Como criar um plano de logística sustentável?

Uma nova realidade é verificada tanto no setor empresarial, quanto no setor público: a necessidade de se elaborar planos de logística sustentáveis. Um dos seus objetivos é a redução de emissão dos gases de efeito estufa (GEE), além de minimizar outros impactos socioambientais, tais como a poluição atmosférica local e os engarrafamentos nas grandes cidades.  

Veja tudo isso e a forma de trabalho do CEBDS, por meio do debate e da promoção de iniciativas junto às suas empresas associadas. Confira!

Decreto Nº 7.746, de 5 de junho de 2012

A ex-Presidente da República, Dilma Rousseff, instrumentalizou uma série de medidas a fim de fomentar a inserção de práticas sustentáveis no meio público. Dentre eles, tem-se o Decreto Nº 7.746, de 5 de junho de 2012:

“O Art 1º deste Decreto regulamenta o art 3º da Lei nº 8.666, de 21 de junho de 1993, a estabelecer critérios, práticas e diretrizes gerais à promoção do desenvolvimento nacional sustentável por meio das contratações realizadas pela administração pública federal direta, autárquica e fundacional e pelas empresas estatais dependentes, e institui a Comissão Interministerial de Sustentabilidade na Administração Pública – CISAP”, segundo documento da Casa Civil.

O Decreto destaca ainda as diretrizes de sustentabilidade. Entre elas, encontram-se:

  • menor impacto sobre recursos naturais como flora, fauna, ar, solo e água;
  • preferência para materiais, tecnologias e matérias-primas de origem local;
  • maior eficiência na utilização de recursos naturais como água e energia;
  • maior geração de empregos, preferencialmente com mão de obra local;
  • maior vida útil e menor custo de manutenção do bem e da obra;
  • uso de inovações que reduzam a pressão sobre recursos naturais;
  • origem ambientalmente regular dos recursos naturais utilizados nos bens, serviços e obras.

Por fim, o Decreto em seu Art 16º coloca que: “a administração pública federal direta, autárquica e fundacional e as empresas estatais dependentes deverão elaborar e implementar Planos de Gestão de Logística Sustentável, no prazo estipulado pela Secretaria de Logística e Tecnologia da Informação, prevendo, no mínimo:

  • atualização do inventário de bens e materiais do órgão e identificação de similares de menor impacto ambiental para substituição;
  • práticas de sustentabilidade e de racionalização do uso de materiais e serviços;
  • responsabilidades, metodologia de implementação e avaliação do plano;
  • ações de divulgação, conscientização e capacitação.

Plano de Logística Sustentável no setor privado

Um dos grandes desafios do setor empresarial, hoje, são as reduções das emissões de GEE e a minimização dos seus impactos sociais, atrelados à sustentabilidade financeira do negócio.

Nesse sentido, faz-se importante a conscientização das organizações na implementação do Plano de Logística Sustentável, que pode se dar, por exemplo, via capacitação dos funcionários para a compreensão dos impactos e dos benefícios resultantes da adoção deste plano.

Segundo Luan Santos, coordenador das Câmaras Temáticas de Logística e Transportes (CTLog) e de Impacto Social (CTSocial) do CEBDS, as empresas não podem mais simplesmente se preocupar em entregar uma encomenda no local X e no horário Y, conforme acordado com o cliente. É importante que todo o processo seja reavaliado e planejado de modo que os impactos sociais e ambientais gerados por esta operação logística sejam minimizados.

Segundo Santos, não existe uma padronização do Plano de Logística Sustentável em termos de mensuração. Cada empresa deve elaborar o seu plano conforme a realidade do negócio e das suas particularidades, por exemplo, levando em conta a dinâmica da sua rede logística. Embora não haja tal metodologia padrão, alguns resultados podem ser tangibilizados, como a redução de custos operacionais e a racionalização dos processos.

Outros resultados são mais intangíveis e se referem à reputação da empresa no mercado e à diferenciação perante os concorrentes. Tal aspecto se reverte positivamente à empresa que apresenta iniciativas vanguardistas, haja visto o crescimento da concorrência nos distintos mercados, além da forte pressão pela colaboração das empresas ao desenvolvimento sustentável dos países. Como exemplo, pode-se citar os investimentos em biocombustíveis no setor de transportes no Brasil, como alternativa ao uso dos combustíveis fósseis.

Dessa forma, na medida que a própria sociedade aumenta sua conscientização sobre os impactos sociais e ambientais causados pelas empresas, o apreço por marcas que desenvolvem um Plano de Logística Sustentável se torna maior, portanto, mostra-se como uma oportunidade de negócios.

Destacam-se que alguns planos já foram elaborados e colocados em práticas e podem ser utilizados e adaptados por novas organizações que busquem melhorar o pilar de logística sustentável. Dentre eles, estão os planos do Banco Central e do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE).

Como o CEBDS pode catalisar?

Por meio da Câmara Temática de Logística e Transportes (CTLog), o Conselho Empresarial Brasileiro para o Desenvolvimento Sustentável (CEBDS), fomenta a troca de conhecimento, de experiências e das melhores práticas, facilitando parcerias e empreendendo iniciativas voltadas à melhoria dos transportes de passageiros e de carga no Brasil.

Além disso, a CTLog promove e incentiva a participação do setor empresarial na discussão em torno da necessidade de planejamento urbano como solução incondicional de médio-longo prazo para melhoria da infraestrutura logística e de transportes. Representa ainda a visão das empresas em assuntos relacionados à infraestrutura logística e à mobilidade urbana, em debates e formulação de políticas públicas com governos e demais grupos de interesse.

 

Share:

Sign up for our newsletter

Enter your email and receive our content. We respect the privacy of your information by not sharing it with anyone.

Related news

Check out the most current and relevant news to stay on top of what is being debated on the Sustainable Development agenda.

Related publications

Want to go deeper into this subject? Check here other publications related to this same theme.

related events

Check out our upcoming events related to this topic and join us to discuss and share best practices.