Saiba como economizar energia em 5 passos

Você sabia que, atualmente, o setor de edificações consome mais energia elétrica do que a indústria? Pois é, os dados do Balanço Energético Nacional de 2017 apontam que o setor de edificações representa 51% do consumo total de eletricidade no país, enquanto o setor industrial representa 38%.

Mas, como isso é possível?

Por conta da crise econômica, a indústria brasileira teve uma redução das atividades produtivas, registrando uma queda de 4,7% em relação ao ano passado. Além disso, embora as edificações possuam menor intensidade de uso energético por área, elas estão em maior escala numérica.

É importante notar também que o consumo de eletricidade em edificações no país aumentou em 52% nos últimos 10 anos. Os edifícios estão maiores e mais complexos, com mais tecnologias e equipamentos elétricos. Além disso, a demanda por conforto também aumentou, o que resultou no aumento da utilização do ar-condicionado.

Com tanta demanda por eletricidade e em meio à crise hídrica, vemos, a cada ano, o aumento da tarifa de energia, que resulta em contas de luz mais caras para os consumidores.

E agora, o que é possível fazer para economizar energia?

Abaixo listamos algumas medidas para ajudar:

  • 1º passo: Identificar o perfil de consumo da sua edificação

Conhecer é o primeiro passo para reduzir! É necessário fazer uma avaliação da sua edificação para saber quais são os maiores sistemas e equipamentos consumidores de energia e o quanto isso representa de custo ao longo do ano. Ter medidores individuais de energia facilita o processo.

Nas residências, por exemplo, o consumo dos chuveiros, geladeiras, e, ultimamente, ar-condicionado, são bastante expressivos. Já em edificações comerciais, o ar-condicionado e a iluminação representam mais da metade do consumo da edificação.

 

Também existem ferramentas gratuitas que podem facilitar o processo, como o simulador de consumo oferecido no site da LIGHT e a ferramenta de autoavaliação do SEBRAE. Existe também uma plataforma que oferece o serviço de diagnóstico energético para pequenos e médios imóveis, sem custo, e já sugere algumas medidas de eficiência energética com cálculos simplificados de custo de investimento, economias e payback.

Caso o edifício seja novo, o comprador ou inquilino precisa verificar qual o nível de eficiência energética da edificação, e se ele possui alguma certificação ou etiquetagem de construção sustentável, como o PBE Edifica, AQUA, LEED ou outros. Normalmente essas informações constam no manual do proprietário.

Desta forma, é possível saber se o edifício foi projetado para ser eficiente. Se a edificação não foi avaliada, basta solicitar uma avaliação para verificar a conformidade com metodologias de desempenho, como o PBE edifica. Para obter esta etiqueta, é necessário contratar uma empresa acreditadaPara mais informações, clique aqui!

  • 2º passo: Gestão energética

Todo edifício precisa ter uma pessoa responsável por monitorar o consumo de energia. Alguém que conheça os sistemas da edificação e cuide da operação do dia a dia. Dentre suas atribuições, é necessário que o gestor organize as faturas, mensalmente, em planilhas e verifique se batem com as leituras dos medidores.

Outras dicas importantes:
  1. Identificar anomalias de consumo;
  2. Verificar e solicitar a manutenção de equipamentos;
  3. Cuidar para que os quadros elétricos estejam sempre seguros e bem identificados;
  4. Estabelecer procedimentos, horários para o uso de equipamentos e espaços compartilhados.
  • 3º passo: Mudança de hábitos

Não há como negar: quem consome energia são as pessoas! Portanto, bons hábitos e costumes precisam ser incentivados. Não há como ter uma edificação eficiente sem ter o apoio dos usuários. Por isso, é muito importante realizar campanhas de conscientização que incentivem a redução de horas de operação e/ou potência utilizada.

Veja alguns exemplos:
  1. Não deixar a iluminação acesa 24 horas nos estacionamentos, já que, dependendo do tipo de edificação, é possível aproveitar a iluminação natural durante o dia, evitando o consumo desnecessário.
  2. Não deixar a sauna ligada quando estiver desocupada.
  3. Acionar a bomba da piscina apenas o tempo necessário para filtrar o volume de água.
  4. Procurar manter o ar-condicionado em temperaturas entre 22 e 24ºC.
  5. Apagar as luzes não deixar equipamentos ligados, como computadores e ar-condicionado, após sair dos ambientes.
  • 4º passo: Compras de equipamentos eficientes

Hoje em dia, muitos equipamentos elétricos já possuem a etiqueta do Inmetro, que indica seu nível de eficiência, classificado de A a E. É muito importante adquirir equipamentos nível A do Inmetro, com o Selo do Procel. Esta é uma garantia de que o equipamento tem um bom desempenho e consome menos energia.

Para consultar a classificação energética e o consumo dos mais variados produtos no mercado, Click here.

  • 5º passo: Estabelecer planos e definir metas (benchmarking)

Como é possível saber se a sua edificação está consumindo mais ou menos do que deveria?

Simples: já existe uma plataforma online que possui um banco de dados de consumo de edificações e que compara o consumo energético de seu edifício com o de outros edifícios de uso semelhante no mercado – isso se chama benchmarking de energia operacional. Click here e descubra qual o nível de consumo da sua edificação!

No momento, estão disponíveis os benchmarks para agências bancárias e edifícios comerciais, e, em breve, serão lançadas para edificações públicas e demais tipologias. No setor residencial, também existem trabalhos interessantes de coleta de dados que podem ser consultados como o do Secovi-SP.

Através do resultado do benchmarking, é possível saber qual seria o nível de consumo considerado “boa prática” ou “eficiente” e estabelecer metas de desempenho para os próximos anos.

Como vimos, existem diversas maneiras de economizar energia, muitas vezes de zero ou baixo custo. É necessário avaliar cada caso para definir qual o potencial de economia da edificação. Para todas estas etapas, em edifícios mais complexos, também é possível contratar um especialista para fazer o serviço, chamado de diagnóstico energético e gestão energética.

Então, você já sabe! Siga esses passos e reduza o consumo de energia da sua edificação! 🙂

(*) Post publicado originalmente no Blog Condomínios Verdes.

Share:

Sign up for our newsletter

Enter your email and receive our content. We respect the privacy of your information by not sharing it with anyone.

Related news

Check out the most current and relevant news to stay on top of what is being debated on the Sustainable Development agenda.

Related publications

Want to go deeper into this subject? Check here other publications related to this same theme.

related events

Check out our upcoming events related to this topic and join us to discuss and share best practices.