Contribuição empresarial na crise do Coronavírus

Data: 24/03/2020
Autor:

As empresas têm se posicionado com diversas iniciativas para ajudar a combanter a pandemia do COVID-19, o novo coronavírus. As ações vão desde a distribuição gratuita de itens de higiene pessoal até um pacote de ajuda para fornecedores.

Confira algumas contribuições empresariais:

Vale doará ao governo 5 milhões de kits de testes do coronavírus

A Vale comprou 5 milhões de kits de testes rápidos para o COVID-19, o novo coronavírus, para ajudar o Governo brasileiro no combate à disseminação da doença. Os testes, que possbilitam um resultado em 15 minutos, foram adquiridos na China. A estimativa é de que a primeira remessa (1 milhão de kits), seja entregue pelo fornecedor à Vale na China no dia 27 de março, chegando ao Brasil no início da semana seguinte.

“A Vale oferece essa ajuda à sociedade brasileira em um momento em que o País se une pela saúde e segurança das pessoas. Estamos lançando mão da nossa rede de logística na Ásia para trazer ao Brasil insumos que poderão fazer a diferença na vida das pessoas”, afirma Eduardo Bartolomeo, diretor-presidente da Vale.

A companhia também está comprando de fornecedores chineses equipamentos de proteção individual, como luvas e máscaras, para médicos e enfermeiros. Esse material também será encaminhado ao Governo brasileiro.

Boticário doa 1,7 toneladas de álcool gel

O Boticário, por meio do Instituto Grupo Boticário, vai doar 1,7 toneladas de álcool em gel Cuide-se Bem para o sistema de saúde pública de Curitiba. O Álcool Gel Cuide-se Bem tem concentração de 78% de álcool etílico, que elimina cerca de 99,9% das bactérias.

“O Boticário acredita que, quando cada um faz a sua parte, o todo fica cada vez mais forte”, afirma Aline Mori, diretora de Marketing de O Boticário. Além da doação, a empresa busca reforçar e conscientizar para outras medidas na prevenção da doença, como a lavagem das mãos.

“É a recomendação mais indicada na prevenção da transmissão, podendo ser colocada em prática inúmeras vezes ao dia. Trata-se não só de autocuidado, mas de uma prática de amor e consideração com todos ao redor. O momento é de união e senso coletivo”, diz Aline.

Sesc e Senac disponibilizarão R$ 1 bilhão para combate ao coronavírus

A Confederação Nacional de Bens de Comércios, Serviços e Turismo (CNC) enviou ao presidente Jair Bolsonaro um plano de ações do Senac e do Sesc, no valor de R$ 1 bilhão. Esse valor destina-se a ajudar no combate ao coronavírus e prestação de serviços à sociedade nos próximos três meses.

“A Confederação, através do Sesc e do Senac, está preparada para ajudar o governo na conscientização para reduzir os impactos do coronavírus na sociedade brasileira, assim como no combate à epidemia. Temos estrutura, capilaridade e pessoal, assim como canais de comunicação já abertos com as comunidades”, diz o presidente da CNC, José Roberto Tadros.

Vale e o pacote de ajuda temporária para fornecedores

A Vale irá praticar uma série de medidas de suporte aos seus fornecedores durante a pandemia do coronavírus. A espectativa é que, por meio dessas ações, a empresa injete cerca de R$ 160 milhões na economia nos próximos dias. O valor refere-se a antecipação de pagamentos para pequenas e médias empresas.

“No momento em que o país passa por uma grande incerteza, usaremos nossa rede de distribuição, presença na base da cadeia produtiva e capacidade de mobilização para ajudar os nossos fornecedores a enfrentar os impactos dessa pandemia, sempre primando pela saúde e segurança das pessoas”, afirma Alexandre Pereira, diretor-executivo de Suporte ao Negócio.

Natura e Avon doam sabonetes 

A Natura e a Avon irão doar 2,8 milhões de sabonetes em barra e líquido para comunidades carentes nas cidades do entorno das operações no Brasil e em outros países da América Latina. No Brasil, parte da doação será destinada a populações mais vulneráveis de São Paulo, Pará e Bahia.

Itaú e a doação de R$ 150 milhões para ajudar no combate ao coronavírus

O valor de R$ 150 milhões virá da Fundação Itaú para Educação e Cultura e do Instituto Unibanco e será destinado a infraestrutura hospitalar, compra de equipamentos médicos, cestas de alimentação e kits de higiene. O intuito é apoiar apoiar comunidades vulneráveis e ajudar na contenção e tratamento dos infectados pelo coronavírus.

“O Itaú Unibanco tem absoluta consciência da gravidade da crise decorrente do avanço da covid-19 e vem mobilizando toda a sua estrutura para apoiar clientes, colaboradores e a sociedade brasileira neste contexto desafiador”, afirmou no comunicado.

O Itaú também suspendeu, por tempo indeterminado, todas as demissões sem justa causa e antecipou o 13º salário.

BNDES libera R$ 55 bi e novo saque no FGTS será permitido

O BNDES irá suspender a cobrança de empréstimos por seis meses e liberar novos saques do FGTS para reduzir o impacto econômico da pandemia do coronavírus. A medida faz parte de um pacote de R$ 55 bilhões anunciado pelo presidente da instituição, Gustavo Montezano, em transmissão pela internet.

Os R$ 55 bilhões, segundo Montezano, serão aplicados em quatro frentes para ajudar empresas em dificuldade. A medida vai beneficiar 150 mil empresas, que têm 2 milhões de funcionários.

R$ 20 bilhões serão transferidos do PIS/Pasep para o Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS). O BNDES também vai suspender cobrança de empréstimos por seis meses. R$ 19 bilhões vão para refinanciamento de operações diretas e R$ 11 bilhões, para indiretas. A quarta medida é a liberação de R$ 5 bilhões para ampliar a linha de crédito voltada para micro, pequenas e médias empresas com faturamento anual de até R$ 300 milhões.

Banco Central e o pacote de R$ 1,216 tri 

O presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, informou um pacote de R$ 1,216 trilhão, que tem como objetivo aumentar a liquidez no mercado durante a pandemia da Covid-19.

Esse montante equivalente a 16,7% do Produto Interno Bruto (PIB) e supera em quase dez vezes os R$ 117 bilhões anunciados durante crise financeira global, ocorrida entre 2008 e 2009, e que representaram 3,5% do PIB.

O novo pacote inclui medidas como a criação de um novo Depósito a Prazo com Garantia Especial (DPGE), dando acesso aos fundos de investimento com valores maiores, no valor estimado de R$ 200 bilhões.

OLX promove campanha #QuarentenaDoBem

A OLX está realizando uma campanha de doações para pessoas mais afetadas pela pandemia do COVID-19. O objetivo é propiciar a entrega de itens de higiene pessoal; produtos de proteção lacrados; brinquedos, livros e jogos; roupas e calçados usados ou novos; roupas de cama, mesa e banho, entre outros.

Para contribuir com a iniciativa, é necessário fazer um anúncio da seguinte maneira: 1º o nome do produto e depois a #quarentenadobem. Por exemplo: blusa #quarentenadobem. A # precisa vir sempre depois do item. Quem tem interesse nas doações devem entrar no site ou no aplicativo da olx.com.br e buscar por “quarentenadobem”, mas sem a #.

A orientação é combinar a entrega do item para quando a quarentena acabar.

Nubank e o fundo de R$ 20 milhões 

O Nubank  criou um fundo de R$ 20 milhões para ajudar seus clientes durante a pandemia de coronavírus. O Hospital Sírio-Libanês, iFood, Rappi e Zee.Dog firmaram parcerias com a fintech para oferecer serviços de apoio.

O fundo “Pessoas Primeiro” irá destinar os recursos para serviços, como atendimento médico a distância, pedidos de supermercados e farmácias e de entrega. Na parceria, o Sírio-Libanês, por exemplo, está disponibilizando 1 mil atendimentos em sua plataforma de teleorientação médica para os clientes do Nubank.

“Vamos além do dinheiro. Doaremos o que temos de mais precioso: nosso tempo e energia para ouvir as pessoas e ajudá-las dentro do que for possível, para além da vida financeira. Esse é o nosso DNA. A nossa expectativa é dar suporte a dezenas de milhares de pessoas até o final de abril”, declara David Vélez, presidente executivo e fundador do Nubank.