Presidente do Itaú diz que banco não financiará empresas que desmatarem

O presidente do Itaú Unibanco, Candido Bracher, em entrevista ao Estadão, afirmou que é necessário discutir a regularização fundiária, com planos de incentivo para os proprietários de terra que mantêm as árvores em pé. “Vamos montar um plano para desestimular o consumo de gado criado em área ilegal. Não vamos financiar essa cadeia, se (as empresas) estiverem nessas condições.”

Uma das prioridades na questão ambiental dos principais bancos privados do Brasil (Itaú, Bradesco e Santander) é evitar que as atividades agrícolas contribuam para o desmatamento da Amazônia. Segundo Bracher há uma ausência de políticas públicas de qualidade em relação à Amazônia. “Claramente, a política ambiental do governo no que se refere à questão da Amazônia não está funcionando. Nós precisamos ajudar, e o governo tem de agir com eficiência maior. Essa pandemia mostrou aos bancos o potencial da ação conjunta para o bem (geral). A questão ambiental preocupa os três bancos. Estamos todos expostos às pressões internacionais, pois conversamos com os investidores estrangeiros e sentimos as preocupações do mundo”, declarou.

Clique e saiba mais

compartilhe:

Assine nossa newsletter

Informe seu e-mail e receba os nossos conteúdos. Respeitamos a privacidade das suas informações não compartilhando-as com ninguém.

Notícias relacionadas

Confira as notícias mais atuais e relevantes para ficar por dentro do que está em debate na agenda do Desenvolvimento Sustentável.

Publicações relacionadas

Quer se aprofundar ainda mais neste assunto? Confira aqui outras publicações relacionadas a esta mesma temática.

Eventos relacionados

Confira nossos próximos eventos relacionados a este tema e junte-se a nós para debater e compartilhar melhores práticas.