CEBDS lança dois Guias de Sustentabilidade para Empresas

 

O Conselho Empresarial Brasileiro para o Desenvolvimento Sustentável (CEBDS) lançou hoje duas publicações da série Como Inserir a Sustentabilidade em seus Processos – Finanças e Gestão de Pessoas. Os volumes fazem parte de uma série de 10 guias cujo objetivo é engajar as diferentes áreas das empresas, tornando a sustentabilidade transversal a elas. Inspirados em cases, boas práticas e experiências de sucesso em empresas líderes no país, cada guia busca fomentar e orientar profissionais de diferentes departamentos a aplicarem a sustentabilidade no dia a dia das organizações.

“A dinâmica do desenvolvimento sustentável aplicada aos negócios das empresas, nos mais diversos setores, é o que concretiza de fato o conceito de ‘sustentabilidade’ e é capaz de repercutir sobre aspectos cruciais visando à manutenção, continuidade e sobrevivência dos negócios”, explica Marina Grossi, presidente do CEBDS. Essa dinâmica afeta a reputação da empresa e, consequentemente, o seu desempenho e a aceitação ou a rejeição de seus públicos de relacionamento. Há empresas que assumem de fato um compromisso com o mundo e não só repensam seus processos para torná-los amigáveis ao futuro, como disseminam essa ideia.

Os guias trazem conceitos, especificidades dos setores industrial, de varejo e de serviços, além de recomendações, dicas e experiências positivas de empresas, que já implementaram essa gestão. Eles funcionam como um convite para as empresas pensarem sustentabilidade em todos os departamentos. A partir daí adaptações e novas iniciativas poderão ser desenvolvidas e compartilhadas, potencializando a estratégia de sustentabilidade nas organizações.

Consenso entre os executivos, engajar os funcionários é o maior desafio e também a parte mais importante para que os conceitos e práticas ligadas à sustentabilidade sejam de fato incorporadas. “O envolvimento é a parte mais importante”, reforçou Daniela Freire, da Alcoa.

“A alta liderança precisa comprar a ideia”, falou Sidemberg Rodrigues, gerente de Comunicação, Imagem e Responsabilidade Social da Arcelor Mittal. “Para chegar a toda empresa é preciso investir tempo, ir até os locais, explicar, comunicar e trocar”, completou Flávia Tozatto – gerente de Sustentabilidade da BASF.

Afinal, a sustentabilidade acontece de fato em outros departamentos e não no corporativo.  De acordo com Lígia Camargo, gerente de sustentabilidade da Unilever, “é preciso se despir do ego e dar crédito as áreas que de fato entregam a sustentabilidade”.

Outro ingrediente importante nesta fórmula é o econômico. De acordo com Edgar Franco, vice-presidente da Schneider Electric, uma das medidas adotadas pelo Barômetro Planeta e Sociedade, a conquista das metas tem relação com o bônus dos executivos no final do ano. “O grande exercício do Barômetro é que ter um número para avaliar permite que você leve isso de forma concreta para diretoria”, explicou o executivo.

O Guia para a área de Finanças tem o objetivo de apoiar o departamento na adoção de práticas que promovam o desenvolvimento sustentável da organização, entendendo a sua interdependência com o mercado onde atua. O guia aborda a relação entre a sobrevivência do negócio com seu papel de transformação e geração de mercado para seus produtos, retroalimentação da cadeia de consumo, produção, geração de renda e como a corporação integra-se à rede de atores.

Já o Guia para a área de Gestão de Pessoas tem o objetivo de apoiar o departamento na adoção de práticas que promovam o desenvolvimento sustentável da organização, desde a função estratégica da área, contratação do colaborador, integração dele em suas funções e no seu dia a dia. A transversalidade do departamento com o restante da empresa capilariza as políticas e diretrizes de sustentabilidade. É importante pensar também que cada empregado é um multiplicador da companhia e, com ele, é possível extrapolar as paredes da empresa, sensibilizando stakeholderse fortalecendo o tecido social onde a organização atua.

Também estiveram presentes no evento de lançamento Cristiana Pereira, Diretora Comercial e de Desenvolvimento de Empresas da BM& FBovespa, Alexandre Teixeira, autor do livro Felicidade S.A, Sidemberg Rodrigues, gerente de Comunicação, Imagem e Responsabilidade Social da Arcelor Mittal, Anna Coubassier – gerente de Educação Corporativa da Brasil Kirin, Flávia Renata Tozatto – gerente de Sustentabilidade da BASF e Edgard Franco – vice-presidente da Schneider Electric.

Foram priorizadas dez áreas das empresas e o objetivo é lançar dois Guias por ano. Em 2015 serão produzidos os guias de Pesquisa & Desenvolvimento e Marketing.