Projetos

Inteligência Agroclimática (IAC)

O projeto Inteligência Agroclimática (IAC) integra a plataforma Low Carbon Technologies Partnership Initiative (LCTPi), liderada pelo World Business Council for Sustainable Development (WBCSD). A meta global do IAC é aumentar em 50% a disponibilidade de alimento, com maior produtividade e menor perda, reduzindo em 50% as emissões de gases de efeito estufa até 2030.


Área: Biodiversidade, Institucional

Como surgiu a Inteligência Agroclimática (IAC)?

De acordo com os preceitos firmados na COP21 e no Acordo de Paris, o World Business Council for Sustainable Development (WBCSD) criou o Low Carbon Technologies Partnership Initiative (LCTPi), uma plataforma colaborativa desenvolvida para atingir dois objetivos principais:

  1. Acelerar a difusão de tecnologias de baixo carbono existentes por meio da remoção de barreiras tecnológicas, de mercado e sociais, e da introdução de instrumentos políticos e financeiros;
  2. Incentivar o desenvolvimento de Parcerias Público-Privadas (PPPs) para pesquisa, desenvolvimento, demonstração e lançamento de novas tecnologias.

Nesse contexto, nasceu a Inteligência Agroclimática (IAC), que tem como principais ambições globais:

  1. Disponibilizar 50% mais alimentos para fortalecer a resiliência climática de comunidades agrícolas;
  2. Reduzir as emissões derivadas da agricultura e das mudanças no uso do solo oriundas da agricultura comercial. As metas são reduzir pelo menos 3.7 Gt CO2 e/ano (50%) até 2030 e alcançar 65% de redução até 2050.

Atualmente, mais de 20 multinacionais integram o projeto, dentre estas, nossa associada Bayer.

Como a IAC pode ajudar o Brasil a cumprir suas metas climáticas?

O Brasil se comprometeu voluntariamente a implementar ações que almejam a redução entre 1.168 milhões e 1.259 milhões de tCO2eq do total das emissões estimadas para o ano de 2020 (3.236 milhões de tCO2eq). O setor agropecuário tem a responsabilidade de contribuir com a redução de 22,5% dessas emissões. No Brasil, 32% do total de emissões de GEE derivam de mudanças no uso do solo, ligadas principalmente ao desmatamento para implantação de pastagens ou plantações.

A Contribuição Nacionalmente Determinada (NDC) Brasileira prevê:

  1. Fortalecer políticas e medidas com vistas a alcançar, na Amazônia brasileira, o desmatamento ilegal zero até 2030 e a compensação das emissões de GEE provenientes da supressão legal da vegetação até 2030;
  2. Restaurar e reflorestar 12 milhões de hectares de florestas até 2030;
  3. No setor agrícola, fortalecer o Plano de Agricultura de Baixa Emissão de Carbono (Plano ABC) como a principal estratégia para o desenvolvimento sustentável na agricultura, inclusive por meio da restauração adicional de 15 milhões de hectares de pastagens degradadas até 2030 e pelo incremento de 5 milhões de hectares de sistemas de integração lavoura-pecuária florestas (iLPF) até 2030.

O Cerrado brasileiro é uma das regiões alvo da IAC, que mira os maiores produtores agropecuaristas do mundo. O projeto pode contribuir para que o país aumente, de modo sustentável, a produtividade e a renda agrária; adapte e aumente a resiliência às mudanças climáticas; e reduza e/ou neutralize suas emissões de GEE.

A IAC atuará em quatro áreas no Brasil:

CSA Brasil - CEBDS

Conheça os projetos e programas da IAC:

° Projeto Good Growth Partnership/Coalizão Matopiba: Em parceria com a Conservação Internacional (CI), construir um modelo de negócios inovadores a partir da Inteligência Agroclimática (IAC) em uma série de propriedades com cenários, características e contextos diferentes, com diversidade atores e locais na região de Matopiba em equilíbrio com a restauração ecológica e escala de paisagem.

° Programa Fazenda Inteligente: Demonstração de Inteligência Agroclimática em duas fazendas com as melhores práticas agropecuárias: Integração Lavoura Pecuária Floresta (ILPF) com produção de soja sustentável e manejo integrado de gado; Sistemas Agroflorestais e corredores ecológicos com árvores nativas e produção sustentável de oleaginosas; e Tratamento de Dejetos Animais com biodigestores.

° Plataforma de Bioquerosene e Renováveis da Zona da Mata: produção de biocombustíveis, diesel verde e bioquerosene de aviação na Zona da Mata Mineira, a partir de restauração florestal com Macaúba em diferentes modelos demonstrativos – com agricultura familiar, agricultura 4.0, cadeia de valor integrada, produção de alimentos consorciada, entre outras práticas sustentáveis.

° Modelo Conceitual Financeiro: criação de um modelo financeiro com linha de crédito para Agricultura de Baixo Carbono e IAC liderada por bancos privados/públicos e capilarizado através de grandes empresas e suas cadeias de suprimento

° CSA Toolbox – um aplicativo para smartphone que se torna mais que um guia de boas práticas em como incluir inteligência agroclimática na sua fazenda mas também ferramentas práticas de implementação para gerar informação. Além disso criar acesso a informação sobre crédito e financiamento para Agricultura de Baixo Carbono (ABC) e IAC e possível comunicação direta com os bancos parceiros

Associe-se!

Se interessou por algum projeto e programa desenvolvido pela IAC ou saber mais sobre os produtos e ações que serão oferecidos, entre em contato com o assessor Técnico, Felipe Cunha (felipe.cunha@cebds.org).


Conheça os parceiros globais da IAC



Notícias Relacionadas

Agricultura inteligente promove integração entre lavoura, florestas e agropecuária

11/10/2018
No final de setembro, o assessor técnico do CEBDS, Felipe Cunha, esteve no Norte do país, para acompanhar uma fazenda modelo que já aplica princípios de Inteligência Agroclimática (IAC). Saiba mais!

Projeto brasileiro do Climate Smart Agriculture é lançado em São Paulo

01/12/2017
O CEBDS lançou, no dia 29 de novembro, a versão brasileira do projeto Climate Smart Agriculture, iniciativa global liderada pelo WBCSD. Veja como foi!
Veja todos os Parceiros

Publicações Relacionadas

Low Carbon Technology Partnerships initiative (LCTPi) 2016: From Ambition to Implementation

Ver publicação
Veja todas as publicacoes