Uma coalizão a favor do clima e do futuro

Data: 31/07/2015
Autor:

 

Não há praticamente mais controvérsia científica. Será preciso conter o aumento da temperatura média do Planeta em 2°C em relação à era pré-industrial para garantir um mínimo de segurança climática até o final deste século. Com base nessa premissa e em todo o conhecimento acumulado em mais de 20 anos, acaba de ser lançada a “Coalizão Brasil Clima, Florestas e Agricultura”.

Trata-se de uma ampla e representativa sinergia formada por associações empresariais, empresas e organizações da sociedade civil em atividade no Brasil, que, desde o final do ano passado, trabalharam na elaboração de um documento com visão e propostas concretas para impulsionar o País como um dos protagonistas na liderança global na área de florestas e agricultura. A Coalizão tem dois propósitos principais. O primeiro, de curto prazo, visa encaminhar ao governo brasileiro um conjunto de propostas dos atores envolvidos no processo de discussão para serem apresentadas na 21ª COP do Clima, Conferência da ONU cuja agenda é chegar a um acordo global sobre mudança do clima, marcada para o final deste ano em Paris. O segundo, de médio e longo prazos, tem por objetivo formar a base de uma política nacional de florestas, no contexto de uma economia de baixo carbono.

A Coalizão também tem entre as suas ações estabelecer uma visão de longo prazo sobre as emissões de gases de Efeito Estufa globais, sugerir o nível de ambição de redução de emissões para o Brasil, além de propor mecanismos, elementos e incentivar cada vez mais empresas na promoção de uma nova economia de baixo carbono.
Um bom exemplo é o projeto “Pacto pela Sustentabilidade” que o Walmart Brasil e seus fornecedores assumiram em prol da Amazônia brasileira. Entre as diversas ações promovem a comercialização de madeiras certificadas, restringem o consumo e distribuição de soja que tenham origem em áreas de desmatamento ilegal e ainda se comprometem a não comercializar produtos pecuários que tenham qualquer ilegalidade em sua cadeia, principalmente desmatamento.

Exemplos como este precisam ser replicados, no Brasil e no mundo, para que ganhem escala e revolucionem o padrão de desenvolvimento, via um novo modelo de negócios. Isso será levado e apresentado, como contribuição para a COP de Paris.