosso modo de vida, devido ao mau uso desses recursos, sendo necessário repensar a maneira como lidamos com os recursos naturais. Conheça o conceito de Capital Natural e entenda o valor dos recursos naturais em relação a um produto ou serviço.

Carta aberta ao presidente Temer

Em artigo publicado na Folha de S. Paulo, Israel Klabin direciona uma carta ao presidente da República solicitando a não ratificação das MPs 756 e 758. Confira!

Industrialização Inclusiva X Negócios

A presidente do CEBDS, Marina Grossi, fala em entrevista exclusiva à FIESP sobre a industrialização inclusiva como forma de integrar o desenvolvimento sustentável em seu negócio. Confira a entrevista.

Sustentabilidade é bom negócio

Confira o artigo da presidente do CEBDS, Marina Grossi, publicado no jornal O Globo.

Sustentabilidade Urbana: uma nova agenda para as cidades

A construção de cidades mais sustentáveis é um desafio que só pode ser alcançado com base em modelos modernos e inovadores, capazes de construir instrumentos de congregação dos esforços da esfera pública com as forças da sociedade civil e da iniciativa empresarial.

Entenda a NDC brasileira

Assista ao vídeo produzido pelo CEBDS com o apoio do We Mean Business e entenda as metas da Contribuição Nacionalmente Determinada (NDC, na sigla em inglês) brasileira.

Quais são as metas do Brasil para o Acordo de Paris?

Entenda o papel da NDC brasileira nessa jornada e por que ela é tão importante para obtenção de resultados concretos rumo ao desenvolvimento sustentável. Confira!

Gestão de Recursos Hídricos: o que é e como aplicar em minha empresa?

Uma importante questão é que a gestão de recursos hídricos vai muito além do simples racionamento ou economia. Trata-se de mapear riscos e oportunidades que englobam o tema.

Títulos verdes no Brasil

Confira o novo artigo da presidente do CEBDS, Marina Grossi, no site do Projeto Colabora sobre como os gestores estão se unindo para estruturar o mercado brasileiro de investimentos em projetos ambientais.

Trabalhar pelo Acordo de Paris: um compromisso do Brasil

Compete ao CEBDS ser o combustível para incitamos nossas empresas associadas a mostrar suas ações realizadas para ajudar o Brasil a honrar os compromissos assumidos no âmbito do Acordo de Paris e, também, a convocar outras empresas para fazer o mesmo. Conheça mais sobre a corrente #JuntosPeloClima.

Siemens neutralizará sua emissão de CO2 até 2030

Além de apoiar seus clientes, a Siemens estabeleceu o objetivo de ser a primeira empresa industrial do mundo a conseguir atingir a pegada de carbono zero até 2030 em sua própria operação. Saiba sobre essas e mais ações na corrente #JuntosPeloClima.

Unilever mostra que atuação sustentável impulsiona crescimento

De 2008 a 2015, a Unilever reduziu em 36,09 % a emissão de gases de efeito estufa (GEE) e o consumo de água, além de diminuir em 95,36% a geração de resíduo por tonelada produzida. Saiba mais ações sobre as ações da empresa na corrente #JuntosPeloClima.

Mais eólicas para o Brasil alcançar as metas do Acordo de Paris

FURNAS apostou na diversificação das fontes de energia, limpas e renováveis, que apresentam uma boa relação risco x rentabilidade e contribuem para o crescimento sustentável da empresa e do Brasil. Saiba mais sobre essa e outras ações na corrente #JuntosPeloClima.

Mudanças climáticas e o papel de cada um

A Ticket Log criou dois programas que conversam ativamente com a questão das mudanças climáticas. Conheça essas ações e de outras iniciativas da empresa na corrente #JuntosPeloClima.

Como contribuímos para um mundo mais sustentável

Conheça as ações da CPFL Renováveis apresentada na corrente #JuntosPeloClima que contribuem para a implementação dos compromissos assumidos pelo Brasil em Paris, por meio da geração de energia por fontes alternativas (eólica, solar e biomassa).

Da fazenda ao porto e do porto para fora, AMAGGI incorpora sustentabilidade em seus negócios

Ao longo dos anos, a AMAGGI vem progressivamente incorporando a sustentabilidade em todas as suas áreas de negócios. Conheça as ações e métodos apresentados na corrente #JuntosPeloClima. Confira!

Energia segura e sustentável também para as áreas remotas do Brasil

Conheça o Programa de Acesso à Energia que a Schneider Eletric apresenta na corrente #JuntosPeloClima em prol do desenvolvimento sustentável de comunidades rurais e remotas, aumentando a eficiência energética e diminuindo a emissão de gases de efeitos estufa.

O papel do setor privado no desenvolvimento de um futuro sustentável

Conheça as ações e resultados que a Suzano Papel e Celulose apresenta na corrente #JuntosPeloClima tornando a matriz energética da empresa mais limpa, além de outras ações que contribuem para a construção de um mundo melhor.

Inovar e cocriar para proteger o clima

Conheça as metas e soluções que a BASF apresenta na ação #JuntosPeloClima no combate às mudanças climáticas. Clique e confira!

Nossos produtos, as suas escolhas e o clima do Planeta

O Grupo Boticário apresenta na corrente #JuntosPeloClima as ações da empresa e da sua Fundação que estimulam atitudes sustentáveis impactando diretamente no clima no Planeta.

Emissões evitadas de carbono do Legado das Águas/Votorantim somam U$ 14 milhões

A Votorantim apresenta na corrente #JuntosPeloClima o Legado das Águas, a maior reserva privada de Mata Atlântica e uma importante contribuição para o planeta.

Aegea aposta na eficiência do uso da água e restauração florestal para reduzir emissões

Conheça os projetos e sistemas que a Aegea apresenta na corrente #JuntosPeloClima em prol da segurança hídrica e de ações de impacto positivo no ecossistema.

Monsanto fornece hidrogênio para reduzir emissão de gás carbônico na Bahia

Conheça as ações e as metas que a Monsanto apresenta na corrente #JuntosPeloClima que pavimentam o objetivo de chegar a 2021 com uma produção totalmente neutra na emissão de carbono.

Vale: a mineração se reinventa

Conheça os projetos e as ações que a Vale apresenta na corrente #JuntosPeloClima que agregam soluções alinhadas aos esforços mundiais de redução das emissões de GEE e da manutenção de uma gestão equilibrada dos recursos naturais nos processos.

Brasil Kirin aposta em iniciativas para reduzir emissões de CO2

Conheça as iniciativas que a Brasil Kirin apresenta na corrente #JuntosPeloClima que contribuem para reduzir a emissão de CO2 entregando benefícios para todo o planeta.

A Alcoa está comprometida com mitigação e adaptação às mudanças climáticas

Conheça as ações que a Alcoa apresenta na corrente #JuntosPeloClima que contribuem com os esforços nacionais e globais de redução dos impactos das mudanças climáticas.
Veja todos os eventos