As empresas e a precificação de carbono

Data: 19/08/2019
Autor:

O CEBDS lançou vídeo sobre precificação de carbono durante o painel de precificação de carbono, que teve apoio da Vontoratim Cimentos na Climate Week. Organizado pelo CEBDS, o vídeo conta com diversos setores apoiando a precificação de carbono no Brasil. 

A precificação de carbono é um dos principais mecanismos de um conjunto de políticas públicas e corporativas destinadas a manter o aumento na temperatura média da Terra na faixa de 1,5°C a 2°C acima dos níveis pré-industriais, objetivo central do Acordo de Paris. Com a precificação, pode-se acelerar a redução nas emissões de gases de efeito estufa (GEE).

Na precificação, instrumentos de mercado ajudam países e empresas a cumprir metas de corte nas emissões de GEE. Os governos atribuem um custo às emissões por meio da regulamentação de instrumentos como o mercado de carbono e/ou a tributação das emissões. Como fica mais caro utilizar tecnologias intensivas em carbono, empresas são estimuladas a investir na economia limpa e de baixo carbono. 

O CEBDS elaborou junto ao CDP o Fact Sheet sobre Precificação de Carbono – O que você precisa saber, com o patrocínio do Instituto Clima e Sociedade (ICS), em que é possível conhecer todo o cenário sobre precificação de carbono no Brasil e no mundo. O documento traz informações diretas e concisas sobre o tema para auxiliar empresas, governos, estudantes e o público em geral para que possa entender mais sobre a precificação do carbono, um tema com grande potencial de avanços no País e no mundo.

Precificação de carbono é tema de artigo

O artigo publicado no Valor escrito pela presidente do CEBDS, Marina Grossi, o CEO da Sheel, André Araújo, o CEO da Siemens, André Clark e a diretora presidente da Neoenergia, Solange Ribeiro, mostra como a participação das empresas brasileiras é essencial para mobilizar o governo federal na ampliação dos esforços diplomáticos em favor da regulamentação do Artigo 6.

“Precisamos estabelecer as prioridades para que essas regras tragam inovação, tecnologia para os países cumprindo o papel de indutora de desenvolvimento sustentável e usufruindo de experiências construídas ao longo das últimas duas décadas. Isso significa garantir, por exemplo, que não haja restrição à implantação de projetos de mitigação em nenhum setor da economia, mesmo que ele esteja entre os apontados como meios do país para alcançar a sua Contribuição Nacionalmente Determinada (NDC, na sigla em inglês).”

O pioneiro e maior mercado de emissões do mundo é o Sistema de Comércio de Emissões da União Europeia (EU ETS, European Union Emissions Trading System). Também há mercados regulados na Suíça, Nova Zelândia, Coreia do Sul e em diversas jurisdições subnacionais, a exemplo do estado da Califórnia (EUA), das províncias de Québec e Ontário, no Canadá, de Tóquio, no Japão, e de várias cidades chinesas, como Pequim, Shenzen e Xangai. A China, inclusive, anunciou em dezembro de 2017 seu plano para operacionalizar por etapas seu sistema nacional de comércio de emissões, começando pelo setor energético. 

O que o setor empresarial precisa saber sobre precificação

O estudo Precificação de Carbono: o que o setor empresarial precisa saber para se posicionar, lançado pelo CEBDS na COP22 (Marrocos), em parceria com o CDP e apoio do We Mean Business mostra o que as empresas precisam saber sobre precificação de carbono.

Disponível para download gratuito, tem o objetivo de fornecer insumos para as empresas sobre os principais desafios da implementação dos mecanismos no Brasil. Baseando-se na análise de experiências internacionais, sobretudo em contextos que apresentem semelhanças com a realidade brasileira, ele apontará os principais desafios envolvidos no desenho e implementação desse tipo de instrumento.

O estudo ainda apresentará como o setor empresarial se insere na elaboração das políticas de precificação de carbono, quais são os impactos que tais mecanismos podem acarretar para as empresas brasileiras, quais são as possíveis respostas às dificuldades esperadas e quais são as oportunidades advindas desse processo.