O documento foi lançado nesta terça (13) e assinado por CEOs de 28 empresas associadas à entidade e tem o apoio institucional de 5 entidades representativas; e pedido para que o Brasil se comprometa com a neutralidade de emissões em 2050, 10 anos antes do prazo fixado

 

O Conselho Empresarial para o Desenvolvimento Sustentável (CEBDS) juntamente com representantes de cerca de 30 empresas (ver lista completa abaixo) divulgaram ontem (13) o posicionamento “Neutralidade Climática: Uma grande oportunidade”, que prevê metas de neutralidade climática para 2050.

 

O lançamento feito com exclusividade em matéria do jornal Valor Econômico reitera que uma meta mais ambiciosa de neutralidade climática para 2050 trará ganhos ao Brasil em diversos segmentos: economia, com a geração de empregos verdes e investimentos crescentes em soluções de baixo carbono; comerciais, com poder de negociação mais sólido frente a seus principais competidores; ambientais, com incentivo à redução dos gases de efeito estufa (GEE); e reputacionais. 

 

O manifesto está dividido em quatro blocos temáticos e aponta a possibilidade de atração de recursos na ordem de US$ 17 bilhões para o país. Segundo a entidade, somente em termos de soluções baseadas na natureza, o Brasil, com 20% de toda a biodiversidade do planeta, pode tornar-se o grande player mundial da bioeconomia. “Possuímos vantagens competitivas claras em relação aos demais países e temos uma matriz energética limpa e renovável, recursos humanos capacitados, rica biodiversidade, disponibilidade de recursos naturais e setor privado engajado”, afirma o assessor técnico do CEBDS, Henrique Luz.

 

O CEBDS tem liderado o setor empresarial brasileiro devido à urgência para mitigar riscos decorrentes das mudanças climáticas. “São muitos desafios, mas estamos convictos que metas mais ambiciosas trarão mais oportunidades para o desenvolvimento de negócios, resultando em mais investimentos, de recolhimento de tributos e de geração de renda ao setor privado, à sociedade brasileira e, consequentemente, ao País. O setor empresarial brasileiro entende ter papel fundamental na superação de tais desafios e que o caminho passa pelo diálogo transparente e direto entre governo, empresas e sociedade civil, que são cruciais para os avanços necessários”, afirma a presidente do CEBDS, Marina Grossi.

 

O documento em questão também foi endereçado aos Ministros do Meio Ambiente, Agricultura, Agropecuária e Abastecimento, Relações Exteriores e Minas e Energia.

 

EMPRESAS PARTICIPANTES

 

CEO´s das seguintes empresas assinaram o documento: Bayer, Braskem, Bradesco, BRF, CBA, DSM, Ecolab, Eneva, EQUINOR, Icare, Ipiranga, Itaú, JBS, Lojas Renner, Lwart Soluções Ambientais, Marfrig, Michelin, Microsoft Brasil, Natura, Schneider Electric, Shell, Siemens Energy, Suzano, Ticket Log, Tozzini, Vedacit, Votorantim Cimentos, Way Carbon. 

A iniciativa conta com apoio institucional: Amcham Brasil, ABAG – Associação Brasileira do Agronegócio, CEBRI – Centro Brasileiro de Relações Internacionais, Coalizão Brasil Clima, Florestas e Agricultura e ICC – Câmara de Comércio Internacional

 

Matéria Valor Economico – lançamento do posicionamento – https://valor.globo.com/brasil/noticia/2021/04/13/lideres-empresariais-sugerem-ao-governo-mais-ambicao-climatica.ghtml 

 

https://cebds.org/publicacoes/neutralidade-climatica-uma-grande-oportunidade/#.YHjHT-hKjIU

 

Com informações da assessoria de imprensa.