Bradesco, Itaú e Santander criam o conselho consultivo da Amazônia

Data: 01/09/2020
Autor:
Os bancos Bradesco, Itaú e Santander criaram o conselho consultivo da Amazônia, instância criada para apoiar a implementação das 10 medidas propostas pelas instituições financeiras para alavancar o desenvolvimento sustentável da região. O Conselho Consultivo Amazônia se reunirá a cada três meses com o objetivo de trazer reflexões sobre as dinâmicas da região e desafiar os bancos quanto à efetividade do impacto das ações propostas.

“O conceito foi escolher um grupo de pessoas de alta qualificação e notório saber que são comprometidas com a ciência, com a defesa do meio ambiente e com a vida. Estamos bastante seguros que as diferentes visões e formações dos membros do Conselho darão substância e massa crítica ao trabalho de propor e orientar medidas que envolvem o futuro da Amazônia. São desafios não só ambientais, mas também sociais e econômicos”, declarou, em nota, o presidente do Bradesco, Octavio de Lazari Junior.

Para o presidente do Itaú Unibanco, Cândido Bracher, os bancos estão satisfeitos por conseguirem reunir um grupo “altamente qualificado e que conhece profundamente os desafios do Brasil na área ambiental”. Já o presidente do Santander Brasil, Sergio Rial, afirmou que os conselheiros darão o “respaldo necessário às nossas propostas para o desenvolvimento sustentável da região Amazônica. Esses líderes excepcionais utilizarão sua vasta experiência acumulada em áreas de conhecimento complementares para nos ajudar a subir a régua, propondo ações e metas desafiadoras, que provem ser possível gerar riqueza para o País e beneficiar a população local sem sacrificar nossa biodiversidade e recursos naturais”.