WWF: Brasil é um dos países que mais desmatam, com maior risco para novas doenças

O WWF Internacional pesquisou, entre 29 países, quais os que mais desmataram florestas e outros ecossistemas entre 2000 e 2018. O Brasil apareceu como um dos principais destruidores, com Amazônia e Cerrado no topo da lista de biomas mais danificados. O resultado acende um alerta: o país pode ser um local de origem de novas zoonoses e doenças similares à Covid-19. A pesquisa, intitulada “Frentes de desmatamento: vetores e respostas em um mundo em evolução”, foi divulgada na quarta-feira e realizada na América Latina, na África Subsaariana, no Sudeste Asiático e na Oceania. 

Saiba mais: Série de webinares do CEBDS discute a relação da Covid-19 com a sustentabilidade

Segundo os especialistas, com o desmatamento, o equilíbrio entre o homem e a fauna fica alterado e abre caminho para o surgimento de doenças zoonóticas (aquelas que passam de animais para humanos), como é o caso da Covid-19, do Ebola, entre outras.

Piauí: João Moreira Salles escreve sobre a relação entre destruição do meio ambiente e novas doenças

Não há nada a se comemorar com os resultados apresentados: pelo menos dois terços da perda de cobertura florestal global nestes oito anos ocorreram nessas regiões tropicais e subtropicais. São 43 milhões de hectares devastados, equivalente praticamente à área do Marrocos.

compartilhe:

Assine nossa newsletter

Informe seu e-mail e receba os nossos conteúdos. Respeitamos a privacidade das suas informações não compartilhando-as com ninguém.

Notícias relacionadas

Confira as notícias mais atuais e relevantes para ficar por dentro do que está em debate na agenda do Desenvolvimento Sustentável.

Publicações relacionadas

Quer se aprofundar ainda mais neste assunto? Confira aqui outras publicações relacionadas a esta mesma temática.

Eventos relacionados

Confira nossos próximos eventos relacionados a este tema e junte-se a nós para debater e compartilhar melhores práticas.