Empresários obtêm apoio da Câmara dos Deputados para agenda sustentável

Em reunião com lideranças empresariais nesta terça-feira, presidente da Câmara, deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ), anuncia criação de grupo de trabalho para avançar em projetos legislativos relacionados à agenda da sustentabilidade

O movimento de lideranças empresariais pela sustentabilidade se reuniu na manhã de hoje com o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e com os deputados Rodrigo Agostinho (PSB-SP), presidente da Comissão de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável da Câmara dos Deputados, e Zé Silva (SD-MG), autor do PL 2633/2020, sobre regularização fundiária. Na reunião, Maia anunciou a criação de um grupo de trabalho para elencar e fazer avançar projetos legislativos relacionados à agenda da sustentabilidade.

“Foi uma conversa bastante objetiva, com foco em projetos legislativos em andamento e que podem contribuir com questões como combate ao desmatamento ilegal, regularização fundiária, rastreabilidade e licenciamento ambiental”, explicou Marina Grossi, presidente do CEBDS (Conselho Empresarial Brasileiro para o Desenvolvimento Sustentável), em coletiva à imprensa realizada após a reunião.

Além dela, participaram da reunião com os deputados André Nassar (Presidente da Abiove); Carlo Pereira (Presidente do Pacto Global); Domingo Lastra (CEO da ADM); Leila Melo (Diretora-Executiva do Banco Itaú); Marcello Brito, (Presidente da Abag); Otávio Carvalheira (CEO da Alcoa); Patrícia Audi (VP Executiva do Banco Santander) e Paulo Hartung (Presidente do Ibá).

Um dos principais objetivos do movimento empresarial é separar essas empresas das que atuam à margem da lei. “A principal questão é que há um número pequeno propriedades privadas que atua na ilegalidade, mas que coloca em xeque a credibilidade da nossa legislação e também os nossos produtos lá fora”, afirmou André Nassar, presidente da Abiove (Associação Brasileira das Indústrias de Óleos Vegetais). De acordo com o presidente da Abag (Associação Brasileira do Agronegócio), o setor entende que há problemas na cadeia produtiva. “Mas, nós não faremos vista grossa. A transparência das cadeias de produção é benéfica para os nossos produtos”, disse Brito.

Carlo Pereira, presidente do Pacto Global, destacou que o Brasil tem uma agenda positiva para mostrar. “Estamos muito à frente em relação aos países em desenvolvimento”, afirmou. Segundo o presidente da Abiove, as cadeias de soja e de carne bovina, por exemplo, montaram sistemas de rastreamento de seus produtos. “O objetivo é garantir que o produto exportado cumpriu toda a legislação brasileira”, explicou. 

O presidente da Abag também reforçou a sugestão do setor empresarial de que as discussões das novas linhas de crédito, que venham ser aprovadas pelo Congresso Nacional, tenham exigências de cumprimentos relacionados à economia de baixo carbono. “Ou seja, aproveitar esse momento de reinvenção para buscar uma economia mais inclusiva, horizontal, que perpasse todos os setores”, disse Brito. A reforma tributária, que pode ter um efeito positivo na agenda de meio ambiente e economia circular, também foi objeto de discussão na reunião com os deputados.

Articulação empresarial

No último dia 10, os executivos se reuniram com o presidente do Conselho Nacional da Amazônia Legal, vice-presidente Hamilton Mourão, e discutiram o fortalecimento das ações de combate ao desmatamento na Amazônia e em outros biomas, maior participação e trabalho conjunto em políticas que induzam a uma retomada verde da economia, para um cenário de baixo carbono.

Essas reuniões são um desdobramento do Notice from the Brazilian Business Sector, que veio a público no dia 7 de julho. O movimento empresarial também articula encontros com os presidentes do Supremo Tribunal Federal e do Senado Federal, além do procurador-geral da República. O documento, que conquista novas adesões dia após dia, conta hoje com cerca de 60 CEOs de empresas e grupos empresariais dos setores industrial, agrícola e de serviços, além de cinco investidores e cinco instituições. A iniciativa é liderada pelo CEBDS, Associação Brasileira do Agronegócio (Abag) e Instituto Brasileiro de Árvores (Ibá) e conta ainda com a Abiove e a Rede Brasil do Pacto Global.

Share:

Sign up for our newsletter

Enter your email and receive our content. We respect the privacy of your information by not sharing it with anyone.

Related news

Check out the most current and relevant news to stay on top of what is being debated on the Sustainable Development agenda.

Related publications

Want to go deeper into this subject? Check here other publications related to this same theme.

related events

Check out our upcoming events related to this topic and join us to discuss and share best practices.