Conselho de Líderes do CEBDS se reúne no MME

O Conselho de Líderes do CEBDS – formado por CEOs das empresas associadas – esteve em comitiva com o ministro de Minas e Energia Bento Albuquerque nesta quarta-feira (25). Liderado pela presidente do CEBDS, Marina Grossi, o grupo foi apresentar as propostas da Agenda CEBDS por um País Sustentável, das quais mais da metade tratam direta ou indiretamente da pauta de energia.

 

“Abrimos a possibilidade de uma agenda em comum, a partir da composição de um fórum de CEOs e um grupo de trabalho em conjunto com o MME para acelerar a transição energética no Brasil, ampliando as fontes renováveis na matriz energética e destravando gargalos que hoje atrasam essa pauta”, afirmou Marina após o evento.

 

Participaram da reunião, além de Marina e da gerente técnica Laura Albuquerque, coordenadora da Câmara Temática do Clima, os CEOs da Shell, André Araújo; da Neoenergia, Solange Ribeiro; da Alcoa, Otávio Carvalheira; o VP de Sustentabilidade da Equinor, Paulo Henrique Van Der Ven; Julio Jacob, da Iguá Saneamentos; Rodolfo Sirol e Gustavo Gachineiro, ambos da CPFL. Para Laura Albuquerque, a reunião é de extrema importância na criação de uma agenda conjunta e na implementação da Agenda CEBDS.

A Schedule CEBDS propõe ações para a transição em direção a uma economia de baixo carbono, por meio de marcos legais que dialogue com a inovação tecnológica e mecanismos de financiamento, como o mercado de carbono e critérios sustentáveis para crédito. As ideias presentes no documento apontam caminhos para a modernização do modo como os brasileiros vivem e produzem, desde recursos como água e eletricidade, até serviços como transporte e crédito, passando pela busca por condições justas no mercado de trabalho.

No setor de energia, destaca-se a necessidade urgente de aumento do uso de fontes renováveis e de novas políticas de eficiência energética, que combatam o desperdício. Segundo os dados mais atuais, as fontes de energias renováveis respondem por menos da metade (43,5%) da matriz energética brasileira. Os combustíveis fósseis, que mais contribuem para as emissões de GEE, ainda representam a maior parcela.

O Brasil apresenta vantagens comparativas em relação aos demais países, devido à sua expressiva biodiversidade, mas, apesar de seu potencial, o País viu suas emissões crescerem 12,6% nos anos de 2015 e 2016, mesmo diante de uma redução do Produto Interno Bruto (PIB) de 7,4% no mesmo período.  

O país vivencia uma expansão da energia renovável, em dois anos, o número de instalações de painéis de energia solar foi de 7.400 para 49 mil unidades em todo o Brasil. Os altos custos da energia elétrica e o barateamento dos equipamentos são alguns dos motivos da rápida expansão da tecnologia.  Um dos projetos que demonstram essa rápida ascensão é o projeto que está sendo implantado no Cadeg, em Benfica. Mais de cinco mil placas fotovoltaicas formam o maior telhado solar da capital fluminense. 

Num país de dimensões continentais como o Brasil, em que há abundância de sol e de ventos fortes e regulares, as fontes de energia renováveis são um caminho natural e desejável para o país. À medida que o tempo avança, os preços de implantação desses sistemas tendem a ficar mais competitivos, o que acaba impulsionando ainda mais essas iniciativas. 

O consumo de energia vinda de fontes limpas tem demonstrado ser uma boa opção também para as empresas, por ser uma solução acessível para o comércio e a indústria, sendo a forma escolhida por muitas empresas para reduzir custos de energia e sua pegada de carbono, que é uma metodologia criada para medir as emissões de gases estufa, e também auxiliar no alcance de suas metas em sustentabilidade. Diversas companhias têm apostado em compra de energias renováveis por meio de PPAs (Power Purchase Agreements), que é um contrato de energia elétrica, similar a um contrato regular no mercado livre.  por meio de contratos. O CEBDS conta com um  guia, que fornece um panorama sobre o uso de PPAs corporativos de energia renovável e as oportunidades que eles apresentam para empresas no Brasil.

Council of Leaders 

O Conselho de Líderes do CEBDS se firmou com um importante impulsionador do diálogo entre os CEO das companhias e o governo, nos níveis municipal, estadual e federal. O Conselho de Líderes já elaborou e lançou dois estudos sobre a área de energia: um sobre financiamento à energia renovável e outro a respeito de consumo eficiente de energia. Todos estes materiais se caracterizam por análises aprofundadas, são concebidos a partir da troca de conhecimento entre as empresas e autoridades públicas e que trazem soluções concretas. O momento agora é de juntar esforços e implementá-las.

O Conselho é aberto a todas as empresas que sejam associadas e cujos CEOs estejam dispostos a participar ativamente das reuniões. Se quiser saber em primeira mão os novos conteúdos e palestras promovidos pelo Conselho de Líderes e pelo CEBDS como um todo, continue acompanhando o nosso blog e seja um associado!

Share:

Sign up for our newsletter

Enter your email and receive our content. We respect the privacy of your information by not sharing it with anyone.

Related news

Check out the most current and relevant news to stay on top of what is being debated on the Sustainable Development agenda.

Related publications

Want to go deeper into this subject? Check here other publications related to this same theme.

related events

Check out our upcoming events related to this topic and join us to discuss and share best practices.