Roda de Conversa com embaixadora da Noruega

A presidente do CEBDS, Marina Grossi, participou de uma Roda de Conversa com a embaixadora da Noruega no Brasil, Aud Marit Wiig, e mais 20 mulheres, no Instituto Clima e Sociedade, na última quarta-feira (12), no Rio de Janeiro. O encontro foi promovido pelo Comitê de Relações Internacionais da Rede de Mulheres Brasileiras Líderes pela Sustentabilidade.

Durante o encontro, a embaixadora falou sobre as relações entre Noruega e Brasil, destacando as questões climáticas. A Noruega gerencia os recursos naturais e seus negócios no Brasil de forma sustentável. Um de seus focos é a recuperação e preservação da paisagem e da vegetação através das parcerias com a Amazon Forest University (Oslo) e a Universidade do Pará. Também desenvolve trabalho conjunto com a Amazon Fund — que prevê a transferência de US$ 1 bilhão em cinco anos — que está na quarta fase e, agora, focalizado em como lidar com as questões do desmatamento, especialmente junto à cultura de soja.

Marina, que também é membro do conselho da Rede, juntamente com as demais conselheiras Adriana Moreira, Ana Toni, Consuelo Yoshida, Margaret Groff, Marianne Lachmann, Thais Corral e Vania Somavilla, apresentou um resumo das atividades e articulações desenvolvidas nos últimos cinco anos e a missão constante de promover uma forte agenda de desenvolvimento que leve em consideração a mulher e a sustentabilidade. Um dos depoimentos, foi o de Margaret Groff, diretora financeira executiva de Itaipu. Ela é a única brasileira a receber o Oslo Business for Peace Award, da norueguesa Business for Peace Foundation, pelo seu trabalho na Itaipu Binacional em favor do desenvolvimento profissional das mulheres, aumentando a participação no nível gerencial de 10 para 21% em 9 anos.

Em relação à missão da Rede, a embaixadora disse que existem trabalhos parecidos na Noruega, mas nenhum exatamente nesse formato. Para Aud Marit as mulheres do setor privado ainda estão “behind”; e contou que em seu país o processo de empoderamento da mulher já ocorre naturalmente, porque governo e empresas estabeleceram metas e cotas.

A Rede de Mulheres Brasileiras Líderes pela Sustentabilidade é uma iniciativa do Ministério do Meio Ambiente. Criada em 2011, tem como objetivo estimular ações de sustentabilidade de mulheres que atuam na liderança de instituições públicas e privadas, com ou sem fins lucrativos.