Inovação no ensino de ciências

Os últimos resultados do Pisa (Programa Internacional de Avaliação de Alunos) da OCDE mostram que os alunos brasileiros ainda têm um longo caminho a percorrer na proficiência em matemática e ciências. Apesar do interesse na área – 40% dos estudantes brasileiros gostariam de seguir carreira em ciência e tecnologia e 50% deles se divertem e gostam de aprender tópicos científicos – o modelo de ensino das disciplinas STEM (Ciência, Tecnologia, Engenharia e Matemática) pode e deve ser aperfeiçoado, refletindo a realidade e os desafios do século XXI. Mudar esta realidade passa pela capacitação de nosso corpo docente nos Ensinos Fundamental e Médio, e também pelo maior envolvimento dos pais na vida escolar de seus filhos. Isso é de tal importância que a ONU incluiu nos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável a necessidade de “assegurar uma educação inclusiva, equitativa e de qualidade, e promover oportunidades de aprendizagem ao longo da vida para todos”.

A influência que bons professores têm em nossas vidas pode ser transformadora e determinante em nosso futuro. Em diversas matérias, mestres inspirados nos mostram que suas disciplinas podem mudar o mundo – e provocam os jovens a fazer exatamente isso. Educadores têm em suas mãos o poder de fazer estudantes sonharem alto, especialmente quando o assunto são ciências e matemática. Os cálculos, equações e elementos da tabela periódica são ferramentas fundamentais para biólogos e químicos que trabalham na cura de doenças que nos afligem. Conhecimentos de química, física e biologia são vitais para inovações que nos permitem criar biocombustíveis a partir de resíduos. A lista de aplicações práticas é infinita. O Brasil precisa lidar com a carência de profissionais de qualidade em setores como engenharia e tecnologia da informação, e a mudança de paradigma começa nos primeiros anos de ensino de ciências.   

É possível dinamizar o ensino das disciplinas STEM trazendo questões da vida real para a sala de aula, mostrando a aplicação prática do conhecimento. Crianças e jovens são curiosos por natureza, e sentem-se desafiados, instigados a conhecer o mundo. Eu mesmo tive a oportunidade de conhecer iniciativas incríveis. Na rede pública do ensino médio em Três Rios há um professor que ensina eletroquímica mostrando o que há em comum entre pilhas, celulares, tablets e produtos de limpeza. Em uma escola municipal da Urca, alunos do ensino fundamental aprendem a identificar e combater o mosquito da dengue, zika e chikungunya participando de projetos de conscientização junto a amigos e familiares. Iniciativas como essas devem ser multiplicadas, a fim de inspirar jovens a ir além e quebrar a barreira que impede que mais alunos optem por carreiras ligadas à ciências, tecnologia, engenharia e matemática.

Por meio de nossos investimentos em educação científica, a Shell busca incentivar o aprendizado nessas áreas de conhecimento, estimulando o interesse dos estudantes. Nossos projetos são direcionados para alunos e professores da rede pública de ensino, especificamente aqueles de origens sociais mais vulneráveis. Destaco o Prêmio Shell de Educação Científica, que tem o objetivo de identificar, reconhecer e valorizar professores que desenvolvem projetos educativos inovadores e de qualidade junto aos seus alunos.  O Prêmio está em sua quarta edição no estado do Rio de Janeiro e na primeira edição no Espírito Santo. Outra iniciativa é o projeto STEM Brasil, atualmente implementado em 37 escolas públicas do estado do Rio de Janeiro, suplementando a formação de professores nas áreas de biologia, física, química, matemática e novas tecnologias, oferecendo atividades e materiais práticos para a realização de experimentos em sala de aula com os alunos.

Mudar o mundo é também agir localmente, pessoa a pessoa. Na Shell, acreditamos que a inspiração, o incentivo e o encorajamento de pais e professores podem tornar jovens curiosos e criativos em verdadeiros agentes da transformação do Brasil e do nosso planeta através das disciplinas ligadas às ciências e matemática.


Objetivo 4: Assegurar a educação inclusiva, equitativa e de qualidade, e promover oportunidades de aprendizagem ao longo da vida para todos.

Share:

Sign up for our newsletter

Enter your email and receive our content. We respect the privacy of your information by not sharing it with anyone.

Related news

Check out the most current and relevant news to stay on top of what is being debated on the Sustainable Development agenda.

Related publications

Want to go deeper into this subject? Check here other publications related to this same theme.

related events

Check out our upcoming events related to this topic and join us to discuss and share best practices.