WWF: Brasil é um dos países que mais desmatam, com maior risco para novas doenças

O WWF Internacional pesquisou, entre 29 países, quais os que mais desmataram florestas e outros ecossistemas entre 2000 e 2018. O Brasil apareceu como um dos principais destruidores, com Amazônia e Cerrado no topo da lista de biomas mais danificados. O resultado acende um alerta: o país pode ser um local de origem de novas zoonoses e doenças similares à Covid-19. A pesquisa, intitulada “Frentes de desmatamento: vetores e respostas em um mundo em evolução”, foi divulgada na quarta-feira e realizada na América Latina, na África Subsaariana, no Sudeste Asiático e na Oceania. 

Read more: Série de webinares do CEBDS discute a relação da Covid-19 com a sustentabilidade

Segundo os especialistas, com o desmatamento, o equilíbrio entre o homem e a fauna fica alterado e abre caminho para o surgimento de doenças zoonóticas (aquelas que passam de animais para humanos), como é o caso da Covid-19, do Ebola, entre outras.

Piauí: João Moreira Salles escreve sobre a relação entre destruição do meio ambiente e novas doenças

Não há nada a se comemorar com os resultados apresentados: pelo menos dois terços da perda de cobertura florestal global nestes oito anos ocorreram nessas regiões tropicais e subtropicais. São 43 milhões de hectares devastados, equivalente praticamente à área do Marrocos.

Share:

Sign up for our newsletter

Enter your email and receive our content. We respect the privacy of your information by not sharing it with anyone.

Related news

Check out the most current and relevant news to stay on top of what is being debated on the Sustainable Development agenda.

Related publications

Want to go deeper into this subject? Check here other publications related to this same theme.

related events

Check out our upcoming events related to this topic and join us to discuss and share best practices.