Buscando o Conhecimento nas Informações

O lançamento do Framework em Português do IIRC do Relato Integrado (RI), que aconteceu no dia 22 de maio, foi uma manhã marcada por falas e teses persuasivas , casos práticos e uma perspectiva de mudanças no horizonte. Ficou claro que o Relato Integrado é um instrumento que veio pra ficar e que esta jornada não tem retorno.  O Relato Integrado, estabelecido pelo International Integrated Reporting Council (IIRC), tem como objetivo conectar em uma plataforma única e concisa informações financeiras e socioambientais das empresas.

A mesa de abertura do evento foi composta pela CVM, Banco Central, IBGC, CRC-SP, IBM&F Bovespa, Febraban e o convidado de honra, o CEO do IIRC, Paul Druckman.  O Banco Central mostrou que está empenhado em avançar o disclosure de informações das instituições financeiras, que seria o próximo passo após a recém lançada Resolução 4327, que determina que estas instituições apresentem uma política de responsabilidade socioambiental dentro dos  princípios de proporcionalidade e relevância.  A BM&F Bovespa também já adicionou o RI na sua iniciativa de Relate ou Explique.  A CVM deu uma palestra muito curta, mostrou apoio ao instrumento, porém na minha opinião mostrou pouco comprometimento e ficamos sem uma orientação concreta de como a instituição tratará essa questão. Para os contadores, ficou claro que muito terá que evoluir na profissão, desde a formação acadêmica até as práticas atuais para se adequar a esse novo mundo, onde ativos intangíveis representam uma parte crescente da riqueza das empresas. Neste quesito foi citado como exemplo a  Coca-Cola onde estima-se que a marca seja responsável por 47% do valor de mercado de uma empresa.

Paul Druckman deixou claro que a ambição do IIRC não é produzir mais um relatório, e sim criar um ciclo virtuoso de troca de informações possibilitando mercados mais estáveis e um mundo sustentável.  Defendeu a tese de que o bombardeio de informações que sofremos hoje está ocasionando uma perda de conhecimento.  O RI não visa aumentar a transparência e sim melhorá-la ao enxergar a companhia pela “porta de entrada” da estratégia ao invés da “escada” dos dados.  Informações relevantes deixam de ser extraídas de notas explicativas e passam a ser evidenciadas pela companhia, equilibrando entre as positivas e não tão boas.  Paul citou alguns relatórios como exemplo de boas práticas (ver abaixo). O executivo do IIRC ainda nos adiantou que será lançado no próximo mês o Corporate Reporting Dialogue, que visa colocar os principais players da arena de relatórios corporativos na mesma mesa – o IIRC, IASB, FASB, GRI, CDP e SASB – com o objetivo de reduzir a fatiga de dados solicitados das empresas.

Os casos práticos apresentados na mesa facilitada pelo Prof. Nelson Carvalho: Natura, Itaú e AES demonstraram a complexidade de integrar processos dentro das empresas para lograr um relato integrado.  Merece destaque o Itaú, representado pelo Diretor Alexsandro Broedel Lopes,  que ressaltou que o VPL do projeto de RI no Itaú teve “altíssimo VPL” e citou entre os benefícios auferidos maior confiabilidade dos dados, acessibilidade das informações e atração de uma base mais desejável de investidores.

Por fim, Vânia Borgerth apresentou o trabalho da Comissão Brasileira de Acompanhamento do Relato Integrado, que hoje conta com mais de 280 participantes, cujo modelo está sendo replicado mundo afora.  O GT de Empresas Pioneiras no Relatório de Sustentabilidade , coordenado pela GRI, CDP, CEBDS e PRI, apresentado por Gláucia Terreo da GRI, fechou com chave de ouro o lançamento do Framework.

Relatórios Integrados oriundo de diversas partes do mundo citados como benchmark pelo Paul Druckman:

  • Vodacom – bom equilíbrio entre as noticias boas e negativas.
  • SAP – bom exemplo de como mostrar valor de investimentos com a força de trabalho.
  • Stockland, empresa do setor imobiliário da Austrália.
  • DBS bank – empresa da Ásia, líder do grupo de bancos no piloto do IIRC.
  • Lawson – empresa de comércio no Japão.
  • Itaú Unibanco – o Prof. Nelson também recomenda esse relatório como um dos 3 melhores do mundo.
  • Potash Corp- empresa norte-americana, porém tendencioso mostrando mais notícias positivas.
Share:

Sign up for our newsletter

Enter your email and receive our content. We respect the privacy of your information by not sharing it with anyone.

Related news

Check out the most current and relevant news to stay on top of what is being debated on the Sustainable Development agenda.

Related publications

Want to go deeper into this subject? Check here other publications related to this same theme.

related events

Check out our upcoming events related to this topic and join us to discuss and share best practices.