CEBDS participa de reunião no Itamaraty sobre COP22

Nessa segunda-feira (24), o Conselho Empresarial Brasileiro para o Desenvolvimento Sustentável (CEBDS) participou da reunião preparatória para a Conferência das Partes (COP22), no Palácio do Itamaraty, em Brasília. O foco da reunião foram as negociações que estarão em pauta durante o encontro e as medidas que serão tomadas pelo Brasil para o cumprimento das Contribuições Nacionalmente Determinadas (NDCs, na sigla em inglês).

Um dos desafios da COP22, segundo o embaixador José Antônio Marcondes de Carvalho, será desfazer a interpretação de que sua importância seria secundária. “Essa é uma visão equivocada. O momento político é propício para avançar nesse aspecto. Esperamos grandes resultados e os ministérios têm trabalhado de forma coesa e coordenada para avançar na implementação dos mecanismos necessários. Nesse sentido, contar com a participação da sociedade civil tem sido estimulante e desafiador”, explicou.

A entrada em vigor do Acordo de Paris foi um dos destaques do encontro. “O sentido de urgência ficou evidente com o rápido processo de ratificação no Brasil e isso se mantém para a implementação da NDC”, afirmou Marcondes.

O diretor de Mudanças Climáticas e Qualidade Ambiental do Ministério do Meio Ambiente (MMA), Adriano Santhiago, apontou que a implementação da NDC brasileira já está em processo e citaram a Lei nº 13.263/2016, que estabelece o aumento da participação do biodiesel no óleo diesel, que alcançará a marca de 10% até 2019. Santhiago salientou que o Brasil ainda precisa estabelecer uma estratégia para a implementação de suas contribuições e deve contar com o apoio da sociedade civil para isso. A expectativa é de que os documentos iniciais ficarão prontos até o fim deste ano e ao longo do primeiro semestre de 2017 serão feitas discussões com a sociedade. Em seguida, o documento formulado irá para consulta pública, o que deve acontecer em meados de agosto.

No cenário internacional, a posição do Brasil tem sido de manter a pressão sobre o avanço dos trabalhos previstos no Acordo de Paris. “Temos de continuar trabalhando com o mesmo sentido de urgência. A concentração das moléculas de gases de efeito estufa na atmosfera avança cada vez mais. O mundo real requer urgência, ações, e Paris tem que progredir, temos que avançar e regulamentar todo este programa de trabalho que temos pela frente”, afirmou o embaixador Marcondes.

A assessora técnica do CEBDS, Lilia Caiado, presente na reunião no Itamaraty, destacou que que o rápido avanço do Acordo de Paris em todo o mundo tem aumentado a importância da COP 22. “Quase ninguém imaginava que em Marraquexe o Acordo já haveria entrado em vigor. Isso tem intensificado as discussões acerca das medidas que serão implementadas para o alcance das metas prevista no Acordo e também sobre como monitorar essas medidas”, pontuou. Entre as questões em debate, por exemplo, está a criação de um instrumento capaz de medir a evolução dos recursos destinados ao financiamento climático.

O CEBDS está realizando um conjunto de ações para preparar o setor empresarial para participar da COP 22, onde haverá um espaço brasileiro para a realização de reuniões e eventos. Entre estas atividades, estão as reuniões de briefing, onde o governo federal ouvirá a sociedade civil sobre as questões que serão tratados na conferência.

Share:

Sign up for our newsletter

Enter your email and receive our content. We respect the privacy of your information by not sharing it with anyone.

Related news

Check out the most current and relevant news to stay on top of what is being debated on the Sustainable Development agenda.

Related publications

Want to go deeper into this subject? Check here other publications related to this same theme.

related events

Check out our upcoming events related to this topic and join us to discuss and share best practices.