Os ODS criam o quadro para práticas comerciais sustentáveis e guiam decisões estratégicas de negócios

Data: 01/09/2017
Autor:

Em 2050, quase dez bilhões de pessoas viverão na Terra. Enquanto a população mundial e suas necessidades devem continuar crescendo, os recursos do planeta são finitos. O crescimento populacional está associado a enormes desafios globais e, ao mesmo tempo, representa oportunidades, especialmente para a química.

Com essa perspectiva, trabalhamos para influenciar a cadeia produtiva e sermos uma força motora para o atingimento dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS). Entendemos que isso é possível porque a química é uma facilitadora para um futuro sustentável. Nas nossas práticas de negócios, os ODS contribuem para a tomada de decisão e nos guiam no desenvolvimento de soluções inovadoras que tenham um impacto positivo para que todos alcancem esses objetivos globais.

Um exemplo são as soluções para o setor da construção civil – um segmento importantíssimo considerando que, nos próximos 30 anos, mais de 70% da população mundial viverá em cidades -, que estão relacionadas diretamente com os objetivos 9 – Indústria, Inovação e Infraestrutura; 11 – Cidades e Comunidades Sustentáveis; e 12 – Consumo e Produção Responsáveis.

A água é o segundo insumo mais utilizado na construção depois do cimento, que, por sua vez, é uma das grandes fontes de emissão de CO2. Segundo dados da Escola Politécnica da USP, para a confecção de um metro cúbico de concreto, por exemplo, se gasta em média de 160 a 200 litros de água.

Para reduzir esse número, a BASF desenvolveu o hiperplastificante MasterGlenium®, que aumenta a eficiência da hidratação do cimento e reduz o uso de água em mais de 40% em relação aos processos convencionais (ODS6). A sustentabilidade também é promovida pela redução do consumo de cimento e, consequentemente, diminuição da emissão de gases do efeito estufa (ODS13). Um exemplo é o trabalho realizado na construção de grandes usinas hidrelétricas. Em apenas uma obra, foi possível atingir uma economia de mais de 188 mil litros de água e 273 mil toneladas de cimento, além de evitar a emissão de 150 mil toneladas de CO2.

A conservação da fachada de casas e prédios é outro exemplo, por demandar centenas de litros de água para limpeza. A tinta Suvinil Sempre Nova, para pintura de áreas externas, tem tecnologia de nano partículas, exclusiva da BASF, e repele sujeira, permitindo que as paredes sejam limpas apenas com a água da chuva (ODS6).

Já os aditivos para a fabricação de pisos drenantes permitem o recolhimento e reaproveitamento da água de chuva. Na casa ecoeficiente da BASF – a CasaE, a água passa pelos pisos – que têm até 90% de permeabilidade -, e é armazenada em reservatórios, para ser reutilizada na limpeza da área externa e na rega dos jardins (ODS6).

Outros materiais construtivos podem gerar economia se levado em conta todo o seu ciclo de vida. Um estudo realizado pela Fundação Espaço ECO® – OSCIP instituída pela BASF e que atua como consultoria em sustentabilidade (ODS17) – com 18 produtos presentes na CasaE, mostrou uma redução de 64% no consumo de água consultiva, se comparada a produtos equivalentes numa construção tradicional em 40 anos. Essa redução equivale ao abastecimento para mais de 2 mil habitantes em um dia. Ou, ainda, corresponde ao volume de água consumido em 443 banhos ou em 192 ciclos de uma lavadora de roupa. Quando avaliado o consumo de energia, a economia equivale ao consumo de 9.063 residências em um dia.

Esses são exemplos de como a sustentabilidade está inserida de forma estratégica nos negócios da BASF e de que forma apoiamos a Organização das Nações Unidas na implementação dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, que criam o quadro para práticas comerciais sustentáveis nos pilares econômico, social e ambiental.