Vedacit aposta no engajamento sem redução de salários e jornada

Data: 22/06/2020
Autor:

Em entrevista ao jornal Valor Econômico, o presidente da Vedacit, Marcos Bicudo, avaliou que a forma como a empresa vem conduzindo a gestão da crise deverá resultar em maior engajamento dos funcionários. Desde o início da pandemia, a Vedacit não fez demissões e tampouco realizou reduções de jornada de trabalho ou de salários.

Em relação às perspectivas, a Vedacit está menos conservadora do que no início da crise, há dois meses, e fez um novo ajuste nas projeções para 2020, passando a não considerar mais o pior cenário que havia traçado. Segundo Bicudo, a fabricante de impermeabilizantes espera agora que, no acumulado do ano, o faturamento supere em 3% o de 2019.

“As vendas de abril corresponderam a 58% do mesmo mês de 2019. As de maio chegaram a 75% das de maio do ano passado”, diz o presidente da Vedacit, Marcos Bicudo. A rápida retomada da abertura das revendas – principal canal de escoamento dos produtos – contribuiu para o desempenho acima do projetado no início da quarentena. O executivo atribui parte das vendas ao auxílio emergencial de R$ 600 pago governo a uma parcela da população.

Na avaliação do executivo, após a pandemia, o acesso de parcela maior da população a saneamento básico e habitação saudável deverá fazer parte da “agenda de reconstrução” do país, o que beneficiará a cadeia da construção civil.

Confira a íntegra da reportagem:

https://valor.globo.com/empresas/noticia/2020/06/12/vedacit-reve-projecoes-e-acredita-em-pequeno-crescimento-em-2020.ghtml