Parceria no Programa Olhos d’Água

Ficha Técnica

Empresa

ArcelorMittal

Metas:

  • 4

    Incentivar projetos compartilhados em prol da água.

Descrição geral

A ArcelorMittal e o Instituto Terra desenvolveram em parceria o Programa Olhos d’Água. Objetivo é preservar a Bacia Hidrográfica do Rio Doce. Iniciativa envolve a recuperação e a proteção de 300 mil nascentes dos afluentes do Rio Doce.

Visando promover a conservação da Bacia Hidrográfica do Rio Doce, em parceria com a ArcelorMittal, o Instituto Terra desenvolveu o Programa Olhos d’Água, no qual destaca-se a meta de recuperar e proteger cerca de 300 mil nascentes dos afluentes do Rio Doce.

Além de ações de proteção e reflorestamento, o Programa Olhos d’Água aposta ainda em um importante componente motivador, que é a educação ambiental da população das comunidades e dos pequenos produtores rurais envolvidos – tendo em vista que a maioria das nascentes da região encontra-se dentro das pequenas unidades rurais.

O programa enfatiza a importância de trabalhar as fontes de água em parceria com os produtores rurais da bacia, para que a cultura extrativista possa ceder lugar para o ideal de conservação, com a devida gestão dos recursos hídricos. Também tem entre seus objetivos maiores transformar-se em modelo que poderá ser replicado, em um futuro próximo, em todas as demais bacias hidrográficas localizadas em domínio de Mata Atlântica.

A parceria entre Instituto Terra e a ArcelorMittal Brasil, com a participação do Governo do Estado do Espírito Santo, foi assinada em 2015 visando ajudar na proteção de 4.750 nascentes de afluentes do Rio Doce, entre os Estados do Espírito Santo e Minas Gerais a partir do Programa Olhos D’Água.

Mobilizar e selecionar produtores rurais e selecionar os beneficiários do programa, elaborar projetos técnicos de proteção de nascentes, adquirir e distribuir insumos para proteção de nascentes, recuperar e proteger nascentes, implantar fossas sépticas em residências das propriedades rurais dos produtores envolvidos no programa, efetuar o Cadastro Ambiental Rural (CAR) e a adesão ao Projeto de Recomposição de Áreas Degradadas e Alteradas (PRADA), monitorar a vazão e qualidade da água de 20% das nascentes protegidas e a hidrologia de três microbacias.

O projeto é de responsabilidade do Instituto Terra e a ArcelorMittal entra como doadora de recursos materiais (cercas e mourões). Nesse sentido, a avaliação da ArcelorMittal é avaliada pelo número de nascentes cercadas.