Promoção à biodiversidade na cadeia produtiva

Ficha Técnica

Empresa

Ano:

2024

Metas envolvidas:

  • 3

    Promover e fortalecer melhores práticas que favoreçam o uso racional dos recursos da biodiversidade

Descrição geral

A Bracell realiza o cultivo de eucalipto sob os padrões de certificação e adota a técnica de manejo em mosaico florestal, favorecendo a biodiversidade, serviços ecossistêmicos e as paisagens. São práticas de conservação e proteção do meio ambiente: a manutenção de mecanismos para identificar espécies endêmicas, raras, ameaçadas ou em perigo e seus habitats em plantações e reservas florestais; a proteção das plantações e de reservas florestais da extração ilegal de madeira e outros produtos, ocupação por terceiros, caça, pesca e outras atividades não autorizadas, assim como incêndios florestais; o monitoramento de quaisquer infrações e compartilhamento de informações com as autoridades competentes; comprometimento com o desmatamento zero e adoção de política contra queimadas; gerenciamento dos recursos hídricos disponíveis de forma responsável e com cumprimento à legislação. 

Para promover e fortalecer melhores práticas que favoreçam o uso racional dos recursos da Biodiversidade, a Bracell realiza o cultivo de eucalipto em mosaicos florestais. O eucalipto é plantado apenas em áreas antropizadas, ou seja, onde já eram realizadas atividades agropecuárias. A Bracell conta com equipe especializada em geoprocessamento, que monitora o uso de solo das propriedades a partir de ferramenta de alta resolução, de forma a empregar análises temporais de imagens via satélite. Dessa forma, a Companhia não estabelece acordos contratuais com propriedades com histórico de conversão de florestas nativas, em consonância com o Código Florestal Brasileiro e os princípios da certificação. Além disso, as Áreas de Preservação Permanente e Reserva Legal são demarcadas, e ações de conservação e restauração, quando necessárias, são empregadas para garantir a qualidade ambiental da área.

A Bracell tem ações de conservação e recuperação da biodiversidade nos estados de São Paulo e Bahia. Em 2022, a Companhia firmou parceria com a Fundação SOS Mata Atlântica para restauração em propriedades parceiras. Por meio do Programa Florestas do Futuro, executado pela Fundação, a Bracell iniciou a restauração florestal de matas ciliares, contribuindo com a proteção dos recursos hídricos das nascentes em São Paulo e na Bahia. Em São Paulo, a primeira fase foi finalizada em 2023 e resultou no plantio de 77 mil árvores do bioma Mata Atlântica em áreas de parceiros da companhia nos municípios de Botucatu, Agudos e Piratininga. 

Na Bahia, o Programa de Regularização Ambiental (PRA) tem por características a restauração de ambientes degradados através de implantação de projetos de restauração ecológica, erradicação de espécies exóticas e monitoramento de regeneração passiva (natural) e ativa (intervenções). Idealizado muito além da regularização legal, o PRA vem sendo desenvolvido através de um raciocínio baseado na complexidade ecológica natural buscando compor redes complexas de interações fauna-flora. Em 2023 mais de 60 hectares passaram por processos de restauração ativa e mais de 450 hectares por controle de espécies exóticas invasoras. Já em 2024, a meta é incluir estratégias robustas para a restauração do horizonte orgânico, desenvolver parceiros para melhorar os resultados na restauração florestal, assim como criar métodos de monitoramentos mais assertivos para a regeneração natural.

Em 2023, desenvolvemos o projeto de Gestão Integrada da Paisagem em parceria com a Conservação Internacional -CI Brasil. O projeto consiste um Sistema de Indicadores aderente aos interesses da Bracell em ampliar o conhecimento e subsídio para ações de restauração e conservação em conjunto com atores regionais. O produto tem como objetivo orientar e agilizar processos de tomada de decisão regionais (bacias hidrográficas) e locais (municípios, unidades de conservação e microbacias). 

A Bracell monitora as áreas de restauração por meio de indicadores pré-estabelecidos de acordo com metodologias reconhecidas, como: altura das mudas, mortalidade de mudas, riqueza de espécies, cobertura do solo e erosão. O monitoramento é conduzido até o quinto ano de projeto, em que a área deve apresentar estrutura florestal para sustentar a restauração ecológica.