Lançamento da plataforma Água+

Ficha Técnica

Empresa

Coca-Cola Brasil

Metas:

  • 1

    Ampliar a inserção do tema água na estratégia de negócios.

Descrição geral

Todas as iniciativas da Coca-Cola Brasil de redução de consumo e reutilização de água estão concentradas no pilar Água+ Eficiência. O princípio integra a plataforma Água+, lançada em março de 2017. A iniciativa é formada ainda pelos pilares Água+ Disponibilidade e Água+ Acesso.

Todas as iniciativas da Coca-Cola Brasil de redução de consumo e reutilização de água estão concentradas no pilar Água+ Eficiência, que integra a plataforma Água+, lançada em março de 2017 e que é formada ainda pelos pilares Água+ Disponibilidade e Água+ Acesso. O objetivo é buscar o uso da água dentro das fábricas de maneira consciente, sempre com inovações nas linhas de produção e modernização de equipamentos, o que permite que utilizemos uma quantidade cada vez menor nas operações.

A empresa sabe, no entanto, que tem um desafio. Ao se transformar em uma companhia total de bebidas, passará a fabricar produtos que consomem mais água em comparação com os refrigerantes – seja no produto ou ao longo do processo de fabricação, como lavagem de máquinas. Assim, o índice de consumo de água por litro de bebida pode aumentar. O Sistema Coca-Cola terá de trabalhar sem desperdício, com o máximo de eficiência hídrica, ainda que o consumo de água aumente.

Desde 2001, a redução do indicador do uso de água foi de 34,2%. Em números absolutos, deixaram de ser usados o equivalente a 7,6 milhões de caixas d’água de 1.000 litros nas operações para a fabricação das bebidas. Com o total de 20 iniciativas (11 de eficiência e nove de reúso), são apresentadas diversas medidas de baixo custo e fácil e rápida implementação, que oferecem ganhos de produtividade e ambientais. Entre as ações estão a elaboração de balanços hídricos, para identificação de oportunidades de melhoria; detecção de vazamentos; otimização do enxágue das embalagens, entre outras.

Em 2017, a empresa alcançou o índice de 1,67 litro de água captada para cada litro de bebida produzida, superando a meta de usar 1,68 litro de água por litro de bebida até 2020. O volume total de água captada para utilização nas operações foi de 14.715 milhões de litros, uma redução de 11,3% em relação a 2016. Essa diminuição é reflexo da queda no volume de produção, de 5,5%, e dos avanços no índice de água utilizada por litro de produto.

Descarte de efluentes

O gerenciamento de efluentes é feito de acordo com as legislações federais, estaduais e municipais, além de seguir os requisitos estabelecidos pela The Coca-Cola Company que, em geral, são ainda mais restritivos. O correto descarte é fundamental para evitar impactos ambientais, sobretudo a contaminação de ecossistemas aquáticos.

Desde 2012, a geração de efluentes vem apresentando índices menores, alcançando o percentual de redução de 42%. A queda ocorre em função da evolução dos processos produtivos, que otimizaram a geração de efluentes e, a partir de 2015, com a implantação de programas de eficiência (Top 10 de Reúso& Eficiência Hídrica).

Assim, em 2017, o volume de efluentes gerado foi de 5,5 milhões de m3, com uma queda de 10,2% em relação a 2016. A Demanda Bioquímica de Oxigênio subiu 23,9%, para 54,8 mg/l.

Água+ Disponibilidade

Com o pilar Água+ Disponibilidade a empresa tem o objetivo de contribuir para garantir a disponibilidade de água para todas as pessoas, agora e no futuro. Desde 2015, o Sistema Coca-Cola Brasil está repondo no meio ambiente o mesmo volume de água utilizado em seus processos produtivos. O que só é possível graças à combinação de maior eficiência no uso da água nas fábricas e do desenvolvimento de programas de geração e retenção de água em bacias hidrográficas.

Fora dos muros das fábricas, são implementados programas socioambientais de geração e retenção de água em bacias hidrográficas por meio do reflorestamento e da conservação, que já atingem mais de 103 mil hectares.

Desde 2009, apoiamos o Programa Bolsa Floresta, desenvolvido pela Fundação Amazonas Sustentável (FAS). Com 40 mil beneficiários em 15 comunidades ribeirinhas, no estado do Amazonas, o programa reduziu em 75% o desmatamento das áreas mapeadas, com a garantia de renda para os participantes. A manutenção da floresta em pé é primordial para a geração e retenção de água na região.

No Sudeste, a Coca-Cola participa da Coalizão Cidades pela Água, uma iniciativa da The Nature Conservancy (TNC) para restaurar e conservar matas ciliares de rios e nascentes que abastecem mais de 60 milhões de brasileiros, em 12 regiões metropolitanas. O projeto prevê ações nos estados de São Paulo (bacias do Alto Tietê e dos rios Piracicaba, Capivari e Jundiaí), Minas Gerais (bacia do Rio das Velhas) e Espírito Santo (bacia do Rio Doce).

O modelo de atuação da TNC possibilita o desenvolvimento de ações estruturantes de longo prazo, denominadas infraestrutura verde. O programa identifica quem são os proprietários dos pontos de geração e retenção de água nas bacias, realiza o processo de regularização fundiária, a inserção da área no Cadastro Ambiental Rural (CAR) e estabelece as árvores que deverão ser plantadas ou preservadas. Todo esse mapeamento é feito em parceria com secretarias de governo e comitês de bacias hidrográficas.

Em 2017, ampliamos nossas iniciativas para a região Nordeste, que tem apresentado grande escassez hídrica. Por meio do programa Fábrica de Floresta, apoiamos a plantação de mudas na bacia do rio São Francisco.

Água+ Acesso

Garantir a disponibilidade e a gestão sustentável da água e saneamento para todos é um dos objetivos definidos pelas Nações Unidas como essencial para o desenvolvimento humano. Por isso, deve ser alcançado até 2030. No entanto, o acesso à água potável é hoje um desafio de grandes dimensões no Brasil.

Apesar de considerado um direito e um componente fundamental na qualidade de vida de todos, vivem no país 35 milhões de pessoas que não têm acesso à água tratada, de acordo com o Instituto Trata Brasil. Dessas, 20 milhões estão em comunidades e áreas rurais. A situação já é crítica, e a demanda global e a lacuna de acesso a esse recurso ainda devem aumentar nos próximos anos. Segundo a Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), em 2025, duas em três pessoas sofrerão algum problema relacionado à água.

O pilar Água+ Acesso tem como objetivo ampliar o acesso à água segura e de forma sustentável a comunidades rurais ao unir diversos parceiros, tecnologias inovadoras e modelos comunitários que viabilizam sua continuidade. Sua estratégia está embasada em quatro pilares (veja quadro a seguir) e, desde o seu lançamento, em 2017, já mobilizou R$ 25 milhões para investimento até 2020.

Lançado no dia 22 de março de 2017, Dia Mundial da Água, o Programa e a Aliança Água+ estão operando pilotos com sete soluções inovadoras em 15 comunidades, atendendo a mais de 4.200 pessoas no Ceará, Amazonas e Pará.

Essas soluções foram selecionadas por um júri técnico de 14 especialistas no tema que avaliou 114 tecnologias inscritas a partir da Chamada de Soluções Água+ Acesso, um edital nacional e aberto a universidades, inovadores, empresas e startups de todo o Brasil.

Pelo edital, foi possível mapear, comparar e avaliar as soluções com maior potencial de atender alguns dos principais desafios de acesso e tratamento de água em áreas rurais como água salobra, acesso à energia para bombeamento de água em comunidades isoladas, dureza na água (quando há alto teor de cálcio e magnésio) ou soluções de saneamento unifamiliares.

Para 2018, foi decidida a ampliação do programa para oito estados e mais de 100 comunidades. A expectativa é que mais de 50 mil pessoas sejam beneficiadas diretamente. O investimento saltará de cerca de R$ 1,5 milhão para R$ 7 milhões, e o número de parceiros, de nove para 14 organizações.

Como parte do reforço do compromisso da empresa em garantir acesso à água e estreitar o relacionamento com as comunidades onde atua, ao longo de 2018 será disponibilizada água para as comunidades vizinhas das oito fontes hoje utilizadas pela companhia. Com essa iniciativa, essas pessoas terão acesso à água gratuitamente.

  • Para o pilar Água + Eficiência, chegar a 1,67 litros de água por litro de produto até 2020
  • Para o pilar Água + Disponibilidade, ser neutro em água até 2020
  • Para o pilar Água + Acesso, trata-se de uma aliança para garantir a expansão do projeto.

Avaliação quantitativa e qualitativa.

Galeria de Mídias