Procuram-se líderes da sustentabilidade

Por Marcos Bicudo e Marina Grossi*A essência da palavra líder permanece a mesma de séculos atrás. Como no passado, o líder de hoje deve reunir conhecimento e capacidade de influenciar grupos sociais para indicar o melhor caminho a ser seguido. Contudo, seja no âmbito local, nacional ou global, as atribuições do líder do século 21 são muito mais complexas em função do volume de demandas e de variáveis. Para vencer os obstáculos econômicos, sociais e ambientais nos próximos 40 anos – e atingir um estágio de sustentabilidade satisfatório na metade deste século -, precisamos formar líderes.Eles terão como missão atuar com capacidade transformadora nos setores-chave da sociedade governos, empresas e organizações sociais e acadêmicas. Além de motivar o seu grupo para que aceite as mudanças, os líderes da sustentabilidade precisam ainda desenvolver a expertise de criar um ambiente de entendimento entre os diferentes setores da sociedade.

As empresas têm grande responsabilidade nesse processo, ou seja, conduzir o mundo para um modelo de desenvolvimento capaz de movimentar a atividade econômica, proporcionar oportunidade para todos e recuperar e manter o equilíbrio dos ecossistemas. Hoje, a agenda do crescimento econômico continua preponderando sobre a do desenvolvimento sustentável, como consumo e o esgotamento dos recursos naturais em ritmo exponencial. No setor privado, a visão de curto prazo se mantém em alta, apesar da clara percepção da sua inviabilidade e da queda nas taxas de retorno.

O economista indiano Pavan Sukhdev disse recentemente que “o caminho para a economia verde está nas corporações, na mudança no modelo de negócios das grandes indústrias, como as que dominam os setores energético e petroquímico”.

Uma pesquisa feita em 24 países pela Ipso confirma a tese de Pavan.

Mais da metade do entrevistados – 63% – acreditam que as empresas podem conduzir as mudanças no mundo, enquanto os 37% restantes depositam suas esperanças nos políticos. No Brasil, 61% confiam no papel das corporações para implementar as mudanças.

Base para o planejamento estratégico de grandes corporações instaladas no país, o documento Visão Brasil 2050 – construído com a participação de mais de 400 especialistas e 70 empresas e lançado pelo CEBDS na Rio+20 – é subsídio para a tomada de decisão da liderança do setor empresarial e para o diálogo com os governos e a sociedade. Nesse contexto, a liderança tem papel essencial.

Nesse contexto, a liderança tem papel essencial, de fio condutor deste processo de mudança para um modelo de desenvolvimento mais sustentável. Nos países em desenvolvimento ou ainda não amadurecidos a importância destas lideranças se torna ainda maior em razão, principalmente, de seu potencial de crescimento e da criatividade das soluções que caracteriza as lideranças formadas aqui.

A Universidade de Cambridge percebeu essa demanda e traz para o Brasil, em parceria com o CEBDS, seu programa de referência na formação de lideranças, o Programa de Negócios e Sustentabilidade, que será ministrado de 25 a 28 de setembro, em São Paulo. O programa tem formado líderes empresariais na Europa e nos EUA e chega pela primeira vez à América Latina. Não obstante aos nossos sérios passivos ambientais e, sobretudo sociais, há grande expectativa de que poderemos nos transformar em protagonistas expressivos da economia verde.

*Chairman do CEBDS (Conselho Empresarial Brasileiro para o Desenvolvimento Sustentável) e Presidente do CEBDS

Fonte: Brasil Economico – 18/09/2013

 

Share:

Sign up for our newsletter

Enter your email and receive our content. We respect the privacy of your information by not sharing it with anyone.

Related news

Check out the most current and relevant news to stay on top of what is being debated on the Sustainable Development agenda.

Related publications

Want to go deeper into this subject? Check here other publications related to this same theme.

related events

Check out our upcoming events related to this topic and join us to discuss and share best practices.