Nos últimos anos, a busca por uma alimentação mais saudável tem ganhado destaque na grande mídia, seja em programas de televisão ou nas redes sociais que ganham todos os dias canais de receitas e perfis cultuando alimentos orgânicos. 

 

Mas o que uma alimentação saudável tem a ver com a sustentabilidade? A resposta é tudo. Segundo o relatório da Embrapa feito em parceria com a Fundação Getúlio Vargas (FGV), a cultura do “é melhor sobrar do que faltar” impulsiona o desperdício de alimentos no Brasil. O resultado é alarmante: cada brasileiro joga mais de 40 quilos de comida no lixo por ano. E esse número não tem necessariamente a ver com a classe social e sim com falta de um comportamento sustentável.

 

A pesquisa, que ouviu 1.764 pessoas de todas as classes sociais e regiões do país, aponta que quem tem maior consciência sobre o impacto do desperdício no orçamento tende a descartar menos comida.

 

Ainda segundo o estudo, a família brasileira joga fora quase 130 quilos de comida por ano, uma média de 41,6 quilos por pessoa. Os alimentos que mais vão para o lixo, por percentual do total desperdiçado, são: arroz (22%), carne bovina (20%), feijão (16%) e frango (15%).

 

Esse desperdício além de pesar no bolso, tem forte impacto no meio ambiente, pois os recursos utilizados para a produção dos alimentos acabam sendo em vão.

 

Então, o que então podemos fazer para mudar essa realidade? A adoção de pequenas mudanças já seriam suficientes para alterar essa realidade. Confira abaixo três dicas:

 

  1. Descasque mais e desembale menos – isso significa dar preferência ao consumo de alimentos frescos e não industrializados. Alimentos naturais usam menos agrotóxicos, pesticidas e consequentemente são melhores para o meio ambiente e para a saúde.

 

  1. Planeje suas compras – quando for à feira ou ao supermercado, procure fazer uma lista e pensar nos alimentos que serão consumidos, isso evitará a compra de produtos desnecessários e consequentemente evitará o desperdício de produtos.

 

  1. Dê preferência a alimentos da estação e locais – ao planejar suas compras procure optar por alimentos da época e produzidos localmente. Além de conseguir comprá-los por menores preços, você evitará diversos impactos ao ambiente, que são gerados pelo armazenamento, conservação, transporte e duração de validade.

 

Leia também: 

 

https://g1.globo.com/economia/noticia/2019/02/10/cultura-da-fartura-impulsiona-desperdicio-de-alimentos-no-brasil.ghtml 

https://blog.racon.com.br/dicas-de-alimentacao-sustentavel-para-ajudar-o-meio-ambiente/