Ação 2020: rumo a um país mais sustentável

Data: 03/06/2014
Autor:

Em ano de eleição faz-se uma reflexão sobre as questões que mais precisam avançar no país. São postos em xeque temas como reforma tributária, melhoria do sistema educacional, investimentos em infraestrutura e redução do desperdício, dentre outros. Nem tudo pode ser feito em quatro anos, é claro, e, por isso mesmo, é importante identificar os principais pontos a serem tratados, servindo como base tanto para traçar um plano de ação a ser executado durante o mandato do governo, quanto para estabelecer medidas que permitam a continuidade das ações agora implementadas.

Mas será que compete apenas ao governo fazer algo? De que forma as empresas podem contribuir? Em pleno 2014 chegou a hora de percebermos que precisamos atuar juntos: governo, sociedade civil e empresas. É disso que trata o Ação 2020. Nesse arcabouço, todos são chamados a contribuir e agir juntos por um único objetivo, que seja de toda a sociedade.

A partir da identificação das áreas prioritárias a serem abordadas[1] serão discutidos e construídos os objetivos da sociedade, que devem ser mensuráveis e baseados na ciência, servindo como base para ações empresariais. Estas, por sua vez, devem ser impactantes, escaláveis e ir além do business as usual, contribuindo para que os objetivos elencados para cada área prioritária sejam alcançados. Barreiras existentes e fatores de alavancagem para a implementação de tais ações, como tecnologias a serem importadas ou desenvolvidas, capacitações que se façam necessárias, acesso a financiamento, estabelecimento de regulamentações adequadas e políticas públicas viabilizadoras também farão parte desse arcabouço e serão investigados.

Tem-se como pano de fundo os cenários apresentados no Visão 2050 que buscavam traçar um caminho de transformação para a sociedade. O documento é ainda válido, mas deixou claro que era preciso algo a mais para tornar realidade essa visão compartilhada entre as empresas. Essa visão de longo prazo, qualitativa e que delineia mudanças estruturais para a sociedade precisava de um plano de ação, pautado em um horizonte temporal de curto-médio prazo que falasse mais facilmente às empresas, possibilitando a implementação de ações inspiradoras. O Ação 2020, portanto, cumpre o papel de um plano de negócios, a ser executado em seis anos, mas cujo objetivo final é nos colocar no caminho traçado para 2050 em que 226 milhões de pessoas conviverão bem, respeitando os limites naturais do planeta, por meio da cooperação entre o poder público, a sociedade e as empresas[2].

O primeiro passo foi ouvir a ciência. O segundo, construir com as empresas. E, por fim, um diálogo com o governo. Todos contribuem; cada um com o seu papel. Assim, o Ação 2020 surge com um objetivo a cumprir no longo prazo, possibilitando o diálogo entre os diversos atores e servindo como plataforma para troca de experiências para as empresas. O Ação 2020 é a resposta que se buscava para o envolvimento de todos: governos, sociedade civil e empresas, unidos por objetivos comuns, rumo a uma transformação para a sociedade e tendo como elemento chave a sustentabilidade.

 


[1] Mudança do Clima; Água; Biodiversidade; Uso da terra, Mudança do Uso da terra e Segurança Alimentar; Emprego e Capacitação; Direitos e Necessidades Básicas e Estilos de Vida Sustentável.

[2] Visão do CEBDS.