Notícias

21/09/2019

Bayer reduz consumo mensal de água em 25 milhões de litros

Bayer reduz consumo mensal de água em 25 milhões de litros

Aquasfera, com informações da Bayer

Com parque fabril localizado na Baixada Fluminense, região metropolitana do Rio de Janeiro, a Bayer adotou uma série de medidas com foco na redução do consumo de água.

Nos setores da empresa onde se consome água potável, foram instalados medidores que possibilitam o estabelecimento de metas e o controle periódico dos consumos, sendo então possível a adoção de ações corretivas quando se verificam desvios. Também foram instalados dispositivos simples, mas eficazes para evitar o desperdício de água, como torneiras automáticas.

Fontes alternativas de consumo

Já nos seus processos industriais, a Bayer optou por empregar água fornecida majoritariamente de uma fonte alternativa de consumo. Há 11 anos, a empresa implantou um moderno sistema de tratamento de água do rio Sarapuí, que flui ao largo do seu parque industrial. A água passa por processos de desinfecção, clarificação, filtração e osmose reversa para atingir o padrão de qualidade requerido para uso em torres de resfriamento, geração de vapor, prevenção de incêndio, jardinagem, limpezas e aplicações diversas na planta.

Também foram feitas alterações nos processos e equipamentos para minimizar o volume de água empregada para lavagem e também para permitir o seu reuso. Todo o efluente do site passa por uma moderna Estação de Tratamento de Despejos Industriais (ETDI) que, empregando processos físicos, químicos e biológicos, possibilita o seu descarte em um ponto do rio, montante do local de captação, atendendo aos rígidos padrões legais.

Com essas práticas de gestão e reuso, além de fechar o ciclo ecológico de gerenciamento de recursos hídricos, a Bayer deixa de consumir 25 mil m³ de água potável mensalmente. O volume é suficiente para suprir a necessidade mensal de consumo de quase 8 mil pessoas – levando em consideração que a base do consumo per capita recomendado pela Organização das Nações Unidas (ONU) é de 110 litros diários por habitante. Em 11 anos, a Bayer já deixou de consumir mais de quatro bilhões de litros de água potável fornecida pela Cedae.

Confira as medidas:

Captação de Água de Chuva em Processos – Bayer

Iniciativa em Camaçari:

O projeto tem como objetivo a captação de 100% da água de chuva para ser reutilizada como água de utilidades (clarificada) no processo produtivo. A água é captada através das canaletas instaladas nos prédios e ruas do site, e enviada para uma bacia com capacidade de armazenamento de 11,148 m3.

Destaques:

  •  Redução da geração de efluentes e da quantidade de água clarificada adquirida para consumo no processo produtivo do site.
  • Recuperação de mais de 600 milhões de litros d’água, suficiente para abastecer todo o município de Camaçari-BA, durante mais de um mês, considerando um consumo diário per capita de 110 litros.
  • Economia de mais de R$ 2,5 milhões na compra de água e tratamento de efluentes.

Projeto de sistema de irrigação Learning Center Uberlândia – MG:

O projeto localiza-se na Estação Experimental da Bayer Learning Center em Uberlândia – MG e visa capturar e armazenar água da chuva para utilizar na irrigação de plantas durante os meses com menor índice pluviométrico. Além disso, investimos em sistemas de irrigação com melhor aproveitamento de água, chegando a 95% de eficiência, contra 65% de métodos convencionais de irrigação.

 Destaques:

  • Aumento no tempo da utilização da área destinada ao plantio de 6 meses para 10 meses;
  • Economia anual de 185 milhões de litros de água – 79% da demanda da irrigação vem da água da chuva;
  • Economia de R$20.000,00 por ano pelo consumo de energia elétrica.

Gestão Sustentável do Manejo de Irrigação – Bayer

Objetivos:

  • Gestão de irrigação de mais de 220 mil hectares de campos de produção de sementes de milho, através de uma metodologia agronômica, que considera a demanda correta de água para os campos, evitando excessos no consumo de água. Essa gestão de irrigação é feita através de uma parceria com a empresa Irriger;
  • Potencializar a produção dos campos de sementes através de irrigação adequada.

Resultados:

  • Mais de 220 mil hectares de campos de produção de sementes de milho foram monitorados desde 2012;
  • Economia de água equivalente ao consumo de 560 mil pessoas nos últimos 5 anos (iniciou em 2012);
  • Em média, 358 equipamentos de irrigação por safra (Pivot Central) foram monitorados;
  • Aumento médio de 14% na eficiência de irrigação dos campos de produção;
  • Redução do excesso de irrigação de 33% desde a adoção do projeto;
  • Aumento do uso de aspersores mais eficientes (sistema I-wob)