Quem Somos

O Conselho Empresarial Brasileiro para o Desenvolvimento Sustentável (CEBDS) é uma associação civil sem fins lucrativos que promove o desenvolvimento sustentável, nas empresas que atuam no Brasil, por meio da articulação junto aos governos e a sociedade civil, além de divulgar os conceitos e práticas mais atuais do tema.

O CEBDS foi fundado em 1997 por um grupo de grandes empresários brasileiros, atento às mudanças e oportunidades que a sustentabilidade trazia, principalmente a partir da Rio 92.

Hoje reúne cerca de 60 dos maiores grupos empresariais do país, com faturamento de cerca de 40% do PIB e responsáveis por mais de 1 milhão de empregos diretos.

Representante no Brasil da rede do World Business Council for Sustainable Development (WBCSD), que conta com quase 60 conselhos nacionais e regionais em 36 países e de 22 setores industriais, além de 200 grupos empresariais que atuam em todos os continentes.

Vanguarda

Primeira instituição no Brasil a falar em sustentabilidade dentro do conceito do Tripple Bottom Line, que norteia a atuação das empresas a partir de três pilares: o econômico, o social e o ambiental, o CEBDS é referência na vanguarda da sustentabilidade tanto para as empresas quanto para parceiros e governos. É reconhecido como o principal representante do setor empresarial na liderança de um revolucionário processo de mudança: transformar o modelo econômico tradicional em um novo paradigma.

O CEBDS foi responsável pelo primeiro Relatório de Sustentabilidade do Brasil, em 1997, e ajudou a implementar no Brasil, em parceria com o World Resources Institute (WRI) e a Fundação Getúlio Vargas (FGV), a partir de 2008, a principal ferramenta de medição de emissões de gases de efeito estufa no país, o GHG Protocol.

Em 2014, o CEBDS lançou o projeto Ação 2020 para sintetizar, em uma plataforma digital e em uma publicação, um conjunto de recomendações concretas e viáveis para que as empresas instaladas no Brasil possam se estruturar e protagonizar, por meio de soluções de negócios, a construção de um país mais justo e sustentável, de acordo com as projeções contidas no relatório Visão Brasil 2050.

Outro marco na história da instituição foi a criação, em 2015, do Conselho de Líderes, composto por lideranças de grupos empresariais associados ao CEBDS para compartilhar a visão de CEOs e altos executivos de grandes corporações com o poder público de diferentes esferas e a sociedade.

Representatividade

A instituição representa suas associadas em todas as Conferências das Partes das Nações Unidas sobre Mudança do Clima, desde 1998, e de Diversidade Biológica, desde 2000.  O reconhecimento do trabalho levou a instituição a atuar em diversos espaços em nível internacional como a Carbon Pricing Leadership Coalition (CPLC); o Conselho Mundial da Água; a Natural Capital Coalition; a Low Carbon Business Action in Brazil da União Europeia; o Partnership for Market Readiness (PMR) Brasil; e o We Mean Business.

Em nível nacional o CEBDS atua em espaços como a CE100 BrasilCoalizão Brasil, Clima, Florestas e Agricultura; Conselho do CDP América Latina; Comitê de Consumo Sustentável do Ministério do Meio Ambiente (MMA); Fórum Brasileiro de Mudanças ClimáticasIniciativa Empresarial em Clima (IEC); Painel da Biodiversidade (Painel Bio); Rede Empresarial Brasileira de Avaliação de Ciclo de Vida (Rede ACV); e Rio +B.

 

Em 2016,  o CEBDS, representado por sua presidente, Marina Grossi, foi convidado a integrar o Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social, um órgão de assessoramento do presidente da República e, por sua ampla representatividade, tem uma efetiva capacidade de apontar caminhos e influenciar decisões. Além disso, no mesmo ano, o CEBDS e a Climate Bonds Initiative criaram o Conselho Brasileiro para o Desenvolvimento Sustentável do Mercado com o objetivo de construir um robusto pipeline de oportunidades para os investimentos verdes no Brasil, além de atrair capital em escala e levar o país à liderança mundial nos temas climáticos, pós COP-21.